Arquivo da categoria: Saúde

NOVAS TECNOLOGIAS ENTRAM NO CORPO HUMANO

Às vezes, o avanço das tecnologias me assustam, mas enquanto a evolução ficar restrita ao corpo vou tentando suportar os receios, Acredito que o homem poderá inventar, clonar, coisificar, porém, a alma somente a Deus compete dar. Pensando assim fortaleço a minha Fé de que a criatura jamais deixará de ser criatura. Amém!

Saindo da minha consideração vamos ler a matéria que de fato auxiliará no campo da medicina e minimizará os sofrimentos das pessoas.

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz.  E sabe o porquê.

Entre as inovações, destacam-se órgãos artificiais, câmeras em miniatura e impressoras 3D

 

size_590_pancreas-artificial

Mulher usa protótipo de pâncreas bio-artificial, em Estrasburgo, França

 

Paris – Uma câmera em miniatura engolida como se fosse um comprimido, um micro circuito fixado no olho, um pâncreas artificial: as tecnologias de vanguarda invadem o corpo humano para diagnosticar, tratar e curar.

A seguir, alguns objetos técnicos futuristas da medicina atual:

Câmera na pílula

Como no filme americano dos anos 1960 “Viagem Fantástica”, no qual um submarino em miniatura e sua tripulação viajam pelo corpo humano, a “vídeo-cápsula” é uma câmera fotográfica em miniatura do tamanho de uma pílula. O objetivo é explorar o trato digestivo, por exemplo, em casos se hemorragias sem explicação.

Esta cápsula, utilizada uma única vez, capta mais de 50.000 fotos em sua viagem interior, até ser expelida por vias naturais.

 A vantagem com relação à endoscopia é que não precisa de anestesia. Recomenda-se ao paciente caminhar durante o exame para facilitar a progressão da cápsula. As fotos são captadas à medida que o dispositivo avança, mediante captores e uma caixa portátil perto do corpo.

“A cápsula funciona bem e vários estudos demonstram sua boa sensibilidade para detectar pólipos”, pequenos tumores que podem provocar câncer, explicou o médico Jean-Christophe Saurin, do hospital Edouard Herriot, em Lyon. Mas um dos principais inconvenientes, segundo o gastroenterologista, é o preço: € 600, cerca de R$ 1.800.

Eletrodos na retina

Para curar a retinose pigmentar, uma doença hereditária degenerativa que causa cegueira aos 40 anos, uma solução de alta tecnologia, “o alto biônico”, está sendo implementada nos Estados Unidos e na Europa.

A ideia é simular artificialmente o olho com eletrodos colocados sobre a retina deficiente para recriar a visão. Mais de cem pacientes já receberam “retinas artificiais”.

“Se tivessem nos falado disto há dez anos, teríamos dito que é ficção científica. Hoje é uma realidade”, comentou Gérard Dupeyron, chefe do serviço de oftalmologia do hospital de Nîmes (sul da França). Um olho biônico custa em torno de € 100.000, cerca de R$ 300.000.

Pâncreas artificial

Em muitos casos de diabetes, as injeções já são coisa do passado. A bomba de insulina, que tem a forma de uma discreta caixinha levada na cintura, revolucionou a vida de inúmeros pacientes.

“As bombas são sistemas de injeção destinados a simular o funcionamento normal do pâncreas”, explicou o especialista em diabetes Leon Perlemuter no portal da liga de diabéticos da França.

Um dispositivo eletrônico, dotado de uma reserva de insulina e de um sistema de injeção ligado ao corpo por um cateter e uma pequena agulha, permite liberar continuamente a dose de insulina adequada.

“Para nós, diabéticos, é algo fantástico”, afirma Isabelle Blackie, em vídeo difundido pela Federação Francesa de Diabéticos (FFD).

A última etapa seria um aparelho autônomo e invisível implantado no abdômen.

Impressão em 3D de tecidos vivos

Aplicar o princípio das impressoras 3D aos tecidos vivos é o Graal buscado atualmente por vários laboratórios no mundo.

O objetivo é, mediante a superposição de finas camadas de células, reproduzir tecidos como cartilagem e órgãos inteiros para enxertá-los.

Vários avanços neste sentido foram alcançados em Estados Unidos, China e Grã-Bretanha.

No laboratório Biomateriais e Reparação de Tecidos da Universidade Victor Segalen, de Bordeaux (sudoeste da França), o pesquisador Fabien Guillemot trabalha na recriação de tecidos usando técnicas de impressão a laser.

“A ideia é reconstruir, diretamente in situ, dentro do corpo humano, o tecido de um órgão afetado, imprimindo diretamente os elementos biológicos”, explica.

 

Este avanço traz questões éticas. “Pode-se imaginar a utilização destas tecnologias (…) para fabricar tecidos artificiais, cujo desempenho será superior ao dos tecidos e órgãos atuais, o que não é necessariamente desejável”, acrescenta Guillemot.

http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/novas-tecnologias-entram-no-corpo-humano

 

 

Anúncios

02 DE JULHO – DIA DO HOSPITAL

dia-do-hospital

O dia do hospital é comemorado em 02 de julho, data na qual foi fundada a Santa Casa de Misericórdia da cidade de Santos, um dos maiores hospitais do Brasil, no ano de 1945, pelo governo do presidente Getúlio Vargas.

O hospital público é um local que oferece serviços médicos gratuitos e obrigatórios, pois está determinado pela constituição do nosso país que a saúde é direito de todos e dever do Estado.

Os atendimentos podem variar entre consultas, curativos, exames, serviços laboratoriais, tratamentos, e outros.

Algumas unidades prestam serviços de pronto-socorro (atendimento imediato) para acidentados ou pessoas que estejam em crise, passando muito mal, com convulsões, cólicas renais, desmaios, dores fortes, etc. A eficiência dos médicos e outros profissionais deve ser de muita qualidade, pois a rotatividade de pacientes é bem grande. Existem ainda unidades que prestam serviços especializados, como pediatria, cardiologia, neurologia, maternidade, ortopedia, dentre outros.

Os hospitais particulares cobram caro pelos serviços prestados, e as pessoas acabam pagando planos de saúde que apresentam algumas limitações, ficando a desejar na hora de prestar os atendimentos. Muitas pessoas não são atendidas conforme suas necessidades, gerando desconforto e problemas a serem resolvidos. Para que isso não aconteça é importante buscar informações sobre o contrato de prestação de serviços e a capacidade da empresa contratada, a fim de obter detalhes para os atendimentos e serviços oferecidos.

Um hospital não pode ser implantado em qualquer local, pelo contrário, suas instalações devem ser adequadas, amplas e arejadas, necessitando de estrutura física e humana adequada, com enfermarias, leitos próprios, farmácia interna, lavanderia, cozinha e restaurante, capela, além de um sistema de limpeza adequado para se fazer a desinfecção do local, evitando as infecções hospitalares.

O primeiro hospital do Brasil foi fundado por Braz Cubas, no dia primeiro de janeiro de 1545. Como este dia é conhecido por ser o dia de todos os santos, o hospital recebeu o nome de Hospital de Todos os Santos. A cidade de Santos, em São Paulo, recebeu esse nome por causa do hospital.

Registros históricos mostram que o primeiro hospital do mundo foi construído na Índia, entre os anos 273 e 232 a.C. Mas somente entre os séculos XVIII e XIX que passaram a ser de responsabilidade do governo.

O Hospital das Clínicas, da faculdade de medicina da Universidade de São Paulo, é a maior unidade hospitalar do Brasil, tendo sido fundado em 19 de abril de 1944. Mas a unidade mais bem equipada do país é da rede privada, o Hospital Israelita Albert Einstein, também em São Paulo, tendo sido preparado para receber pacientes vítimas de acidentes nucleares ou de guerras químicas em pronto-socorro.

Fonte: www . brasilescola . com/datas-comemorativas/dia-do-hospital . htm

ENFERMAGEM ROBÓTICA

roboemfermeiro7

Há mais de cinco anos, a empresa automotiva Toyota vem investindo em pesquisas na área de enfermagem robótica.

Os protótipos desenvolvidos pela companhia não visam a substituir o papel de um enfermeiro, mas sim ajudá-lo na assistência de pacientes com necessidades específicas ou em ambiente não-hospitalar.

Um dos robôs projetados facilita a transferência de pacientes de um ambiente para outro, como da cama para o chuveiro, por exemplo, fazendo com que a assistência não dependa apenas das capacidades físicas do cuidador.

O mesmo conceito foi utilizado na criação do robô enfermeiro RIBA II

Fonte: www . futurodamedicina . com . br /2025/dispositivos/enfermagem-robotica#sthash . xAFq8WFj . dpuf

MAIS UMA TENTATIVA DE RETROCESSO

AMIGOS, LEITORES,

ESSA MATÉRIA É IMPORTANTE CONHECER. É SAÚDE E VIDA.

ACORDA BRASIL!

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe por quê.

 

 

A Fundação Oswaldo Cruz divulgou uma carta aberta em que se manifesta contrária à flexibilização da lei sobre agrotóxicos no País, principalmente quanto às mudanças previstas no Projeto de Lei 12.873 e no Decreto 8.133, ambos de 2013, que facilitam a importação de agrotóxicos em casos de pragas, sem necessitar de avaliação prévia dos órgãos reguladores brasileiros. Na carta, a Fiocruz afirma que a “crescente pressão dos conglomerados econômicos de produção de agroquímicos para atender às demandas do mercado” tem suprimido a “função reguladora do Estado”. A entidade, que integra o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária e as ações de vigilância à saúde e disponibiliza, desde 1985, informações sobre os problemas relacionados aos agrotóxicos, alerta ainda, citando pesquisas internacionais, para os riscos, perigos e danos provocados à saúde de trabalhadores e comunidades rurais expostos a esses produtos, inclusive por meio de pulverizações aéreas de “eficácia duvidosa”.

Não é de se espantar que, mais uma vez, estamos diante de uma tentativa de alteração da legislação que trata do controle dos agrotóxicos no País. Recentemente, no Rio Grande do Sul – estado pioneiro no que se refere à regulamentação desses produtos – tentou-se permitir a comercialização de agrotóxicos cujo uso não é permitido no país de origem. Por trás dessas sucessivas tentativas de flexibilização da lei, está uma das mais poderosas indústrias do mundo: a agroquímica. Aliada a setores ligados ao agronegócio, esta indústria colocou o Brasil no vergonhoso primeiro lugar no uso de agrotóxicos em todo o planeta.

As reiteradas tentativas de flexibilização da legislação sobre agrotóxicos vão de encontro a modos de produção sustentáveis e às medidas e ações de incentivo a sistemas de produção de base ecológica, como, por exemplo, o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), que pode ser considerado um marco no reconhecimento institucional e na formulação de políticas públicas que incorporam os princípios da Agroecologia. É importante que a sociedade brasileira tome conhecimento dessas inaceitáveis mudanças na lei dos agrotóxicos e suas repercussões para a saúde e a vida.

Jaime Miguel Weber

Engenheiro-agrônomo e presidente substituto da Emater/RS

http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=155689

DIA DO FARMACÊUTICO – 20 DE JANEIRO

downloadA escolha de uma data para a comemoração do Dia do Farmacêutico foi marcada por desencontros e várias propostas. A idéia da criação de um “Dia” partiu do farmacêutico Oto Serpa Granado, e foi colocada em discussão, pela primeira vez, no dia 7 de janeiro de 1941 quando ele participava de uma reunião na Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF) e fez o seguinte questionamento: “Todas as profissões tem o seu dia, data especial para comemorar o ideal abraçado. Por que não temos o nosso “Dia”?” Deste questionamento surgiu a proposta para a criação do “Dia do Farmacêutico”.

No dia 20 de janeiro é comemorado o Dia do Farmacêutico. A data foi escolhida em função da fundação da Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF), em 20 de janeiro de 1916. Na época, era a maior instituição representativa da categoria, no País.

Considerando a necessidade de unificar a comemoração do Dia do Farmacêutico e por ensejar maior visibilidade e reconhecimento, o Conselho Federal de Farmácia, por meio da Resolução nº 460, de 23 de março de 2007, reconheceu o dia 20 de Janeiro como o Dia do Farmacêutico.

Na busca pela valorização e estímulo do profissional farmacêutico, a para que o dia 20 de janeiro seja marcado pelo reconhecimento daqueles que lutam em prol a farmácia, foi criada pelo Conselho Federal de Farmácia, por meio da Resolução nº323, de 16 de janeiro de 1988, a Comenda do Mérito Farmacêutico que visa distinguir farmacêuticos e autoridades pelos relevantes serviços prestados à profissão. A entrega da Comenda do Mérito Farmacêutico é realizada durante as comemorações do Dia do Farmacêutico.

http://www.cff.org.br/pagina.php?id=177

PRODUTO OFERECE SOLUÇÃO QUE PODE SALVAR SUA BEXIGA.

Sustentar a urina em situações como trabalho e longas viagens pode provocar problemas como infecção urinária e sepsemia.

Um dos problemas mais sérios enfrentados por operadores de telemarketing é a demora em ir ao banheiro. Com o tempo cronometrado, onde cada atendimento é decisivo para manter o cliente na empresa, a saúde acaba escanteada, e algo considerado supérfluo — como urinar — acaba sendo procrastinado por várias horas. O mesmo problema ocorre em longas viagens, ou até com pacientes em hospitais e unidades de atendimento móvel de urgência (SAMU).

Sustentar a urina no corpo, entretanto, é um risco sério à saúde. O organismo é programado para expelir, com a urina, impurezas e bactérias coletadas no sistema excretor. Logo, a demora em eliminar pode resultar em doenças dolorosas e, em certos casos, sérias — como infecções urinárias, sepsemia e, em casos extremos com pacientes mais frágeis, a morte.

Uma empresa catarinense, a B&B Plásticos, desenvolveu duas linhas de produtos para atender tanto as necessidades de pacientes (Papagaio transparente) quanto as de pessoas que simplesmente necessitam urinar quando não têm um banheiro à disposição (Papagaio viajante). “Foi fruto de muita pesquisa para seu lançamento, pois prevíamos nas principais cidades e estradas os grandes congestionamentos que só tendem a aumentar”, afirma Rafael Ferreira, diretor da B&B Plásticos.

image001

Segundo Ferreira a linha é útil para permitir que homens, mulheres, crianças e pessoas com necessidades especiais (principalmente cadeirantes) possam urinar discretamente em qualquer ambiente sem depender de um WC. “Ou na pior das hipóteses, para evitar o desaperto na própria estrada, onde ocorrem inúmeros casos de roubos e atropelamentos”, diz.

Como funciona?

O dispositivo é composto por um bocal de plástico injetado adaptável ao órgão genital masculino e feminino (o último modelo contém uma concha retrátil para facilitar a coleta da urina e um sachê com sabonete líquido e lenços) e um saco coletor opaco soldado ao bocal. Após o uso, o produto é armazenado através da sua alça aberta e fechado por uma tampa vedante. A urina pode ser descartada quando a pessoa for a um banheiro; já o produto pode ser higienizado e reutilizado.

image002

Ausência de urinóis

Segundo Ferreira, a falta de dispositivos apropriados nos hospitais e unidades móveis chega a colocar em risco a vida dos pacientes. “Nas ambulâncias não existem urinóis portáteis, constrangendo inúmeros pacientes por terem que urinar no chão ou até nas próprias calças”, afirma. O primeiro modelo, o Papagaio Transparente, foi desenvolvido para essa finalidade.

“O motivo do invento foram as observações de uma enfermeira no Rio Grande do Sul, com mais de 40 anos de experiência, em relação à alta incidência de infecção urinária contraída através do uso coletivo e da má esterilização do urinol usual de Inox”, lembra Ferreira. “Além disto, ela tinha muita dificuldade de visualizar o aspecto e o volume da urina que são informações essenciais para a enfermagem”, explica.

A partir do modelo hospitalar, foi desenvolvido o mais versátil, destinado ao público em geral, principalmente viajantes. Rafael garante que o produto está liberado pela Anvisa e que já foram vendidos, até o momento, cerca de 50 mil unidades.

DIA 09 DE DEZEMBRO – É CELEBRADO O DIA DA CRIANÇA ESPECIAL.

criancasespeciais

A criança portadora de necessidades especiais, além do direito, tem a necessidade de cursar uma escola normal. A instituição de ensino, na nossa cultura, é uma representante da sociedade. Portanto, alguém que frequenta a escola se sente mais reconhecido socialmente do que aquele que não frequenta.

Sabemos que infelizmente ainda existe preconceito quanto ao deficiente, seja qual for o problema ou o grau de deficiência apresentado.  Felizmente, hoje, tenta-se minimizar os efeitos de tantos anos de exclusão. Alguma evolução se percebe a partir da compreensão do que é a “deficiência”. Substituir “deficiente” por “especial” modifica um pouco a situação da criança, pois altera a nossa atitude quando compreendemos que existem necessidades especiais. Pensando assim, a criança portadora de necessidades especiais em uma sala de aula normal tem a chance de se sentir reconhecida. Um reconhecimento que humaniza.

Toda família com uma criança especial desenvolve uma dinâmica particular. Em geral, eles são receosos, preocupados e ansiosos, pois temem a discriminação. Quando a família se sente apoiada pela escola, esse sentimento se reflete também sobre a criança. Os pais precisam se sentir tão incluídos quanto seus filhos.

O importante é evidenciar que na escolarização de uma criança com necessidades especiais estão envolvidos, além da própria criança, seus pais, os terapeutas, os médicos e os educadores. Cabe à escola acolher essa criança, fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que se beneficie do contexto escolar.

Vamos aproveitar esta data para acabar com o preconceito e incluir os pequenos cada vez mais na sociedade!

Fonte: blogs. odiario. com/odiarionaescola/2012/12/07/dia-da-crianca-especial/

03 DE DEZEMBRO – DIA INTERNACIONAL DO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA

3dezembro

 

A Assembléia Geral da ONU instituiu o dia 03 de dezembro como o dia internacional do deficiente físico, com objetivo de conscientizar a população mundial e comprometer autoridades a executar programas de ação que modificassem as circunstâncias de vida das pessoas portadora de deficiência em todo o mundo.

Pessoa portadora de deficiência física (PPD)  é aquela que apresenta perda ou anormalidade de uma estrutura ou função fisiológica ou anatômica, que se manifesta por meio de plegias, paresias, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, e deformidade congênita ou adquirida de membros.

 Segundo o Censo de 2000, cerca de 14,5 % da população brasileira são PPDs, aproximadamente 24,5 milhões de pessoas.   Deste total, 27,1 % são portadores de deficiência física.  Em função disto, vivemos hoje no Brasil e no mundo, uma transformação cultural que, aos poucos, está modificando a forma como entendemos e percebemos a deficiência.

Portanto, no dia 3 de dezembro, toda a população é convidada a refletir sobre o caminho a ser percorrido para uma sociedade inclusiva, ou seja, um lugar com oportunidades para todos, onde cada indivíduo representa igual papel de contribuição para a coletividade.  Este processo é necessário, não somente para trazer dignidade a esta parcela tão importante de nossa população, mas também porque permite a todos o orgulho de ser cidadão.

Fonte:http: // www .into.saude .gov .br/conteudo. aspx?id=200

1º DE DEZEMBRO – DIA INTERNACIONAL DA LUTA CONTRA A AIDS

aids

“Combate ao Preconceito e ao Estigma”

Transformar o 1º de dezembro em Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi uma decisão da Assembléia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas – ONU. A data serve para reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/Aids. A escolha dessa data seguiu critérios próprios das Nações Unidas. No Brasil, a data passou a ser adotada a partir de 1988.

O preconceito e a discriminação contra as pessoas vivendo com HIV/Aids são as maiores barreiras no combate à epidemia, ao adequado apoio, à assistência e ao tratamento da Aids e ao seu diagnóstico. Os estigmas são desencadeados por motivos que incluem a falta de conhecimento, mitos e medos. Ao discutir preconceito e discriminação, o Ministério da Saúde espera aliviar o impacto da Aids no País. O principal objetivo é prevenir, reduzir e eliminar o preconceito e a discriminação associados à Aids. O Brasil já encontrou um modelo de tratamento para a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, que hoje é considerado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) uma referência para o mundo. Agora nós, brasileiros, precisamos encontrar uma forma de quebrarmos os preconceitos contra a doença e seus portadores e sermos mais solidários do que somos por natureza. Acabar com o preconceito e aumentar a prevenção devem se tornar hábitos diários de nossas vidas.

O que é Aids

Uma deficiência no sistema imunológico, associada com a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana HIV – (Human Immunodeficiency Virus), provocando aumento na susceptibilidade a infecções oportunísticas e câncer.

Transmissão:
– o vírus HIV pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal, leite materno;
– relações sexuais homo ou heterossexuais, com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha, transmitem a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis e alguns tipos de hepatite;
– compartilhamento de seringas entre usuários de drogas injetáveis;
– transfusão de sangue contaminado;
– instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados;
– da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Tratamento:
Atualmente a terapia com os chamados “anti-retrovirais” proporciona melhoria da qualidade de vida, redução da ocorrência de infecções oportunísticas, redução da mortalidade e aumento da sobrevida dos pacientes. (Os anti-retrovirais são medicamentos que suprimem agressivamente a replicação do vírus HIV).

Fique sabendo:
A Aids não é transmitida pelo beijo, abraço, toque, compartilhando talheres, utilizando o mesmo banheiro, pela tosse ou espirro, praticando esportes, na piscina, praia e, antes de tudo, não se pega aids dando a mão ao próximo, seja ele ou não soropositivo.

Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde.
Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal

Fontes: http://www .velhosamigos.com.br /datasespeciais /diaaids.html

DIA 25 DE NOVEMBRO – DIA DO DOADOR DE SANGUE

25novembro

PROJETO SOCIAL CONVOCA PAULISTANOS PARA SEREM CICLISTAS VOLUNTÁRIOS POR UM DIA

cicli

A Carbono Zero Courier, empresa que presta serviços de entregas expressas utilizando somente bicicletas, vai promover, pelo segundo ano consecutivo, a Pedalada Para o Bem. A mobilização será realizada no dia 22 de novembro, com ponto de encontro na sede da empresa, em Bela Cintra, São Paulo.

O evento, que marca a comemoração do terceiro aniversário da organização, terá toda a verba disponibilizada pelos voluntários revertida para ações promovidas pela Aro Meia Zero junto à Casa do Zezinho – organização social sem fins lucrativos que ajuda no desenvolvimento de crianças e adolescentes.

As inscrições foram abertas na segunda-feira, 4 de novembro, e os interessados em participar do evento devem efetuar o registro através de um formulário virtual disponibilizado na Fanpage da instituição. Há outras formas de participar da mobilização, como por meio da solicitação de entrega da Carbono Zero Courier no dia da pedalada voluntária, além da aquisição de camisetas da Pedalada junto à Grentee, divulgação e compartilhamentos da iniciativa nas redes sociais. (Saiba mais!)

Em 2012, os voluntários vivenciaram toda a rotina dos trabalhadores da empresa. A proposta deste ano não será diferente. A organizção oferece três tipos de serviços: o esporádico (os bikers atendem a necessidades ocasionais, com entregas de horários programados ou não e está disponível para pessoas físicas e jurídicas); contrato integral (os bikers são exclusivos e alocados diariamente em um determinado empreendimento, por tempo integral); e contrato meio período (igual ao anterior, porém, realizados apenas meio turno). Imagina a sensação de trabalhar andando de bicicleta?

fonte:http:// noticias .br. msn .  com/verde/projeto-social-convoca-paulistanos-para-serem-ciclistas-volunt%C3%A1rios-por-um-dia

ANVISA VAI RASTREAR DISTRIBUIÇÃO DE FRUTAS, LEGUMES E VERDURAS PARA FACILITAR A FISCALIZAÇÃO DO USO DE AGROTÓXICOS

anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) criou um grupo de trabalho para discutir formas de rastrear a distribuição de frutas, legumes e verduras em todo o país. Um dos objetivos do grupo é definir normas que possibilitem que o órgão faça um mapeamento dos produtores destes alimentos para facilitar a fiscalização do uso de agrotóxicos.

Na última semana de outubro a Anvisa divulgou dados que mostram que 29% dos alimentos pesquisados em 2012 tinham irregularidades no uso de agrotóxicos.

A meta do grupo, que teve a criação publicada no Diário Oficial da União na quinta-feira (31), é implementar ações e estratégias que garantam a rotulagem e a rastreabilidade de produtos de origem vegetal in natura dispostos para o consumo humano em toda a cadeia de distribuição e comercialização.

O Grupo de Trabalho sobre Rastreabilidade é composto por representantes da Anvisa e de Vigilâncias Sanitárias estaduais e municipais. Ele poderá convidar especialistas e representantes de outras instituições para colaborarem com o trabalho, informou a Agência Brasil.

fonte:http:// noticias. br. msn. com /verde/anvisa-vai-rastrear-distribui%C3%A7%C3%A3o-de-frutas-legumes-e-verduras-para-facilitar-a-fiscaliza%C3%A7%C3%A3o-do-uso-de-agrot%C3%B3xicos-2

%d blogueiros gostam disto: