Arquivos do Blog

NO PAÍS MIRAGEM

CAROS AMIGOS LEITORES,

Gostei desse texto. Atual, criativo, leve humor e sátira. Posso estar enganada na percepção. Contudo achei interessante. Compartilho com os amigos leitores. E acredito que um texto assim poderá levar muitas pessoas a uma reflexão. Vou saber como perceberam se curtirem no facebook e comentarem, inclusive no BLOG. Djanira Felipe – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.

93603-004-D74382EF

Esta miragem, no deserto da Namíbia, leva às pessoas a ver uma piscina de água que na verdade não é real.  Pete Turner—The Image Bank/Getty Images

No País Miragem

Por Jacinto Batalha

Sertãozinho e Camuflagem, repentistas famosos, com diversos troféus conquistados pelo talento da dupla, além dos discos de ouro, prata e bronze, sentem-se em dado momento, profissionais visionários. E acreditam que são de verdade porque jamais deixaram de estar atentos às oportunidades que o mercado artístico competitivo apresenta.

Na praça, rodeados de fãs ligadas às palavras rimadas e ritmadas pelo improviso, fazem alusões ao universo político e das escolas de samba. E, de repente a ideia harmonicamente está plantada em suas mentes.

Após a cantoria, sentados na praça da cidade, lembraram de que é chegado o tempo das filiações partidárias para aqueles que desejarem ingressar no mundo da política, ou quem sabe com sorte adquirir uma fantasia, numa boa e famosa escola de samba, e se integrarem aos foliões para o próximo carnaval.

Afinal, os resultados financeiros das apresentações públicas não andam muito bem. A dupla é conhecida e os segmentos parecem atrativos, além de não requererem grandes qualificações acadêmicas e por que não dizer intelectuais em alguns casos.

Motivados pelas expectativas puseram-se a indagar:

Sertãozinho perguntou: – Quais são os critérios pelos quais se identificam um pré-candidato, cantor repentista, que “de repente” sente uma sugestiva vontade de ser político?

E o parceiro Camuflagem na sua sabedoria nata respondeu: – Ora Sertãozinho, em primeiro lugar é preciso ser brasileiro e em segundo saber fazer o povo de tolo. Isso por si só já qualifica o indivíduo a se tornar um político. O resto é tratar da papelada, inclusive o salvo-conduto, ou seja, lavar a ficha.

Camuflagem, curioso, então pergunta: – e para uma dupla repentista ser aprovada numa Escola de samba?

Ao que Sertãozinho não hesita em responder: – essa é fácil porque não precisa tanta papelada, basta adquirir a fantasia e aprender a sambar no pé. Até gringo consegue. É mais complicado ser rainha da bateria, o que não é o nosso caso.

E complementa: – melhor decidirmos pelo caminho da Política porque além dos pré-requisitos que já falamos ainda somos famosos, e atualmente a exemplo das escolas de samba, os partidos políticos adotaram a prática de filiar de imediato e com publicidade pessoas famosas.

E continuaram a trocar ideias… mas, uma certeza já estampa o cenário futuro da dupla, afinal, lidam com o “entretenimento”.

Isto para uma escola de samba será ideal, contudo para o partido político na atual conjuntura, para a maioria, ter essa habilidade é fundamental.

Sertãozinho e Camuflagem, cidadãos do País da Miragem passam a pensar nas atribuições e como atingir o objetivo.

Pela estabilidade a possibilidade política ganha e estão devidamente preparados para atender aos anseios do seu povo e os partidos políticos precisam “de repente” ocupar o número de vagas existente para pré-candidatos. O foco é atingir a cota.

Já a Escola de samba requer ensaios, visitas à quadra “de repente” até cantar, puxar um repente, enquanto a escola desfilar na passarela do samba, muito pesado. Sem contar que o trabalho é suado demais durante o ano inteiro, para pouco tempo de desfile.

Nesse caso somente ser aplaudido na avenida não preenche o ego, são poucos minutos de fama para uma dupla que deseja “de repente” mudar o rumo do repente em suas vidas.

Procuram um partido e participam de uma rápida reunião, na qual nem necessitam dizer quem é quem, dizem apenas que desejam ingressar no partido e pluft! Lá já estão. São pré-candidatos, nas próximas eleições, ou melhor, uma espécie ou modelo de novo cabo eleitoral.

Para Sertãozinho e Camuflagem que ainda não se deram conta da Bandeira que ostenta o seu País Miragem, com certeza os seus talentos, com um repente, tornarão realidade um mandato para uma dupla cara-de-pau que nem mesmo eles conhecem.

Nem percebem que a facilidade de ingressarem na política, e como “de repente” elegem com arte e manha, no país Miragem “um escolhido” antes pré-definido por eles desconhecido.

Assim, simples “de repente”. Haja povo que nem sente!

Votar em Sertãozinho e Camuflagem significa que depois de elegerem alguém, um vai desertar e o outro virar paisagem.

Rio de Janeiro 02 de dezembro de 2014.

Esclarecimentos sobre a foto acima que ilustra a miragem:

miragem
A miragem é uma imagem que parece real, mas não existe de fato. Ela é causada por camadas de ar com diferentes temperaturas e espessuras. As diferenças nas camadas de ar podem modificar a direção das ondas de luz. Chamada de refração, essa mudança de direção cria imagens falsas que podem confundir a visão humana.
Namíbia
A Namíbia é um país da costa sudoeste da África que conquistou sua independência da África do Sul em 1990. Windhoek é sua capital e maior cidade. A Namíbia tem 2.324.000 habitantes (estimativa de 2011) e sua área é de 824.116 km2.

Fonte foto: http://escola.britannica.com.br/assembly/174610/

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: