Arquivos do Blog

PRODUTO OFERECE SOLUÇÃO QUE PODE SALVAR SUA BEXIGA.

Sustentar a urina em situações como trabalho e longas viagens pode provocar problemas como infecção urinária e sepsemia.

Um dos problemas mais sérios enfrentados por operadores de telemarketing é a demora em ir ao banheiro. Com o tempo cronometrado, onde cada atendimento é decisivo para manter o cliente na empresa, a saúde acaba escanteada, e algo considerado supérfluo — como urinar — acaba sendo procrastinado por várias horas. O mesmo problema ocorre em longas viagens, ou até com pacientes em hospitais e unidades de atendimento móvel de urgência (SAMU).

Sustentar a urina no corpo, entretanto, é um risco sério à saúde. O organismo é programado para expelir, com a urina, impurezas e bactérias coletadas no sistema excretor. Logo, a demora em eliminar pode resultar em doenças dolorosas e, em certos casos, sérias — como infecções urinárias, sepsemia e, em casos extremos com pacientes mais frágeis, a morte.

Uma empresa catarinense, a B&B Plásticos, desenvolveu duas linhas de produtos para atender tanto as necessidades de pacientes (Papagaio transparente) quanto as de pessoas que simplesmente necessitam urinar quando não têm um banheiro à disposição (Papagaio viajante). “Foi fruto de muita pesquisa para seu lançamento, pois prevíamos nas principais cidades e estradas os grandes congestionamentos que só tendem a aumentar”, afirma Rafael Ferreira, diretor da B&B Plásticos.

image001

Segundo Ferreira a linha é útil para permitir que homens, mulheres, crianças e pessoas com necessidades especiais (principalmente cadeirantes) possam urinar discretamente em qualquer ambiente sem depender de um WC. “Ou na pior das hipóteses, para evitar o desaperto na própria estrada, onde ocorrem inúmeros casos de roubos e atropelamentos”, diz.

Como funciona?

O dispositivo é composto por um bocal de plástico injetado adaptável ao órgão genital masculino e feminino (o último modelo contém uma concha retrátil para facilitar a coleta da urina e um sachê com sabonete líquido e lenços) e um saco coletor opaco soldado ao bocal. Após o uso, o produto é armazenado através da sua alça aberta e fechado por uma tampa vedante. A urina pode ser descartada quando a pessoa for a um banheiro; já o produto pode ser higienizado e reutilizado.

image002

Ausência de urinóis

Segundo Ferreira, a falta de dispositivos apropriados nos hospitais e unidades móveis chega a colocar em risco a vida dos pacientes. “Nas ambulâncias não existem urinóis portáteis, constrangendo inúmeros pacientes por terem que urinar no chão ou até nas próprias calças”, afirma. O primeiro modelo, o Papagaio Transparente, foi desenvolvido para essa finalidade.

“O motivo do invento foram as observações de uma enfermeira no Rio Grande do Sul, com mais de 40 anos de experiência, em relação à alta incidência de infecção urinária contraída através do uso coletivo e da má esterilização do urinol usual de Inox”, lembra Ferreira. “Além disto, ela tinha muita dificuldade de visualizar o aspecto e o volume da urina que são informações essenciais para a enfermagem”, explica.

A partir do modelo hospitalar, foi desenvolvido o mais versátil, destinado ao público em geral, principalmente viajantes. Rafael garante que o produto está liberado pela Anvisa e que já foram vendidos, até o momento, cerca de 50 mil unidades.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: