Arquivos do Blog

ENSINO MÉDIO

Ensino Médio

Caminhando para baixo, porém, de forma extraordinária e corajosa.

Por Djanira Felipe

downloadQue bom ler a temática da página 18 do Jornal O POVO, hoje 17/2/2017, e repito: Jornal O POVO que acredito ser direcionado para o Povo de um povoado de uma aldeia, arraial ou ainda de uma povoação e por que não dizer qualquer lugar do Norte ao Sul do Brasil que é povoado por milhões de pessoas que merecem respeito e que fazem parte da sociedade. Será que o povo participou do consenso entre o governo e o congresso para a sansão dessa Lei que aniquila o Ensino Médio?

Perceberam alguns sinônimos? Então vamos separar POVO e AÇÃO e imaginar o POVO EM AÇÃO. Em ação contra o que o Presidente Michel Temer avalia como exemplo extraordinário das características de uma gestão “corajosa”. Pensando bem ele tem razão porque é preciso ter coragem para contribuir e incitar à motivação que é motivo para ação de NÃO estudar disciplinas opcionais que são: Linguagem, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Profissional. Cheguei ao ponto. Imaginem um profissional que não adquiriu conhecimento básico necessário para a sua ascensão como ser humano.

Quero ser breve para não atender a intensidade da minha indignação. Vamos raciocinar juntos e pegar Ciências Humanas que não precisamos ser gênios para imaginar que se trata de uma área do conhecimento referente ao estudo do homem como ser social – viver em sociedade, interagir com outras pessoas manter relações humanas.

Por mencionar Relações Humanas, vale ressaltar, que o Estudo das Relações Humanas surgiu no final do século XIX com o intuito de corrigir a desumanização no setor pessoal das indústrias. Elton Mayo criou a Teoria das Relações Humanas, que teve origem na necessidade de democratizar e humanizar a administração; valendo-se de outras ciências sociais tais como psicologia, sociologia e antropologia. Permito-me acrescentar outras disciplinas que compõem essa modalidade do ensino como Filosofia, História, Geografia, Letras, Pedagogia, Administração, Direito, Relações Internacionais, comunicação e Ciência Política dentre outras.

Será desnecessário explicar cada uma, basta dizer que Administração é a ciência que estuda a gestão de pessoas, empresas públicas e privadas. Fiz essa viagem até o ensino superior porque estamos retrocedendo no ensino médio, ponto de partida para caminhar rumo à universidade.

Podemos acreditar que no processo como um todo se entrar lixo vai ser processado lixo e sair para a sociedade lixo como produto final. Mas poderíamos hoje comemorar a Lei do novo Ensino Médio como um ato extraordinário se tivessem tornado obrigatório o ensino que promovesse a entrada do indivíduo que fosse desenvolvido o seu talento e a sociedade cliente, recebesse profissionais preparados para serem senhores dos seus destinos e compositores das suas histórias.

Por que não ensinam Ciência Política? Por que não preparamos os futuros homens e mulheres com plena consciência política para cuidar do Brasil e dos interesses do povo. Imagina! Isto não interessa. Povo esclarecido cobra, questiona, discorda, ou seja, dizem mais do que amém. Acredito que a mensagem está dada, ainda que não tenham sido desdobradas as outras disciplinas, mas ficaram implícitos que certamente provocarão momentos de reflexões. O Brasil precisa acordar urgentemente.

Acorda Brasil! Um filho teu não foge à luta. Brasileiros! É hora de mudar o destino do País.

É com atitude que se muda qualquer realidade legítima ou não.

Sou Administradora e Adesguiana

Sou Brasileira!

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

,

Anúncios

18 DE SETEMBRO – SÍMBOLOS NACIONAIS BRASILEIROS

CAROS AMIGOS E LEITORES, O NOSSO CANAL CONTINUA COM O PROPÓSITO DE TRAZER SEMPRE MATÉRIAS DE INTERESSE DA SOCIEDADE COMO UM TODO E QUE PROMOVAM O BEM COMUM. A MATÉRIA ABAIXO SERÁ ÚTIL PARA A EDUCAÇÃO CÍVICA. AINDA ACREDITAMOS QUE SEJA IMPORTANTE. AS NOSSAS CRIANÇAS TÊM O DIREITO DE APRENDER A LETRA DO NOSSO HINO NACIONAL E SABER O SEU SIGNIFICADO. SABER FAZER A DIFERENÇA ENTRE PÁTRIA E NAÇÃO.

DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ. E SABE O PORQUÊ.

Os Símbolos Nacionais do Brasil foram instituídos através da Lei 5.700 de 1º de setembro de 1971. Esta lei além de estabelecer quais são os símbolos nacionais, também determina sobre como estes símbolos devem ser usados, padrões e formatos, significados, entre outros. Estes símbolos são de extrema importância para nossa nação, pois representam o Brasil dentro e fora do território nacional. Sendo assim, devem ser respeitados por todos os cidadãos brasileiros. Os Símbolos Nacionais são: a Bandeira Nacional; o Hino Nacional; as Armas Nacionais; e o Selo Nacional.

Em 18 de setembro comemora-se o Dia dos Símbolos Nacionais.

Bandeira Nacional

index_clip_image002

A Bandeira Nacional foi instituída no dia 19 de novembro de 1889, 4 dias depois da Proclamação da República. É o resultado de uma adaptação na tradicional Bandeira do Império Brasileiro, onde o escudo Imperial português dentro do losango amarelo foi substituído por um círculo azul com estrelas na cor branca. A esfera azul de nossa bandeira representa nosso céu estrelado, ao centro com a frase “Ordem e Progresso”. São 27 estrelas, representando os 26 estados e o Distrito Federal. O losango amarelo ao centro representa o ouro e o retângulo verde, representa nossas matas e florestas.

No dia 19 de novembro comemora-se o dia da bandeira. Abaixo a bandeira com detalhes.

7 Dia dos Simbolos Nacionais desenhos e atividades colorir pintar imprimir

Armas Nacionais

index_clip_image004

As Armas Nacionais ou Brasão Nacional representam a glória, a honra e a nobreza do Brasil e foram criadas na mesma data que a Bandeira Nacional. No centro há um escudo circular sobre uma estrela verde e amarela de cinco pontas. O cruzeiro do sul está ao centro, sobre uma espada. Um ramo de café está na parte direita e um de fumo a esquerda. Uma faixa sobre a parte do punho da espada apresenta a inscrição “República Federativa do Brasil”. Em outra faixa, abaixo, apresenta-se “15 de novembro” (direita) e “de 1889” (esquerda).

É obrigatório o uso das armas nos edifícios dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) dos governos federal, estaduais e municipais, e também nos quartéis militares e policiais e em todos os papéis oficiais de nível federal (publicações, convites entre outros).

Selo Nacional

index_clip_image005

O Selo Nacional é utilizado para autenticar documentos oficiais e atos do governo. É usado também para autenticar diplomas e certificados emitidos por unidades de ensino reconhecidas. É constituído por uma esfera com as estrelas (semelhante a da bandeira brasileira), apresentando a inscrição República Federativa do Brasil.

Hino Nacional

Hino Nacional

O Hino Nacional foi composto por Joaquim Osório Duque Estrada (1870 – 1927) e a música é de Francisco Manuel da Silva (1795-1865). Tornou-se oficial no dia 1 de setembro de 1971, através da lei nº 5700.

Existem várias regras que devem ser seguidas no momento da execução do hino, entre elas o respeito à Bandeira Nacional e ao presidente da República. É executado junto com o hasteamento da Bandeira Nacional em determinadas situações, entre elas: solenidades e eventos oficiais do governo, eventos esportivos e culturais e nas escolas.

Hino Nacional Brasileiro

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heroico o brado retumbante,

E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,

Em teu seio, ó Liberdade,

Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido,

De amor e de esperança à terra desce,

Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E o teu futuro espelha essa grandeza.

Terra adorada

Entre outras mil

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo

És mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!

Deitado eternamente em berço esplêndido,

Ao som do mar e à luz do céu profundo,

Fulguras, ó Brasil, florão da América,

Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida

Teus risonhos, lindos campos têm mais flores,

“Nossos bosques têm mais vida”,

“Nossa vida” no teu seio “mais amores”.

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado,

E diga o verde-louro dessa flâmula

– Paz no futuro e glória no passado.

Mas se ergues da justiça a clava forte,

Verás que um filho teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada

Entre outras mil

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo

És mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!

Glossário do Hino:

  • Margens plácidas – “Plácida” significa serena. Calma.
  • Ipiranga – É o riacho junto ao qual D. Pedro I teria proclamado a independência.
  • Brado retumbante – Grito forte que provoca eco.
  • Penhor – Usado de maneira metafórica(figurada). “penhor desta igualdade” é a garantia, a segurança de que haverá liberdade.
  • Imagem do Cruzeiro resplandece – O “Cruzeiro” é a constelação do Cruzeiro do Sul que resplandece (brilha) no céu.
  • Impávido colosso – “Colosso” é o nome de uma estátua de enormes dimensões. Estar “impávido” é estar tranquilo, calmo.
  • Mãe gentil – A “mãe gentil” é a pátria. Um país que ama e defende seus “filhos” (os brasileiros) como qualquer mãe.
  • Fulguras – fulgurante (reluzente, brilhante).
  • Florão – “Florão” é um ornato em forma de flor usado nas abóbadas de construções grandiosas. O Brasil seria o ponto mais importante e vistoso da América.
  • Garrida – Enfeitada. Que chama a atenção pela beleza.
  • Lábaro – Sinônimo de bandeira. “Lábaro” era um antigo estandarte usado pelos romanos.
  • Clava forte – Clava é um grande porrete, usado no combate corpo-a-corpo. No verso, significa mobilizar um exército, entrar em guerra.

http://www.sohistoria.com.br/ef2/simbolosnacionais/

https://www.google.com.br/search?q=simbolos+nacionais&biw=1280&bih=899&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&sqi=2&ved=0CEMQ7AlqFQoTCK_-88mF5McCFcUXPgodKzAE_A

AGNALDO TIMÓTEO NO TEATRO IMPERATOR

Olá Amigos,

Um pouco do muito que é esse ícone, a melhor voz do Brasil, meu ídolo desde a minha infância. Estive lá em 29/07/2015. AGNALDO TIMÓTEO.

 

 

10 DE MAIO – DIA DAS MÃES

472-000

Assessoria Djanira Felipe deseja a todas as mães do Brasil e do mundo um…

Feliz Dia das Mães!!!

 

GERAÇÃO Y LIDERA ACESSOS ÀS REDES SOCIAIS NO BRASIL, APONTA ESTUDOS

Geracao-Y

No Brasil, o público das redes sociais é jovem. Um estudo realizado pela Experian Marketing Services em novembro de 2014 aponta que mais da metade (54%) dos usuários de social media do País tem idade entre 18 a 24 anos.

Adultos na faixa dos 25 a 34 anos aparecem em segundo lugar, com 29,8%, enquanto aqueles com 35 a 44 anos têm 12,7% de participação. Os grupos com idade entre 45 e 54 anos e acima dos 55 anos apresentam a menor amostra, com 2,9% e 0,3%, respectivamente.

Em comparação com o mesmo levantamento realizado pela Experian em julho do ano passado, a presença geração millennial aumentou consideravelmente. Naquele mês, jovens brasileiros contabilizaram 24,8% das visitas nas redes sociais.

De acordo com uma pesquisa conduzida pelo Facebook, adolescentes e jovens adultos brasileiros (com idade de 13 a 24 anos) esperam que o conteúdo das marcas seja engajador (81%). E quase sete entre 10 participantes dizem gostar quando anunciantes conversam com eles nas redes sociais.

De forma geral, o eMarketer estima que 78,1 milhões de brasileiros acessaram alguma rede social pelo menos uma vez ao mês em 2014. O número corresponde a 72,6% dos internautas do País, ou a 38,5% da população nacional. Desse grupo, 72 milhões acessaram o Facebook mensalmente, enquanto 12,1 milhões usaram o Twitter com a mesma frequência. A empresa afirma que 53 milhões de pessoas acessaram as redes via mobile ao menos uma vez ao mês no ano passado.

 

Fonte: Proxxima – 20/02/2015

12 DE OUTUBRO – DIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA – PADROEIRA DO BRASIL

aparecida_01_8001

 

Com muita alegria nós, brasileiros, lembramos e celebramos solenemente o dia da Protetora da Igreja e das famílias brasileiras: Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

A história de Nossa Senhora da Conceição Aparecida tem seu início pelos meados de 1717, quando chegou a notícia de que o Conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela Vila de Guaratinguetá, a caminho de Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto (MG).

Convocados pela Câmara de Guaratinguetá, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves saíram à procura de peixes no Rio Paraíba. Desceram o rio e nada conseguiram.

Depois de muitas tentativas sem sucesso, chegaram ao Porto Itaguaçu, onde lançaram as redes e apanharam uma imagem sem a cabeça, logo após, lançaram as redes outra vez e apanharam a cabeça, em seguida lançaram novamente as redes e desta vez abundantes peixes encheram a rede.

A imagem ficou com Filipe, durante anos, até que presenteou seu filho, o qual usando de amor à Virgem fez um oratório simples, onde passou a se reunir com os familiares e vizinhos, para receber todos os sábados as graças do Senhor por Maria. A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil.

Por volta de 1734, o Vigário de Guaratinguetá construiu uma Capela no alto do Morro dos Coqueiros, aberta à visitação pública em 26 de julho de 1745. Mas o número de fiéis aumentava e, em 1834, foi iniciada a construção de uma igreja maior (atual Basílica Velha).

No ano de 1894, chegou a Aparecida um grupo de padres e irmãos da Congregação dos Missionários Redentoristas, para trabalhar no atendimento aos romeiros que acorriam aos pés da Virgem Maria para rezar com a Senhora “Aparecida” das águas.

O Papa Pio X em 1904 deu ordem para coroar a imagem de modo solene. No dia 29 de abril de 1908, a igreja recebeu o título de Basílica Menor. Grande acontecimento, e até central para a nossa devoção à Virgem, foi quando em 1929 o Papa Pio XI declarou Nossa Senhora Aparecida Padroeira do Brasil, com estes objetivos: o bem espiritual do povo e o aumento cada vez maior de devotos à Imaculada Mãe de Deus.

Em 1967, completando-se 250 anos da devoção, o Papa Paulo VI ofereceu ao Santuário de Aparecida a Rosa de Ouro, reconhecendo a importância do Santuário e estimulando o culto à Mãe de Deus.

Com o passar do tempo, a devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi crescendo e o número de romeiros foi aumentando cada vez mais. A primeira Basílica tornou-se pequena. Era necessária a construção de outro templo, bem maior, que pudesse acomodar tantos romeiros. Por iniciativa dos missionários Redentoristas e dos Senhores Bispos, teve início, em 11 de novembro de 1955, a construção de uma outra igreja, a atual Basílica Nova. Em 1980, ainda em construção, foi consagrada pelo Papa João Paulo ll e recebeu o título de Basílica Menor. Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) declarou oficialmente a Basílica de Aparecida Santuário Nacional, sendo o “maior Santuário Mariano do mundo”.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, rogai por nós!

 

FONTE: santo . cancaonova . com / santo / nossa – senhora – da – conceicao – aparecida –padroeira – do – brasil /

07 DE SETEMBRO – INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

indep

A Independência do Brasil ocorreu em 7 de setembro de 1822. A partir desta data o Brasil deixou de ser uma colônia de Portugal. A proclamação foi feita por D. Pedro I as margens do riacho do Ipiranga em São Paulo.

Causas:

– Vontade de grande parte da elite política brasileira em conquistar a autonomia política;

– Desgaste do sistema de controle econômico, com restrições e altos  impostos, exercido  pela  Coroa Portuguesa no Brasil;

– Tentativa da Coroa Portuguesa em recolonizar o Brasil.

Dia do Fico

– D. Pedro não acatou as determinações feitas pela Coroa Portuguesa que exigia  seu  retorno para Portugal. Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro negou ao chamado e afirmou que ficaria no Brasil.

Medidas pré independência:

Logo após o Dia do Fico, D. Pedro I tomou várias medidas com o objetivo  de  preparar  o país para o processo de independência:

– Organização a Marinha de Guerra

– Convocou uma Assembleia Constituinte;

– Determinou o retornou das tropas portuguesas;

– Exigiu que todas as medidas tomadas pela Coroa Portuguesa deveriam,  antes  de  entrar em vigor no Brasil, ter a aprovação de D. Pedro.

– Visitou São Paulo e Minas Gerais  para acalmar  os ânimos, principalmente  entre a população, que estavam exaltados em várias regiões.

A Proclamação da Independência

Ao  viajar  de  Santos  para  São  Paulo, D. Pedro  recebeu  uma  carta da Coroa Portuguesa que  exigia  seu  retorno  imediato para Portugal e anulava a Constituinte. Diante desta situação, D. Pedro deu seu famoso  grito, as margens do riacho Ipiranga: “Independência ou Morte!”

Pós Independência

– D. Pedro I foi coroado imperador do Brasil em dezembro de 1822;

– Portugal  reconheceu  a  independência, exigindo  uma  indenização  de  2  milhões  de libras esterlinas;

– Em  algumas  regiões  do Brasil, principalmente no Nordeste, ocorreram revoltas, comandadas por portugueses, contrárias  à  independência  do  Brasil. Estas manifestações foram duramente reprimidas pelas tropas imperiais.

 

FONTE: historiadobrasil . net/independencia/

BRASIL SE DISTANCIA DA MÉDIA MUNDIAL EM RANKING DE EDUCAÇÃO

AMIGOS LEITORES BRASILEIROS,
SERÁ QUE EVOLUIR UMA POSIÇÃO NO RANKING PORQUE O MÉXICO APRESENTOU QUEDA MAIOR  DO QUE O BRASIL É MOTIVO PARA  ACREDITARMOS QUE ESTAMOS BEM?
O BRASIL PRECISA URGENTE INVESTIR PESADO EM EDUCAÇÃO!
ACORDA BRASIL! TEMOS QUE FORMAR CIDADÃOS NO SENTIDO PLENO DO SEU SIGNIFICADO.
TEMOS QUE NOS TORNAR CIDADÃOS QUE SAIBAM NA PONTA DA LÍNGUA O CONCEITO DE NAÇÃO!

ABRAÇOS FRATERNOS AOS SEUS CORAÇÕES,
DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ E SABE O PORQUÊ.
 

26-08-2014

País piorou em índice que compara capacidade cognitiva e sucesso escolar de 40 nações; mesmo assim, subiu de penúltimo para antepenúltimo em lista.

O Brasil se distanciou da média de 40 países em um ranking que compara resultados de provas de matemática, ciência e leitura, e também índices como taxas de alfabetização e aprovação escolar.

No entanto, apesar de ter o seu índice piorado, o país subiu uma posição no ranking – de penúltimo para antepenúltimo – pois o México apresentou queda maior do que o Brasil no índice.

Esta é a segunda edição do relatório produzido pela empresa de sistemas de aprendizado Pearson (ligado ao jornal britânico Financial Times) e pela consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU).

O Brasil aparece na 38ª posição do ranking, na frente de México e Indonésia – um avanço de um lugar, na comparação com a edição de 2012.

O indicador do ranking é composto a partir duas variáveis: capacidade cognitiva (medida por resultados de alunos nos testes internacionais PISA, TIMSS e PIRLS) e sucesso escolar (índices de alfabetização e aprovação escolar).

O número usado para comparar os países (‘escore z’) indica o quão longe cada nação está da média dos 40 países (que é zero, nesta escala). Foram analisadas nações da Ásia, da Europa e das Américas – nenhum país africano participa do ranking.

Em 2012, o Brasil havia obtido um escore de -1.65; neste ano o indicador foi de -1,73, o que mostra que o país está mais distante da média dos 40 países. Já o México viu seu escore cair de -1,6 para -1,76. O sinal negativo indica que ambos os países estão abaixo da média dos 40 países.

O Brasil piorou nas duas variáveis – tanto na capacidade cognitiva (de -2,01 para -2,06) quanto no sucesso escolar (de -0,94 para -1,08).

Os escores são sempre comparados com a média das 40 nações. Então não é possível determinar ao certo se a piora do indicador do Brasil se deve a uma queda no desempenho dos alunos brasileiros, ou se houve uma melhora na média mundial.

Mais professores de ciência e matemática

‘Países em desenvolvimento ocupam a metade inferior do ranking, com a Indonésia novamente aparecendo em último lugar entre as 40 nações analisadas, precedida por México e Brasil’, diz o relatório produzido junto com o ranking (‘A Curva de Aprendizagem’).

‘É preciso questionar a habilidade dos sistemas educacionais destes países de suportar índices altos de crescimento econômico no longo prazo.’

Um dos capítulos do relatório discute ‘lições a serem aprendidas por países em desenvolvimento’ e conta com contribuições de Maria Helena Guimarães de Castro, diretora da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), um centro de pesquisas do governo do Estado de São Paulo.

 Castro é citada no relatório dizendo que o Brasil precisa de um aumento de 30% no número de professores de ciência e matemática para aliviar as pressões sob o contingente atual – que está sobrecarregado e carece de treinamento.

‘Nós não temos professores porque essa carreira não é atraente. Isso é um problema que não será resolvido a não se que o governo e os governantes decidam mudar isso’, diz a diretora do Seade, no documento da Pearson e EIU.

Ásia em alta

No topo do ranking, a novidade desta edição é a queda dos países escandinavos e a ascensão de asiáticos.

A Finlândia, que liderava a edição de 2012, viu seu escore piorar de 1,26 para 0,92 – caindo quatro posições e sendo ultrapassada por Coreia do Sul, Japão, Cingapura e Hong Kong. O relatório afirma que países escandinavos, como Suécia e Finlândia, tem visto nos últimos anos as notas de seus alunos piorarem nos testes internacionais.

A Coreia do Sul é o país com a melhor média em relação às 40 nações. Um dos destaques positivos do ranking foi a Rússia, cujos alunos melhoraram suas notas nas avaliações. Com isso, a Rússia subiu sete posições, de 20° para 13°.

FONTE: g1 . globo . com/educacao/noticia/2014/05/brasil-se-distancia-da-media-mundial-em-ranking-de-educacao . html

NÃO VAMOS DESISTIR DO BRASIL

NÃO VAMOS DESISTIR DO BRASILAMIGOS EU ACEITO O CHAMADO! E VOCÊ?

VAMOS HONRAR AS CORES E OS VALORES QUE O NOSSO PAÍS POSSUI. A NOSSA NAÇÃO DEPENDE DE NÓS “POVO BRASILEIRO” PARA MUDAR. ENTENDAM BEM, ESTOU FALANDO EM NÍVEL DE PAÍS.

DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ. E SABE O PORQUÊ.

 

22 DE ABRIL – DIA DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL

dia_descobrimento_brasil

Ainda hoje, a data de 22 de abril é marcada oficialmente como o dia em que a Coroa Portuguesa anunciou o descobrimento das terras brasileiras. Durante muito tempo, esse evento de dimensões históricas foi interpretado como o resultado de uma aventura realizada por corajosos homens do mar que se lançaram ao desconhecido e encontraram uma nova terra. Contudo, apesar de empolgante, existem outras questões por trás dessa versão da história que marcou o ano de 1500.

Mesmo antes de chegar ao Brasil, a Coroa Portuguesa estava inserida em uma acirrada disputa econômica onde os estados nacionais europeus disputavam a expansão de suas atividades mercantis. Dessa forma, cada avanço tecnológico, terra conquistada ou rota descoberta tornava-se um precioso “segredo de Estado”. Antes de sair anunciando uma conquista aos quatro ventos, os governantes daquela época avaliavam minuciosamente os interesses e circunstâncias que envolviam esse tipo de exposição.

Uma das primeiras pistas que nos indicam esse tipo de planejamento envolvendo o descobrimento do Brasil se deu quando Portugal exigiu a anulação da Bula Inter Coetera e a assinatura do Tratado de Tordesilhas. Afinal de contas, por que os portugueses repentinamente chegaram à conclusão de que uma nova divisão das terras coloniais deveria ser realizada? De fato, essa é uma das muitas outras questões que fazem a versão romântica do descobrimento cair por terra.

Quando chegamos em 1500, o rei português Dom Manuel I autorizou que o navegante Pedro Álvares Cabral organizasse uma esquadra que, segundo consta, deveria aportar na Índia. Para tal propósito foi designada o uso de oito naus, três caravelas, um navio de mantimentos e uma caravela mercante. Além disso, foram convocados aproximadamente 1500 homens, incluindo capitães, tripulantes, soldados e autoridades religiosas.

Entre esses vários participantes da viagem marítima estava o cosmógrafo Duarte Pacheco da Costa, que, segundo aponta alguns historiadores, tinha participado de uma expedição secreta que já havia chegado ao Brasil no ano de 1498. Além disso, um ano após essa sigilosa viagem, outros indícios apontam que os navegadores Américo Vespúcio e Vicente Pinzón também fizeram uma breve visita ao Brasil. Mais uma vez, fica difícil acreditar que os portugueses não sabiam o que estavam fazendo.

Para celebrar a partida de Pedro Álvares Cabral e seus experientes auxiliares para essa viagem ao Oriente, o rei organizou uma enorme festa de comemoração que contou com a presença de espiões de outras nações mercantis da Europa. Dessa forma, nada poderia levar a crer que os dirigentes portugueses tinham outro plano, senão, circunavegar a costa africana e – assim como Vasco da Gama – realizar um novo contato comercial com os indianos.

Contudo, mesmo estando muito bem amparada, a esquadra de Cabral “repentinamente” seguiu uma rota marítima completamente inesperada. As embarcações tomaram distância da costa africana e realizaram uma passagem pela ilha atlântica de Cabo Verde. Depois disso, seguiram uma viagem tranquila que percorreu 3600 quilômetros a oeste. Passados exatos trinta dias da passagem por Cabo Verde, os navegantes portugueses avistaram o famoso Monte Pascoal.

Chegando ao território brasileiro, inicialmente chamado de “Vera Cruz”, o escrivão oficial, Pero Vaz de Caminha, se pôs a tecer um relato sobre as terras, mas sem citar nenhum tipo de surpresa por parte de seus companheiros. Depois do reconhecimento das terras, Pedro Álvares Cabral não fez questão de contar pessoalmente sobre a presença de “novas terras” a oeste. Ao invés disso, partiu para a Índia e mandou o navegante Gaspar Lemos oficializar a descoberta levando a carta de Pero Vaz ao rei.

Apesar de tantas evidências justificarem a ação premeditada dos portugueses, não podemos deixar de salientar que o enfrentamento dos mares era uma tarefa de grande peso. As más condições de higiene, a falta de água e alimentos tornava a viagem um admirável desafio. Além disso, só depois da oficialização feita em 1500 é que se vivenciaram os tantos outros episódios que, ao longo dos séculos, explica a peculiar formação da nação brasileira.

Por Rainer Sousa
Mestre em História

Fonte: www . brasilescola . com/datas-comemorativas/dia-do-descobrimento-do-brasil . htm

MAIS UMA TENTATIVA DE RETROCESSO

AMIGOS, LEITORES,

ESSA MATÉRIA É IMPORTANTE CONHECER. É SAÚDE E VIDA.

ACORDA BRASIL!

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe por quê.

 

 

A Fundação Oswaldo Cruz divulgou uma carta aberta em que se manifesta contrária à flexibilização da lei sobre agrotóxicos no País, principalmente quanto às mudanças previstas no Projeto de Lei 12.873 e no Decreto 8.133, ambos de 2013, que facilitam a importação de agrotóxicos em casos de pragas, sem necessitar de avaliação prévia dos órgãos reguladores brasileiros. Na carta, a Fiocruz afirma que a “crescente pressão dos conglomerados econômicos de produção de agroquímicos para atender às demandas do mercado” tem suprimido a “função reguladora do Estado”. A entidade, que integra o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária e as ações de vigilância à saúde e disponibiliza, desde 1985, informações sobre os problemas relacionados aos agrotóxicos, alerta ainda, citando pesquisas internacionais, para os riscos, perigos e danos provocados à saúde de trabalhadores e comunidades rurais expostos a esses produtos, inclusive por meio de pulverizações aéreas de “eficácia duvidosa”.

Não é de se espantar que, mais uma vez, estamos diante de uma tentativa de alteração da legislação que trata do controle dos agrotóxicos no País. Recentemente, no Rio Grande do Sul – estado pioneiro no que se refere à regulamentação desses produtos – tentou-se permitir a comercialização de agrotóxicos cujo uso não é permitido no país de origem. Por trás dessas sucessivas tentativas de flexibilização da lei, está uma das mais poderosas indústrias do mundo: a agroquímica. Aliada a setores ligados ao agronegócio, esta indústria colocou o Brasil no vergonhoso primeiro lugar no uso de agrotóxicos em todo o planeta.

As reiteradas tentativas de flexibilização da legislação sobre agrotóxicos vão de encontro a modos de produção sustentáveis e às medidas e ações de incentivo a sistemas de produção de base ecológica, como, por exemplo, o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), que pode ser considerado um marco no reconhecimento institucional e na formulação de políticas públicas que incorporam os princípios da Agroecologia. É importante que a sociedade brasileira tome conhecimento dessas inaceitáveis mudanças na lei dos agrotóxicos e suas repercussões para a saúde e a vida.

Jaime Miguel Weber

Engenheiro-agrônomo e presidente substituto da Emater/RS

http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=155689

DIA DE REIS – 6 de janeiro

AMIGOS, JÁ ESTAMOS EM 2014, VAMOS CONTINUAR A NOSSA COMUNICAÇÃO POR ESTE CANAL, QUE PRIMA PELO INTERESSE DA SOCIEDADE E SEMPRE EM PROL DO BEM COMUM. MATÉRIAS CARINHOSAMENTE SELECIONADAS COM ATENÇÃO DEDICADA E FOCO EXCLUSIVO NO LEITOR. VOCÊ! CONTINUE CONOSCO!

ENTÃO INICIAREMOS COM ESTA MATÉRIA SOBRE O DIA DE REIS, VAMOS PRESERVAR AS NOSSAS TRADIÇÕES.

DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ. E SABE POR QUÊ.

dia de reis

Palhaço que faz a proteção de Jesus e a bandeira da folia

No dia 06 de janeiro comemora-se o dia de Reis, que na tradição cristã foi o dia em que os três reis magos levaram presentes a Jesus Cristo.

Cada um dos reis magos saiu de sua localidade de origem, ao contrário do que pensamos – que viajaram juntos.

Baltazar saiu da África, levando para o menino mirra, um presente ofertado aos profetas. A mirra é um arbusto originário desse país, onde é extraída uma resina para preparação de medicamentos.

O presente do rei Gaspar, que partiu da Índia, foi o incenso, como alusão à sua divindade. Os incensos são queimados há milhões de anos para aromatizar os ambientes, espantando insetos e energias negativas, além de representar a fé, a espiritualidade.

Melchior ou Belchior partiu da Europa, levando ouro ao Messias, rei dos reis. O ouro simbolizava a nobreza e era oferecido apenas aos deuses.

Em homenagem aos reis magos, os católicos realizam a folia de reis, que se inicia em 24 de dezembro, véspera do nascimento de Jesus, indo até o dia 06 de janeiro, dia em que encontraram o menino.

A folia de reis é de origem portuguesa e foi trazida para o Brasil por esses povos na época da colonização.

Durante os festejos, os grupos saem caminhando pelas ruas das cidades, levando as bênçãos do menino para as pessoas que os recebem. É tradição que as famílias ofereçam comidas aos integrantes do grupo, para que possam levar as bênçãos por todo o trajeto.

Os integrantes do grupo da folia de reis são: mestre, contramestre, donos de conhecimentos sobre a festa, músicos e tocadores, além dos três reis magos e do palhaço, que dá o ar de animação à festa, fazendo a proteção do menino Jesus contra os soldados de Herodes, que queriam matá-lo. Além desses personagens, os foliões dão o toque especial, seguindo o cortejo.

Uma tradição bem diferente da nossa acontece na Espanha, onde as crianças deixam sapatos nas janelas, cheios de capim ou ervas, a fim de alimentar os camelos dos Reis Magos. Contam as lendas que em troca, os reis magos deixam doces e guloseimas para as crianças.

Em alguns países fazem a comemoração repartindo o Bolo Rei, que tem uma fava no meio da massa. A pessoa que for contemplada com a fava deve oferecer o bolo no ano seguinte.

Na Itália a comemoração recebe o nome de Befana, uma bruxa boa que oferece presentes às crianças. No país não existe a tradição de se presentear no dia 25 de dezembro, mas no dia 06 de janeiro, dia de reis.

O dia de reis é tão importante na Europa que se tornou feriado em todo o continente.

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-de-reis.htmPor Jussara de Barros – Graduada em Pedagogia- Equipe Brasil Escola

%d blogueiros gostam disto: