Arquivos do Blog

06 DE JULHO – DIA DA CRIAÇÃO DO IBGE

IBGE

No dia 6 de julho de 1934, era criado o principal provedor de dados e informações do Brasil, responsável por mensurar informações estatísticas da população brasileira: o Instituto Nacional de Estatística (INE). Em 1937, este órgão passou a ser conhecido popularmente pela sigla IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
A instituição foi criada durante o Governo do ex-presidente Getúlio Vargas, reconhecido como o político que mais valorizou as leis trabalhistas no Brasil. A criação do IBGE está diretamente relacionada à necessidade de entender processos políticos e de trabalho no País e tomar medidas administrativas que levassem o país para o “futuro”.

Entre as principais funções do IBGE:

• Produzir, analisar, coordenar e consolidar informações estatísticas;

• Produzir e analisar, coordenar e consolidar informações geográficas;

• Estruturar e implantar um sistema de informações ambientais;

• Documentar e disseminar todas as informações colhidas;

• Coordenar os sistemas estatísticos e cartográficos nacionais.

Censo

A partir do trabalho do IBGE é possível entender melhor a evolução de processos políticos, econômicos e demográficos do Brasil. Uma maneira da entidade levantar informações é por meio do Censo, questionário sócio-econômico destinado a todas as famílias brasileiras.
O Censo é realizado de 10 em 10 anos para validação do perfil dos habitantes do Brasil. Desta forma, é possível classificar a renda, contabilizar a população e mensurar a situação da economia do país e a evolução de quesitos como trabalho e produção.
Todas as informações levantadas pelo IBGE são estudadas e catalogadas por uma equipe de profissionais qualificados e ficam à disposição para consultas no site da instituição.

 

FONTE: pnld . moderna . com . br / 2011 / 07 / 06 / 6 – de – julho – criacao – do – ibge /

Anúncios

25 DE FEVEREIRO – DIA DA CRIAÇÃO DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

governo_define_tema_da_1a_conferencia_de_comunicacao

Em 25 de fevereiro de 1967, foi criado no Brasil o Ministério das Comunicações. Este órgão do poder executivo federal é encarregado da elaboração e do cumprimento das políticas públicas do setor de comunicações. Suas atividades abrangem três áreas fundamentais: a radiodifusão, os serviços postais e as telecomunicações.

Nascido a 5 de maio de 1865 em Mimoso, Mato Grosso do Sul, o patrono das Comunicações no Brasil é o Marechal Rondon, segundo escolha do próprio Ministério, em 1971.

O Ministério das Comunicações tem como missão, proporcionar à sociedade brasileira acesso democrático e universal aos serviços de telecomunicações, radiodifusão e postais, privilegiando a redução das desigualdades sociais e regionais, o desenvolvimento industrial-tecnológico competitivo, a expansão do mercado de consumo de massa e a gestão sustentada do meio ambiente. Suas atividades abrangem: política nacional de telecomunicações e de radiodifusão; regulamentação, outorga e fiscalização de serviços de telecomunicações e de radiodifusão; controle e administração do uso do espectro de radiofreqüência.; serviços postais.

Com a Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica, o Ministério das Comunicações administra as concessões de rádio e de TV aberta, desde o processo licitatório até o seu funcionamento, baseado na legislação específica. Fiscaliza a exploração dos serviços de radiodifusão nos aspectos referentes ao conteúdo de programação das emissoras, bem como a composição societária e administrativa, instaura procedimento administrativo visando a apurar infrações de qualquer natureza referentes aos serviços de radiodifusão e adota as medidas necessárias ao efetivo cumprimento das sanções aplicadas aos executantes do serviço.

Com a Secretaria de Telecomunicações, o Ministério das Comunicações formula políticas e diretrizes, objetivos e metas, regulamentação e normatização técnica, relativas aos serviços de telecomunicações. A Secretaria auxilia também na orientação, acompanhamento e supervisão das atividades da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel. Planeja e coordena, normativamente, as atividades e os estudos que orientam a formulação de programas e projetos visando a universalização dos serviços de telecomunicações, inclusão digital e a implementação de medidas voltadas ao desenvolvimento tecnológico e industrial brasileiro.

Cabe a Subsecretaria de Serviços Postais, subsidiar a formulação de políticas, diretrizes, objetivos e metas relativos aos serviços postais. Também é responsável por realizar estudos visando a proposição de novos serviços, bem como a regulamentação e normatização técnica e tarifária, para a execução, controle e fiscalização dos serviços postais existentes. Além disso, controla e acompanha o desempenho da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

 

FONTE: fcn . edu . br / blog / 2012 / 02 / 24 / criacao – do – ministerio – das – comunicacoes /

%d blogueiros gostam disto: