Arquivo da categoria: Saúde

10 DE NOVEMBRO – A HISTÓRIA DO TRIGO

O começo

slidelinhatempo01

O trigo começou a ser cultivado por volta de 10000 a.C., em uma região conhecida como Crescente Fértil – que hoje iria do Egito ao Iraque, estendendo-se pelo mar Mediterrâneo. Foi quando nasceu a agricultura.”

slidelinhatempo02

Naquela época, os grãos de trigo eram degustados pelos povos antigos numa espécie de papa, em que eram misturados com peixes, castanhas, frutas e água.”

slidelinhatempo03

Por volta de 4000 a.C., os egípcios observaram o processo de fermentação de uma massa feita de farinha de trigo e assim nasceu o verdadeiro pão.”

slidelinhatempo04

“A demanda de pães no Egito daquela época já era enorme, isso porque eles não só abasteciam a população como também eram oferecidos aos mortos, além, é claro, de servir de oferenda para os deuses.”

slidelinhatempo05

Os primeiros biscoitos também apareceram no Egito. “As receitas eram à base de trigo, água e mel, e os confeiteiros moldavam figuras de seres humanos e animais para oferecer às divindades.”

slidelinhatempo06

Estima-se que no século 9 os árabes tenham levado o macarrão – que teria origem chinesa – para a Itália. “Eram preparações feitas de farinha e água, cortadas em fios que secavam ao sol para que pudessem se conservar por longos períodos.”

slidelinhatempo07

No século 11, em Nápoles, Itália, os cozinheiros começaram a incluir verduras e queijo em um disco redondo de massa. “É de lá que vem o termo picea, que seria a origem do nome da pizza.”

slidelinhatempo08

No século 15, os biscoitos foram extremamente úteis durante as navegações. “Além de garantir doses de carboidratos aos navegantes, a vantagem era que não pereciam.”

slidelinhatempo09

Embora, por milhares de anos, os povos antigos já misturassem a farinha de trigo com o mel, podemos dizer que a verdadeira confeitaria surgiu no século 15, na Baixa Idade Média, quando os europeus passaram a usar o açúcar nas primeiras receitas de bolos com coberturas de glacê.”

slidelinhatempo10

O macarrão instantâneo, conhecido como lámen, foi criado no Japão em 1958 por Momofuku Ando (1910-2007). “O empresário resolveu criar o produto ao observar pessoas famintas em uma fila para pegar sopa.”

http://www.trigoesaude.com.br/trigo-e-derivados/linha-do-tempo.shtml

Anúncios

CIENTISTAS USAM SUPER MARIO 64 PARA DESCOBRIR QUE VIDEOGAME FAZ BEM AO CÉREBRO

nitendo64

Segundo a pesquisa, os games ajudam a desenvolver a memória e a coordenação motora, além de auxiliar no tratamento de Alzheimer

Sempre que aquela sua tia falar pra você parar de perder tempo com os games, mostre pra ela a pesquisa da Charité University Medicine St. Hedwig-Krankenhaus, da Alemanha, que mostra que jogar videogame faz bem para o cérebro.

De acordo com a pesquisa, feita em parceria com o Instituto Max Planck para Desenvolvimento Humano, jogar desenvolve as regiões do cérebro responsáveis pela orientação espacial, formação de memória, coordenação motora e até planejamento estratégico.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores separaram dois grupos de adultos e escalaram o nosso amigo Mario para os testes. Um grupo de adultos jogou Super Mario 64 diariamente por 30 minutos, ao longo de dois meses. O outro grupo ficou sem jogar no mesmo período. Usando ressonância magnética, os cientistas descobriram que o grupo dos jogadores apresentou aumento da massa cinzenta, local em que as células nervosas estão situadas.

O aumento da massa cinzenta, segundo os resultados da pesquisa, foi observado no hipocampo direito, no córtex pré-frontal direito e no cerebelo. Nós não entendemos muito o que esses termos querem dizer, mas os pesquisadores garantem que essas regiões do cérebro estão diretamente ligadas a funções como navegação espacial, formação de memória, coordenação e planejamento.

“Isso prova que regiões específicas do cérebro podem ser treinadas usando games”, afirmou Simone Kühn, líder da pesquisa. Segundo a cientista, os resultados mostram que os games podem ser usados para tratamento de pacientes com stress pós-traumático ou mal de Alzheimer, por exemplo.

fonte:http: // jogos .br. msn. com/ culturagamer/cientistas-usam-super-mario-64-para-descobrir-que-videogame-faz-bem-ao-cerebro

8 DE NOVEMBRO – DIA DO RADIOLOGISTA

raiox

O que é ser um médico radiologista?

No Brasil a radiologia ou diagnóstico por imagem é conhecida como uma das especializações da medicina, ciência que estuda órgãos ou estruturas através da utilização de raios-x que envolve um processo de revelação.

Esses avançados aparelhos permitem, através de imagens do corpo humano, definir e diagnosticar doenças.

O médico radiologista é o profissional responsável pela realização de exames, análise e interpretação das imagens obtidas através de raios-x e, também, pela emissão de laudos ou relatórios.

O radiologista, bem como todos os profissionais da área da saúde, deve priorizar o bem-estar da sociedade e dos pacientes, e, por isso, devem seguir à risca o Código de Ética Profissional.

Quais as características necessárias para ser um radiologista?

Primeiramente, o indivíduo que se propõe a fazer medicina deve ter grande gosto por ler e estudar, já que a profissão demanda anos de dedicação.

Características desejáveis:

Autoconfiança

Autocontrole

Capacidade de decisão

Capacidade de lidar com enfermidades graves

Capacidade de pensar e agir sob pressão

Interesse pela ciência e pelo corpo humano

Paciência

Discrição

Equilíbrio emocional

Espírito solidário

Constante atualização

Domínio da tecnologia de todos os equipamentos utilizados

Conhecer a legislação sobre proteção radiológica

Qual a formação necessária para ser um radiologista?

O profissional que for seguir a carreira de radiologia deverá ter uma formação de curso superior completa em medicina, para então se especializar em Radiologia e Diagnóstico por Imagem curso devidamente reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina.

O curso envolve uma variedade de técnicas e inclui Radiologia Convencional, Radiologia Contrastada, Ultra-Sonografia, Medicina Nuclear, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética e Densitometria.

Durante ou após a especialização o médico radiologista deve fazer residência medica para colocar em prática os conhecimentos aprendidos no curso.

O programa de residência deve oferecer o mínimo de três anos de educação supervisionada por profissionais altamente qualificados (incluindo férias e períodos de congressos) nos campos de Radiologia ou Diagnóstico por Imagem.

Portanto, o médico radiologista tem necessidade de atualização constante e que exige muita dedicação, através da participação em eventos, reuniões científicas e discussões de casos.

Principais atividades

As principais atividades de um radiologista variam conforme sua agenda e sua rotina.

Contudo, algumas das atividades básicas durante seu dia-a-dia são:

Pautar as atividades profissionais, observando as regras da radiologia

Obter imagens do corpo humano utilizando os equipamentos necessários, de acordo com a necessidade do paciente

Analisar a imagem radiológica obtida para diagnosticar se há ocorrência de doenças ou não

Elaboração de um laudo sobre as condições do paciente para que seja passado adiante aos clínicos e cirurgiões especializados.

Áreas de atuação e especialidades

Um profissional da radiologia pode atuar em diversas áreas, tais como:

Radiologia médica – envolve a geração e análise de imagens por raios X, tomografia computadorizada, ressonância magnética nuclear e medicina nuclear. As especialidades dentro da radiologia médica compreendem a atuação com mamografia, hemodinâmica, densitometria óssea, ultra-sonografia, com observação para o corpo humano em neuro-imagem, músculo-esquelético, cabeça e pescoço, tórax, mama, medicina interna, genito-urinário e vascular intervencionista.

Radiologia odontológica (dentista) – formação da imagem para diagnóstico de afecções da face, cabeça e cavidade oral.

Entre as tecnologias mais utilizadas tem-se:

Radiografia

Mamografia

Ultra-sonografia

Densitometria Óssea

Tomografia

Ressonância

Angiografia

Radiologia Intervencionista

Nas últimas décadas foram acrescentados novos métodos aos já tradicionais raios-x, como a ultra-sonografia, a ressonância nuclear magnética, novos equipamentos de tomografia computadorizada e muitos outros que contribuem para o avanço da área. O profissional pode atuar em hospitais e centros médicos públicos ou privados, e ainda pode ser um radiologista em convênios médicos, que muitas vezes compram os serviços de especialidades.

Mercado de trabalho

O mercado para o profissional de radiologia é muito vasto, sendo que existem muitas áreas e diferentes locais de atuação, além de ser uma especialidade médica que sempre se renova e avança o que atrai muitos investimentos, ou seja, mais uma grande oportunidade para os profissionais.

Hoje com o desenvolvimento tecnológico, os métodos diagnósticos por imagem possibilitam ao médico a obtenção de informações sequer imaginadas há menos de dez anos, com uma rapidez e eficiência que valorizam muito o profissional. Ninguém melhor do que o médico radiologista para mostrar todo o potencial que os métodos diagnósticos por imagem trazem para a Medicina atual. Cabe a ele valorizar a tecnologia como instrumento a serviço do médico, para oferecer ao paciente o que há de melhor.

Apesar da medicina ser um curso difícil e longo, as especializações geralmente compensam o profissional que as possuir, já que o currículo será mais elaborado.

Com isso, o profissional de Radiologia pode empregar-se em hospitais de diversos níveis, tanto público quanto privado, sendo a remuneração de acordo com o local escolhido.

Curiosidades

Em 8 de novembro de 1895, Wilhelm Konrad Roentgen descobre a existência e a produção da radiação X. Hoje, sabe-se que esses raios eram correntes de elétrons, que são liberados pelo rápido movimento dos íons do gás bombardeando a superfície de um cátodo aquecido. Os íons são produzidos durante a descarga do gás. Os elétrons chocam-se contra a superfície de vidro, perdem sua energia, o vidro fica aquecido e pode-se observar efeitos luminosos (luz verde ou azul, dependendo da composição química do vidro). A superfície aquecida da parede de vidro é a fonte de raios-X.

Desde esta época, até os dias de hoje, surgiram várias modificações nos aparelhos iniciais objetivando reduzir a radiação nos pacientes, pois acima de certa quantidade sabia-se que era prejudicial à saúde. Assim surgiram os tubos de Raios X, diafragmas para reduzir a quantidade de Raios X e diminuir a radiação secundária que também piorava a imagem final.

Em 1920, iniciaram-se os estudos relativos à aplicação dos raios-X na inspeção de materiais dando origem à radiologia industrial.

No Brasil, Manuel de Abreu desenvolveu a Abreugrafia, um método rápido de cadastramento de pacientes para se fazer radiografias do tórax, tendo sido reconhecida mundialmente.

Fonte: http://www.brasilprofissoes.com.br

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/novembro/dia-do-radiologista.php

 

PIPOCA FAZ BEM À SAÚDE, NÃO ENGORDA E ATÉ PREVINE ALGUMAS DOENÇAS

pipoca-mitos-verdades-650x350

A pipoca, se preparada e consumida da forma correta, pode trazer vários benefícios para nossa saúde, pois possui nutrientes importantes para o organismo. O problema está nos acompanhamentos utilizados no preparo. “A margarina e a manteiga não são indicadas, pois saturam mais rápido que o óleo. E quanto mais saturada, pior para nossa saúde, pois provocam aumento do colesterol ruim, o LDL, e a redução do colesterol bom, HDL, além de aumentar a quantidade de calorias”, explica a nutricionista Paula Castilho.

A quantidade de sal e temperos prontos também deve ser controlada, já que a concentração de sódio, em excesso, aumenta os riscos de hipertensão arterial e pode desencadear outras disfunções como retenção líquida e sobrecarga renal. A nutricionista esclarece alguns mitos e verdades sobre a pipoca. Confira!

Pipoca faz mal.
Mito. 
A pipoca pode ser uma alternativa saudável, quando comparada a outros aperitivos de alta densidade energética e com baixos nutrientes. Por ser um cereal integral natural, está associado ao auxílio no controle do peso corporal e na redução do risco de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares. O alimento também possui grande quantidade de fibras, por isso, tende a melhorar o funcionamento intestinal tanto na regularidade quanto na consistência e na formação do bolo fecal, beneficiando também a saciedade.

A pipoca pode ajudar na prevenção de doenças.
Verdadeiro. 
Por conter altas doses de polifenóis, antioxidantes que protegem as células do organismo contra os danos causados pelos radicais livres, a pipoca desacelera o envelhecimento, além de prevenir doenças degenerativas, como o câncer. Também eleva a concentração de antioxidante, que auxiliam na prevenção do diabetes, câncer, controle dos índices de colesterol, triglicerídeos e da glicemia, retardando o processo de esvaziamento gástrico. Por conter zeaxantina e luteína, duas substâncias antioxidantes que contribuem com a saúde dos olhos, previne ainda a catarata e degeneração macular.

A pipoca doce faz mais mal que a salgada.
Verdade.
 A pipoca doce é mais calórica, pois tem o açúcar. Logo faz mais mal.

A pipoca tradicional é melhor que a  de micro-ondas.
Verdade.
 As pipocas de micro-ondas também devem ser evitadas, pois possuem excesso de conservantes e sódio, além de serem extremamente calóricas.

A pipoca não deve ser consumida diariamente.
Mito.
 O consumo pode ser de 20 g ou 1 ½ xícara ao dia. Mas acrescentar complementos como queijo, bacon, sal, leite condensado, entre outros, faz mal, especialmente por conta das calorias. O segredo é colocar apenas um fiozinho de óleo na hora de estourar, além de pouco sal. Um saquinho da versão sem óleo tem 30 calorias.

A pipoca não pode substituir uma refeição.
Verdadeiro. 
Ela não pode substituir uma refeição inteira, mas ainda assim é uma boa escolha na hora de comer uma “besteira”. Mas apesar de possuir muitos antioxidantes, não podemos esquecer de consumir verduras e frutas, pois a pipoca não tem os mesmos benefícios. O ideal é ter uma dieta equilibrada.

A pipoca é perigosa para quem tem diabetes.
Mito. 
A pipoca possui o amido resistente, e esse carboidrato passa intacto (ou quase) pelo aparelho digestivo e, assim, não provoca altas repentinas nos níveis de glicose.

Fonte:http:// www. bolsademulher . com/ gourmet / pipoca-faz-bem-a-saude-nao-engorda-e-ate-previne-algumas-doencas/

DIA 18 DE OUTUBRO DIA DO MÉDICO

datas-comemorativas-dia-do-medico-687380

Quando nascemos, recebemos diferentes missões. A sua missão é de salvar vidas! Pelo talento de suas mãos, transforma todo homem em bonança. Sua alma não se contém diante do desespero de uma criança ou de um idoso. Por isso, você vai operando milagres, trazendo esperança a corações desesperançados.

Falar de seu ofício de médico não é fácil. Existem muitas dificuldades e seu trabalho é incansável. Sabemos que você o faz por amor ao ser humano, altruísta sempre. Não há tempos, nem momentos para fazer o bem, por isso, devemos a você nossa saúde. Você não escolhe dia para exercer a sua profissão.

Para você, todo dia é dia de salvar vidas. Por isso, seremos sempre gratos e rendemos nossas homenagens. Nosso sincero agradecimento de quem sabe que, sem você, nossa vida não seria tão feliz.

Feliz dia do médico!”

Fonte:http:/ www. mensagenscomamor . com/mensagem _homenagem_frases_dia_do_medico.htm

1° DE OUTUBRO DIA MUNDIAL DA TERCEIRA IDADE

terceiraidade

Em dezembro de 1990, a Assembleia Geral da ONU incluiu o 1° de outubro no calendário de suas comemorações especiais. Estava estabelecido o Dia Internacional do Idoso, celebrado com o objetivo de promover a discussão sobre os direitos e condições de vida da terceira idade.

Segundo a legislação brasileira, compõem o time da terceira idade pessoas com 60 anos ou mais, que hoje representam 12% da população total, de acordo com o Censo 2010. No entanto, com o crescente aumento da qualidade de vida no país, a expectativa é de que, em 2050, um em cada três brasileiros esteja com mais de 60 anos.

Para proteger e garantir os direitos do idoso foi sancionada, em 28 de dezembro de 2006, a Lei nº11.433 que criou o Estatuto do Idoso. Segundo ele, todo cidadão com 60 anos ou mais deve ter desconto de 50% nas atividades culturais e educativas; programas nos meios de comunicação com conteúdos culturais e educativos sobre o processo do envelhecimento e gratuidade nos transportes públicos urbanos, entre outros benefícios. O Estatuto garante também penalidades para quem mostrar imagens que desrespeitem as pessoas mais velhas ou para quem abandonar o idoso sem assistência.

A criação do Estatuto segue a tendência mundial do envelhecimento da população. Nos países desenvolvidos, a expectativa de vida é de 75 anos e com os avanços da medicina, essa população vem se tornando cada vez mais ativa e saudável.

Para envelhecer bem é necessário que a pessoa, ainda na idade adulta, pratique esportes de acordo com sua capacidade física, mantenha uma alimentação saudável e de qualidade, participe de programas de integração social, mantendo relacionamentos com outras pessoas de sua idade, pratique atividades produtivas, etc.

Envelhecer não é um processo fácil, muitas vezes causa depressão, desânimo, pois as pessoas vão sentindo que não tem mais valor para o trabalho, nem para seus entes queridos e familiares. Socialmente, nada há mais triste que abandonar idosos em lares, não permitindo a cooperação e a partilha de saberes entre as diferentes gerações.

É preciso que os idosos sejam tratados com reverência e consideração, por serem mais velhos e por terem mais experiência de vida, aspectos fundamentais para a sua estabilidade emocional. Sendo assim, estando com o lado emocional equilibrado, a saúde mental será muito mais valorizada e proveitosa.

Fonte: http:// gonzagapatriota. com.br /2013 /dia-mundial-da-terceira-idade/

PARABÉNS AOS NUTRICIONISTA

dia do nutricionista copy

BRASIL VAI TESTAR VACINA CONTRA DENGUE EM HUMANOS

Vacina

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o Instituto Butantan a fazer testes da vacina contra a dengue em seres humanos. O teste terá a duração de cinco anos e será feito em 300 voluntários. Segundo o Ministério da Saúde, a autorização dada pela Anvisa é para a fase dois do estudo e visa a analisar efetivamente a eficácia e segurança da vacina tetravalente e que pretende prevenir a população contra os quatro tipos da doença (1, 2, 3 e 4).

Os testes em pessoas serão feitos no Instituto Central (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo-USP); no Instituto da Criança (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP) e no Hospital das Clínicas (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP). O ministério está investindo R$ 200 milhões na pesquisa da vacina contra a dengue e projetos de outros produtos biológicos.

A pesquisa da nova vacina foi iniciada em 2006 pelo Instituto Butantan. Se for aprovada em todas as etapas da pesquisa clínica, poderá ser vendida e distribuída à população. A perspectiva do governo, em caso de sucesso em todas as etapas, é atender a demanda global e também exportar a vacina contra a dengue.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, avalia que a autorização para os testes é um grande passo para o enfrentamento da doença e faz parte dos esforços do governo para proteger a população contra a dengue.

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), também está pesquisando uma vacina contra a dengue com apoio do Ministério da Saúde. Os estudos começaram em 2009, em parceria com o laboratório privado GSK.

Edição: Carolina Pimentel

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

Fonte: MSN e Agência Brasil – Todos os direitos reservados.

CIENTISTAS DESCOBREM MUTAÇÕES QUE DÃO ORIGEM A TIPOS COMUNS DE CÂNCER

cancer-de-pulmao-20110608-size-598

Cientistas britânicos descobriram mutações que dão origem à maioria dos tipos mais comuns de câncer. Eles consideram um passo promissor na busca por um tratamento mais eficaz contra a doença.

Foi como um trabalho de detetive: usando poderosos computadores e amostras de sete mil tumores, os cientistas seguiram o rastro do câncer em busca de pistas.

Os pesquisadores descobriram 21 tipos de mutações genéticas, chamadas por eles de “assinaturas”, que estão por trás de 97% das 30 formas mais comuns de câncer.

Já se sabe que o cigarro, o excesso de sol e o envelhecimento provocam alguns tipos de câncer, mas falta descobrir muitos outros fatores que causam mutações nas células do nosso corpo para que elas virem tumores.

“Algumas dessas mutações são específicas de certos tipos de câncer. Mas outras aparecem em vários casos”, diz a pesquisadora Selena Mik-Zainal.

Uma delas seria causada por uma classe de enzimas, responsável por defender o corpo de vírus. Elas modificam os vírus para impedir que eles se reproduzam, mas teriam um duplo papel, mudando também as nossas células e levando à formação do câncer.

Segundo os cientistas, a descoberta pode levar à criação de novos medicamentos, ao diagnóstico cada vez mais precoce e à prevenção mais eficiente. Ao saber o que causa as mutações, podemos evitar que elas aconteçam.

Fonte: http: // g1. globo. com /jornal-nacional /noticia /2013 /08 / cientistas-descobrem-mutacoes-que-dao-origem-tipos-comuns-de-cancer.html

POSSO FICAR COM O CONVÊNIO MÉDICO APÓS SER DEMITIDO?

capa

Não existe previsão legal de obrigatoriedade de concessão de convênios médicos pela empresa aos seus empregados. Por vezes, isto vem contido em convenção coletiva de trabalho/acordos ou são oriundas de contratos individuais de trabalho

Se o plano de saúde for fornecido aos empregados por força de norma autônoma coletiva, basta  verificar qual o regramento adotado no contrato. Caso o plano de saúde seja fornecido pela empresa apenas por força do vínculo de emprego (contratação coletiva por adesão) ou mesmo nas hipóteses em que a convenção coletiva não traz a previsão expressa quanto ao final do contrato de trabalho, a Lei 9.656/98 (art. 30 e 31) prevê duas hipóteses:

1) Em planos de saúde de coparticipação ou contributivos (contratação coletiva empresarial) – Resolução Normativa DC/ANS Nº 195, DE 14 de julho de 2009 – o encerramento do contrato de emprego sem justa causa ou em caso de aposentadoria garante ao empregado a condição de beneficiário por um período limitado de seis meses a dois anos, desde que passe a arcar integralmente com valor das prestações (cota parte da empresa e cota parte do empregado) e que não participe de outro convênio coletivo.

2) Em convênios médicos que são suportados integralmente pela empresa, após o encerramento do vínculo de emprego, não há a possibilidade de manutenção da condição de beneficiário do plano coletivo nem mesmo se arcar integralmente com o valor.

Em resumo: o ex-empregado só poderá permanecer no plano de saúde (pelo prazo mínimo de seis meses e no máximo dois anos) se for participante de uma contratação coletiva empresarial com coparticipação; se for demitido sem justa causa e se assumir integralmente o valor das parcelas.

A possibilidade também se estende ao aposentado que contribuir para produtos de que tratam o inciso I e o § 1º do art. 1 desta Lei, em decorrência de vínculo empregatício, pelo prazo mínimo de dez anos. É assegurado o direito de manutenção como beneficiário nas mesmas condições de cobertura assistencial de que gozava quando da vigência do contrato de trabalho, desde que assuma o pagamento integral.

Fonte: http: / / economia .uol. com. br/ empregos-e-carreiras /noticias /redacao /2013 /07 /17 / duvida-posso-ficar-com-o-convenio-medico-apos-ser-demitido.htm

APÓS TRANSPLANTE DE MEDULA, DOIS PACIENTES EM BOSTON SE LIVRAM DO HIV

A-m-virus

Dois pacientes com HIV foram identificados como livres da infecção após passarem por transplante de medula para tratar um câncer sanguíneo, segundo anúncio nesta quarta-feira em uma conferência internacional sobre Aids. O tratamento que permitiu aos pacientes abandonar a medicação contra o HIV foi realizado em Boston, nos Estados Unidos.

O resultado lembra o caso conhecido como “o paciente de Berlim”. Timothy Ray Brown recebeu o transplante de medula de um doador com uma rara mutação que oferece resistência ao HIV e não apresentou sinais da infecção mesmo cinco anos após o tratamento.

Segundo os pesquisadores, os casos de Boston, assim como o de Brown, não representam uma alternativa para os 34 milhões de pessoas com HIV. O tratamento só foi possível devido ao câncer sanguíneo dos pacientes, que tiveram acesso a hospitais com os recursos avançados necessários para realizar esse tipo de transplante.

Segundo a presidente da Sociedade Internacional da Aids e pesquisadora responsável pela descoberta do vírus HIV, Françoise Barré-Sinoussi, as descobertas de Boston são “muito interessantes e encorajadoras”. O anúncio dos casos foi feito na conferência anual da entidade, em Kuala Lumpur, na Malásia.

Médicos do Brigham and Women’s Hospital, onde os tratamentos foram realizados, evitam falar em cura. A técnica utilizada envolve um enfraquecimento do sistema imunológico antes do transplante da medula óssea. Esse procedimento pode ser fatal em até 20% dos casos. “Não podemos falar em cura, o acompanhamento dos pacientes [após o tratamento] ainda é muito curto”, explicou ainda uma das médicas responsáveis.

Os médicos explicam que após o transplante as novas células atacam as células antigas do paciente em um processo que pode durar nove meses e, sem controle, pode ser fatal. Os pacientes de Boston usaram imunossupressores e esteroides e continuaram com a medicação contra o HIV para que o vírus não se reproduzisse. Como as células antigas, onde o vírus se aloja, foram eliminadas, os especialistas acreditam que os pacientes podem ter se livrado completamente da infecção.

Segundo os médicos, seria antiético fazer o tratamento em pacientes que não estivessem em estado crítico, especialmente porque a maioria das pessoas com HIV pode levar uma vida praticamente normal fazendo uso de medicamentos.

Um dos pacientes abandonou os remédios contra o HIV há sete semanas. O outro está sem medicação há 15 semanas. Nenhum traço do vírus foi encontrado em seus sistemas imunológicos desde então. Em casos normais de abandono dos antirretrovirais, o vírus volta a aparecer em menos de um mês, mas o período pode variar dependendo do paciente. “Pode voltar em uma ou seis semanas”, explica Timothy Henrich, médico responsável pelos pacientes de Boston. “Só o tempo dirá”, acrescenta.

Fonte: http:// www1 .folha .uol. com. br/equilibrioesaude /2013 /07 /1305502-apos-transplante-de-medula-dois-pacientes-em-boston-se-livram-do-hiv.shtml

TREMOR NAS PÁLPEBRAS É SINAL DE QUE É PRECISO DESACELERAR, DIZEM MÉDICOS

mulher-coca-os-olhos-cocando-os-olhos-alguma-coisa-dentro-dos-olhos-cisco-no-olho-1358528906351_1024x768

Quem nunca sentiu aquele famoso tremor nas pálpebras? Algo tão irritante quanto impossível de ser controlado. Pior: pode durar dias, com direito a curtos intervalos. Mas por que isso é tão comum e, ao mesmo tempo, difícil de ser evitado?

A oftalmologista Andrea Lima Barbosa, diretora médica da Clínica dos Olhos São Francisco de Assis (RJ), conta que é extremamente comum pessoas chegarem a seu consultório com essa queixa.

“É sempre preocupante para a pessoa e o correto é procurar um especialista, mesmo. Esse tremor palpebral em episódios é uma luz vermelha avisando que algo não vai bem não só no seu corpo, mas em sua vida”, alerta a médica.

Ela conta que o tremor é um sinal de que a pessoa pode estar no auge do estresse. “Pode ser  fadiga, ansiedade, resultado de noites mal dormidas ou problemas pessoais , por exemplo”.

Saiba as causas e como tentar evitar:

Como as causas são diversas, para evitar o tremor involuntário das pálpebras deve-se identificar a mais importante e agir nela:

– Fadiga: pode ser causada pelo uso contínuo de computadores ou monitores (síndrome da visão do computador). Nestes casos há necessidade de se intercalar períodos de trabalho com períodos de descanso dos olhos, ou seja, a mudança de foco durante 15 minutos, antes de prosseguir no uso;

– Estresse: deve-se tentar evitar ou resolver as condições ou as situações do ambiente de trabalho ou familiar que estejam ligadas ao aumento da ansiedade; pode-se tentar a utilização de medicação relaxante muscular leve, sob indicação médica;

– Secura nos olhos: também pode estar relacionada ao uso contínuo de computadores. Usar colírios lubrificantes preventivamente é indicado, assim como aumentar a umidificação do ambiente de trabalho;

– Cafeína: se a causa for associada ao consumo excessivo de cafeína, de bebidas energéticas ou de cigarro, deve-se reduzir ou suspender seu consumo;

– Não identificadas: sugere-se a consulta oftalmológica completa com objetivo de se avaliar a função muscular das pálpebras, a superfície ocular, erros refracionais ou fundo de olho.

Fonte: Norma Allemann, Professora Adjunta do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de Medicina – UNIFESP.

Estresse

Barbosa explica que o tremor, quase sempre unilateral, aparece porque liberamos hormônios ligados ao estresse que vão para o sistema nervoso autônomo. Estes hormônios levam estímulos para as pálpebras, que passam a ter contrações involuntárias, ou seja, impossíveis de se controlar.

Com ela concorda o oftalmologista Luiz Carlos Portes, ex-presidente e membro do conselho consultivo da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. Ele acrescenta alguns outros fatores que podem desencadear o problema: ingestão excessiva de cafeína, carência de vitaminas, idade avançada, excesso de horas em frente ao computador etc.

Ambos enfatizam que o oftalmologista deve ser consultado para descartar qualquer doença, mas o comum é mesmo que tudo não passe de estresse.  Porém, se for algo além disso, o paciente será encaminhado para um neurologista, por exemplo.

Portes, porém, avisa que algumas doenças como conjuntivite e olho seco também podem provocar os espasmos. Isso sem contar que pessoas com mal de Parkinson e Síndrome de Tourette (desordem neurológica ou neuroquímica caracterizada por tiques, reações rápidas, movimentos repentinos  ou vocalizações que ocorrem repetidamente) também sofrem com esses espasmos.

Procurar o médico

“Por isso é importante consultar um oftalmologista”, enfatiza o médico. Porém, como na maioria dos casos o problema advém mesmo do estresse, ele comenta: “Há pessoas que ao ficarem estressadas, sentem azia. Outras têm dor nas costas e algumas têm este tremor. É difícil, mas é preciso achar um caminho para não sentir tudo isso”.

“Você tem de se perguntar: o que vai fazer da sua vida? Como anda o trabalho e os relacionamentos. Eu indico relaxamento, ioga, meditação, algo para acalmar mesmo. E, na medida do possível, evitar se estressar”, alerta Barbosa.

A médica insiste que é preciso tomar cuidado porque, se a pessoa não se cuidar, poderá desenvolver doenças cardíacas, depressão, ansiedade ou hipertensão, por exemplo.

“É preciso mesmo repensar a vida”, ressalta, acrescentando que ela própria já passou por isso: “Quando eu fazia plantão médico, eu mesma tinha isso com frequência. Era uma época bem estressante para mim”. Portes também já teve o mesmo problema, quando se preparava para o vestibular: “Eram menos opções de faculdades e a pressão era ainda maior. Estudava muito!”.

Como fazer parar?

Uma receita caseira dá conta de que compressas de chá de camomila ajudariam a parar o tremor.  “Melhor tomar o chá”, brinca a médica.  Porém, ela ensina que gelo é bom, porque anestesia a musculatura.

Já o médico conta que indica ao paciente um relaxante muscular, mas também aconselha a pessoa a ir ao cinema, praticar exercícios e descansar, pois o comum é que o tremor passe quando ela conseguir relaxar.  “Se notamos que é algo de ordem pessoal ou depressão mesmo, o correto é encaminhar a um psicólogo ou psiquiatra”.

Botox

Se a pessoa tiver o tremor de forma crônica, pode ser algo mais grave. “Existe a doença do espasmo essencial, blefarospasmo, que é rara. É o famoso tique nervoso, a pálpebra fica tremendo o tempo todo. Daí é preciso tratamento com um neuro-oftalmologista que usará injeções de Botox”, conta a médica. A indicação ocorre porque a toxina botulínica paralisa o músculo.

Norma Allemann, professora adjunta do Departamento de Oftalmologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), conta que, em alguns desses casos, após diagnóstico diferencial adequado com doenças neurológicas que podem estar associadas, a toxina botulínica é aplicada em forma de injeções e tem duração variável de efeito, entre três e seis meses.  “O blefarospasmo é uma condição rara, um tipo de distonia facial, geralmente bilateral e associado a contraturas de outros músculos da face e caracterizado pela impossibilidade de controle voluntário.  Pode ser um sintoma de doenças neurológicas e deve ser acompanhado de consulta especializada para diagnóstico”, encerra.

Fonte: http:// noticias .uol .com .br / saude / ultimas-noticias /redacao /2013 /07 /02 /tremor-nas-palpebras-e-sinal-para-desacelerar-avisam-os-medicos.htm

%d blogueiros gostam disto: