Arquivo da categoria: Inovação

BATE-PAPO – RAQUEL FABBRI (ATRIZ)

Meus amigos e leitores,

Hoje vou compartilhar com vocês uma matéria diferente, contudo, muito agradável: o bate-papo com a atriz Raquel Fabbri. Particularmente gostei muito de conversar com ela porque é simpática, educada e atenciosa. Além disso, acompanhei o seu trabalho na novela Alto Astral da Rede Globo. Foi legal perceber que invertemos de certa forma os papéis, imaginem uma administradora escritora, fazendo uma matéria com uma talentosa atriz jornalista. A grande tirada é que a vida possibilita as pessoas fazerem a diferença e para a Revista do Grande Meyer um estilo novo de homenagear os filhos artistas do Méier. Obrigada, Raquel e aguardo outras oportunidades para divulgarmos novos trabalhos. Abraços fraternos ao seu coração e a todos os meus amigos leitores.

Djanira Felipe – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.

1328_1091606550859948_6547193980629107102_n

Anúncios

VIVER COM MAIS POESIA E VIAJANTE DO UNIVERSO

Logo serão divulgadas fotos  do lançamento.

GARMIN LANÇA RADAR DE BICICLETAS E FARÓIS “INTELIGENTES”

garmin-variaDe olho no boom das bikes nos centros urbanos, marca anuncia dispositivos que alertam quando um automóvel se aproxima

De olho no “boom” das bikes nos grandes centros urbanos de todo o país, – em participar em São Paulo – a Garmin, uma das líderes do mercado em navegação por satélite, lançou uma linha de dispositivos inteligentes para ciclismo, clamado “Varia”, que inclui radar para bicicletas e faróis inteligentes que avisam os ciclistas sobre a proximidade com outros veículos.

Segundo a empresa, o radar traseiro alerta o ciclistas sobre carros que se aproximam por trás em até 150 metros, e também avisa os carros que há um ciclista a frente, aumentando a intensidade do brilho da lanterna traseira à medida que os carros chegam perto. Tanto o radar quanto os faróis para bicicleta funcionam de forma independente ou integram-se entre si. O pleno funcionamento dos dispositivos depende da integração com o ciclocomputador Edge, da mesma marca.

Os preços da linha “Varia” são um pouco salgados: variam de R$ 999 a R$ 1.699. O produto ainda não está disponível no site da Garmin.

http://www.cidadebiz.com.br/noticia/01071513 – advillage

O FATOR HUMANO NO MERCADO LOGÍSTICO

logistica-600x400[1]

Dada a sua característica principal, que é vencer distâncias, o mercado logístico é mais associado a recursos físicos, seja de equipamentos, como caminhões, guindastes contêineres, ou de infraestrutura, rodovias, ferrovias, pontes, portos etc. Embora sejam fundamentais, de nada adiantam sem a inteligência e operação humanas, cuja criatividade, justamente, supera obstáculos.

Em outras palavras, mesmo no mercado logístico (à semelhança de outros serviços), o fator humano é fundamental para o sucesso do negócio. Isso até pode parecer óbvio, mas ainda são comuns longas jornadas, baixa sistematização e formalização do setor, e até um certo descrédito por não ser uma atividade fim.

Porém, precisamos ter em mente que o colaborador é o cartão de visita da empresa e está em contato com o cliente final o tempo todo. Podemos dizer que serviço é um sentimento, então, a depender do nível de atendimento que o cliente recebe, seja ele mágico, trágico ou apático, o cliente constrói a imagem da companhia e a dissemina.

O sucesso de uma empresa está diretamente ligado à visão de que pessoas, processos, tecnologia e ambiente devem estar devidamente equalizados, o que faz com que conquiste e fidelize clientes o tempo todo.

O fato de não haver interesse ou, mesmo, preocupação com gente, faz o potencial de geração de negócios não ser efetivado em seu nível máximo. As pessoas precisam saber que são importantes, ser reconhecidas, valorizadas e desafiadas por um time de líderes competente, devidamente preparado para tal questão.

Encontramos, hoje, corporações esvaziadas de comprometimento, onde as pessoas mecanicamente cumprem suas tarefas, sem interesse algum em oferecer o seu melhor. Habitualmente, lideradas por profissionais cujo conceito de resultado se mostra bastante equivocado.

Costumo questionar líderes em reuniões e treinamentos quanto ao entendimento de gente no negócio e são inúmeras as vezes em que as respostas se mostram invertidas. Costumo responder que “quem faz ou não faz resultados é gente” e não são poucas as vezes em que a discussão trava nesse ponto, por falta de argumentos.

É óbvio que há a necessidade de uma infinidade de outros recursos, para que a empresa se sustente, mas compreender que gente é quem entrega ou não resultados é fundamental, ainda mais no mercado logístico, cujas máquinas, na maioria das vezes, são dirigidas por pessoas. São elas, também, que passam por situações de estresse e que devem contorná-las. Nessa hora, o melhor equipamento de nada serve, pois não pode interagir com o cliente e outros envolvidos.

Logo, as ações de Recursos Humanos, que oportunizem melhoria no clima organizacional e no nível de engajamento de seus colaboradores, acabam invariavelmente redundando em ganhos de imagem junto ao mercado e, consequentemente, em melhores resultados para a corporação.

Importante ressaltar que todas as rotinas de Recursos Humanos da empresa devem estar descritas em formato de procedimentos, cuja metodologia utilizada é semelhante a que se adota em processos de certificações internacionais. Dessa forma, garantimos que todo conhecimento e modus operandi se mantenham devidamente atualizados, documentados na empresa e, ainda, que todos desenvolvam as rotinas de forma padronizada.

O processo de padronização também se estende por diversas áreas da companhia, bem como esta possui seus processos devidamente mapeados, por meio de ações desenvolvidas pela área de Qualidade e Gestão da empresa. A garantia de atuação padronizada, no desenvolvimento de rotinas, garante ao cliente o padrão de excelência em operação e atendimento.

A busca incessante por satisfação e clima positivo de trabalho inspira os colaboradores e faz com que sintam orgulho em pertencer, o que naturalmente reflete nos resultados da empresa. Quer vencer distâncias? Use todos os modais, mas o motor principal sempre será o fator humano.

Por Angela Christofoletti

Fonte: Mundo Logística – 27/02/2015

NOVAS TECNOLOGIAS ENTRAM NO CORPO HUMANO

Às vezes, o avanço das tecnologias me assustam, mas enquanto a evolução ficar restrita ao corpo vou tentando suportar os receios, Acredito que o homem poderá inventar, clonar, coisificar, porém, a alma somente a Deus compete dar. Pensando assim fortaleço a minha Fé de que a criatura jamais deixará de ser criatura. Amém!

Saindo da minha consideração vamos ler a matéria que de fato auxiliará no campo da medicina e minimizará os sofrimentos das pessoas.

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz.  E sabe o porquê.

Entre as inovações, destacam-se órgãos artificiais, câmeras em miniatura e impressoras 3D

 

size_590_pancreas-artificial

Mulher usa protótipo de pâncreas bio-artificial, em Estrasburgo, França

 

Paris – Uma câmera em miniatura engolida como se fosse um comprimido, um micro circuito fixado no olho, um pâncreas artificial: as tecnologias de vanguarda invadem o corpo humano para diagnosticar, tratar e curar.

A seguir, alguns objetos técnicos futuristas da medicina atual:

Câmera na pílula

Como no filme americano dos anos 1960 “Viagem Fantástica”, no qual um submarino em miniatura e sua tripulação viajam pelo corpo humano, a “vídeo-cápsula” é uma câmera fotográfica em miniatura do tamanho de uma pílula. O objetivo é explorar o trato digestivo, por exemplo, em casos se hemorragias sem explicação.

Esta cápsula, utilizada uma única vez, capta mais de 50.000 fotos em sua viagem interior, até ser expelida por vias naturais.

 A vantagem com relação à endoscopia é que não precisa de anestesia. Recomenda-se ao paciente caminhar durante o exame para facilitar a progressão da cápsula. As fotos são captadas à medida que o dispositivo avança, mediante captores e uma caixa portátil perto do corpo.

“A cápsula funciona bem e vários estudos demonstram sua boa sensibilidade para detectar pólipos”, pequenos tumores que podem provocar câncer, explicou o médico Jean-Christophe Saurin, do hospital Edouard Herriot, em Lyon. Mas um dos principais inconvenientes, segundo o gastroenterologista, é o preço: € 600, cerca de R$ 1.800.

Eletrodos na retina

Para curar a retinose pigmentar, uma doença hereditária degenerativa que causa cegueira aos 40 anos, uma solução de alta tecnologia, “o alto biônico”, está sendo implementada nos Estados Unidos e na Europa.

A ideia é simular artificialmente o olho com eletrodos colocados sobre a retina deficiente para recriar a visão. Mais de cem pacientes já receberam “retinas artificiais”.

“Se tivessem nos falado disto há dez anos, teríamos dito que é ficção científica. Hoje é uma realidade”, comentou Gérard Dupeyron, chefe do serviço de oftalmologia do hospital de Nîmes (sul da França). Um olho biônico custa em torno de € 100.000, cerca de R$ 300.000.

Pâncreas artificial

Em muitos casos de diabetes, as injeções já são coisa do passado. A bomba de insulina, que tem a forma de uma discreta caixinha levada na cintura, revolucionou a vida de inúmeros pacientes.

“As bombas são sistemas de injeção destinados a simular o funcionamento normal do pâncreas”, explicou o especialista em diabetes Leon Perlemuter no portal da liga de diabéticos da França.

Um dispositivo eletrônico, dotado de uma reserva de insulina e de um sistema de injeção ligado ao corpo por um cateter e uma pequena agulha, permite liberar continuamente a dose de insulina adequada.

“Para nós, diabéticos, é algo fantástico”, afirma Isabelle Blackie, em vídeo difundido pela Federação Francesa de Diabéticos (FFD).

A última etapa seria um aparelho autônomo e invisível implantado no abdômen.

Impressão em 3D de tecidos vivos

Aplicar o princípio das impressoras 3D aos tecidos vivos é o Graal buscado atualmente por vários laboratórios no mundo.

O objetivo é, mediante a superposição de finas camadas de células, reproduzir tecidos como cartilagem e órgãos inteiros para enxertá-los.

Vários avanços neste sentido foram alcançados em Estados Unidos, China e Grã-Bretanha.

No laboratório Biomateriais e Reparação de Tecidos da Universidade Victor Segalen, de Bordeaux (sudoeste da França), o pesquisador Fabien Guillemot trabalha na recriação de tecidos usando técnicas de impressão a laser.

“A ideia é reconstruir, diretamente in situ, dentro do corpo humano, o tecido de um órgão afetado, imprimindo diretamente os elementos biológicos”, explica.

 

Este avanço traz questões éticas. “Pode-se imaginar a utilização destas tecnologias (…) para fabricar tecidos artificiais, cujo desempenho será superior ao dos tecidos e órgãos atuais, o que não é necessariamente desejável”, acrescenta Guillemot.

http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/novas-tecnologias-entram-no-corpo-humano

 

 

IMPRESSORA 3D USARÁ GARRAFAS PET COMO MATÉRIA-PRIMA

imp3d

Garrafas PET são responsáveis pela poluição de praias e oceanos pelo mundo todo, com bilhões delas indo para o lixo antes de serem reclicladas, todos os anos. Uma parceria entre o rapper americano Will.i.Am e a Coca-Cola, no entanto, pode melhorar a situação, ao menos um pouco, por meio de uma impressora 3D que utiliza garrafas PET como material para impressão.

Embora não vá ser possível que um usuário simplesmente derreta as próprias garrafas em casa para criar material para a impressora, os cartuchos serão, em parte, produzidos com garrafas recicladas, e serão vendidos nas cores vermelho, branco, preto e transparente. Não por coincidência, são as cores da marca (e líquido) da Coca-Cola.

A impressora, chamada de EkoCycle Cube, custará US$ 1.199 (R$ 2.644 reais) e tem seu lançamento estimado para o segundo semestre de 2014. No vídeo abaixo, Will.i.am mostra alguns dos objetos criados pela impressora.

Fonte: olhardigital . uol . com . br/noticia/impressora-3d-usara-garrafas-pet-como-materia-prima/42848

PROJETO CHINÊS – TREM PEGA PASSAGEIROS SEM PARAR NA ESTAÇÃO

Os avanços no transporte público de passageiros não param de surpreender. Sabemos que o transporte ferroviário é uma forma segura e econômica de se fazer transportes, e quando os sistemas de trens de alta velocidade estão disponíveis, eles superam com facilidade os carros e ônibus.

No entanto, a parte mais difícil (ou custosa) do processo é acelerar e frear um trem que pesa muitas toneladas. Por isso, há alguns anos, uma ideia muito interessante surgiu: e se os passageiros pudessem embarcar e descer do trem sem que este precisasse parar nas estações?

Ficção científica? Impossível? Engenheiros americanos e chineses encontraram formas alternativas de tornar essa ideia uma realidade, e assim agilizar o transporte ferroviário. Eles projetaram dois sistemas distintos que permitem o embarque e o desembarque dos passageiros sem que o trem pare na estação.

O vídeo abaixo mostra como funciona o projeto chinês:

Fonte: www . logisticadescomplicada . com/trem-pega-passageiros-sem-parar-na-estacao-videos/

PESCADOR DE QUISSAMÃ, RJ, CRIA CENTRAL DE ENERGIA EÓLICA.

dsc_0171 (1)

Cabine, alimentada pela energia eólica, mantém contato em alto mar. Engenhoca é à prova de tempestades.

Com a central de energia eólica, nenhum temporal atrapalha a comunicação (Foto: Flávia Pizelli/Rio Rural)

Em Quissamã, no Norte do Estado, uma antiga comunidade de pescadores artesanais vem demonstrando que a preocupação com o meio ambiente pode estar associada a melhorias na qualidade do trabalho. Por duas vezes, a comunidade pesqueira da microbacia Barra do Furado recebeu incentivo para melhoria no material de pesca artesanal e agora se prepara para uma próxima etapa de investimentos. Enquanto o defeso do peixe de água doce não termina, no fim de fevereiro eles se preparam reformando o material. Mas o trabalho vai além de ajustes em barcos e redes.

Há um ano, um pescador autodidata mantém uma estação de captação de energia eólica, que alimenta uma cabine para comunicação com os colegas em alto mar. Como não depende de eletricidade, a engenhoca torna-se à prova de tempestades. A preocupação com os amigos e os filhos deles fizeram o pescador Vilton Luiz Silva dos Santos, de 45 anos, montar por conta própria uma cabine de comunicação alternativa para que toda a comunidade tivesse notícias do mar, principalmente em dias e noites de temporais.

Ventos de 20 Km/h geram energia que alimenta

prtscr_capture_5

a cabine de comunicação. (Foto: Flávia Pizelli/Rio Rural)

A microbacia concentra muitos pescadores e a cabine oficial da colônia é mantida através de energia elétrica que, em dias de temporal, sempre oscila ou tem o abastecimento interrompido. “Quando tem temporal ou falta energia, todos correm para cá. É um alívio ter um canal seguro para falar com quem está em alto mar. Só quem já esteve por lá ou tem filhos e amigos em situação parecida é que sabe como ficamos preocupados. Essa cabine é à prova de apagão”, disse Vilton, considerado uma espécie de “professor Pardal” pelos vizinhos e colegas. Além de servir a comunidade, ele utiliza a captação de energia eólica para carregar baterias de carros, máquinas e barcos e, com isso, aumentar a renda.

Vilton explicou que ventos acima de 20 quilômetros por hora, muito comuns naquela área, geram energia suficiente para o funcionamento da cabine. “É uma segurança essa central dele. Ficamos sempre preocupados com quem está no mar e, depois da invenção do Vilton, nunca mais perdemos o contato com ninguém”, diz o também pescador Evaldo da Silva, de 68 anos, líder de uma família de sete irmãos pescadores.

A mesma preocupação com os amigos, o pescador inventor mantém com o meio ambiente. Há 20 anos, ele toma conta de um mangue que viu nascer e crescer em frente sua casa, no Canal das Flechas. “Nasceu uma plantinha, depois foram crescendo outras e acabei conseguindo ajuda dos órgãos ambientais para proteger o espaço. Hoje ninguém mexe no mangue. Vigio e recolho o lixo que acaba chegando pela água. Explico para as crianças que o mangue é o berçário do mar e isso é muito importante”, defendeu.

dsc_0178

“Quando apresentamos o Rio Rural em Barra do Furado, parecia ser um trabalho muito difícil, mas eles nos surpreenderam. São engajados social e ambientalmente. Na verdade, todos são muito amigos uns dos outros há vários anos e isso reflete na organização comunitária e no ambiente a ser preservado para os descendentes”, analisou o técnico agrícola da Emater-Rio, Fábio Oliveira, que executa o Rio Rural, programa da secretaria estadual de Agricultura.

Além de proporcionar uma convivência mais fácil, o engajamento social fez a microbacia obter, em 2013, R$ 1,5 milhão em financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pesca (Pronaf Pesca). “Os pescadores buscam financiamento para melhoria dos barcos, compra de equipamentos maiores e melhores. Eles querem melhorar as condições de trabalho e sabem buscar os meios para isso”, explicou Fábio.

fontes: g1 . globo . com / rj /norte-fluminense/noticia/2014/02/pescador-de-quissama-rj-cria-central-de-energia-eolica . html

PESQUISADORES DESCOBREM ÁGUA DOCE NO FUNDO DO MAR

Super interessante, amigos, com tudo o que já se ouviu em torno da falta d’água no planeta, esta notícia é no mínimo, uma inspiração para melhores perspectivas de futuro. Resta saber se irão pagar para ver melhor. 

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe por quê.

Um grupo de pesquisadores australianos descobriu que as partes de baixo das plataformas continentais guardam reservas massivas de água potável, para a surpresa da maioria das pessoas. O estudo encontrou grandes quantidades do recurso nas regiões mais profundas da costa australiana, da China, dos países da América do Norte e da África do Sul.

coralReservas debaixo de plataformas continentais possuem cinco vezes o volume dos lagos de água doce. Imagem [USFWS Pacific/Flickr]. Segundo os cientistas, as reservas de água potável debaixo das plataformas continentais se formaram numa época em que o nível dos oceanos era bem mais baixo do que no período atual, o que facilitou o acúmulo da água das chuvas nestas regiões. No fim da última era glacial, as reservas foram preenchidas com parte do derretimento das geleiras, e, então, a água doce ficou protegida pelas lâminas sedimentárias que existem no planeta.

De acordo com o Discovery News, o estudo revela que, somadas, as reservas hídricas submarinas representam cinco vezes o volume dos lagos de água doce da Terra. Segundo Vincent Post, coordenador do estudo e professor da Universidade de Flinders, as quatro formações de água doce nos oceanos chegam a 500 mil quilômetros cúbicos – quantidade que serviria como alternativa para a escassez de água no planeta, agravada, principalmente, pela poluição dos corpos hídricos.

Uma vez descobertas às reservas de água potável no mar, um dos principais desafios é desenvolver meios para vencer as profundidades, sem causar impactos no meio ambiente para a utilização deste recurso. Assim, acredita-se que a exploração dos corpos hídricos submarinos demande altos custos e muitos cuidados para evitar a contaminação e deterioração das águas – não só da potável, mas também dos oceanos.

* Via CicloVivo

http://consumidormoderno.uol.com.br/inovac-o/pesquisadores-descobrem-agua-doce-no-fundo-do-mar

Colaboração: Adolpho Ladeira – Analista de Mercado.

VOCÊ CONHECE A “INTERNET DAS COISAS”?

Pensar em ter uma vida com essas facilidades é muito bom, porém, preocupa-me chegar à era, na qual as pessoas sintam-se inúteis em virtude de tanta comodidade.

Djanira Felipe – mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe por quê.

IoT

Quando você ouve a palavra Internet, qual a primeira imagem que vem na sua cabeça? 99% das pessoas pensariam em navegação por websites com os mais diversos conteúdos disponíveis na grande rede de computadores. Felizmente, esse tipo de pensamento já é passado. A resposta mais correta atualmente seria: uma grande rede virtual conectando pessoas, coisas e tudo que possa ser colado a uma etiqueta eletrônica (tag).

Essa conectividade de tudo é conhecida como “Internet das Coisas”. Não é um equipamento, nem um software. A Internet das coisas é uma tecnologia que está sendo desenvolvida para que os objetos do nosso dia-a-dia sejam criados em ambientes inteligentes, facilitando a vida das pessoas. Esse sistema conecta a Internet a diversos objetos, não somente os computadores, notebooks, tablets ou celulares, mas também as televisões, geladeiras, automóveis, entre outras coisas.

Se você ainda não tinha ouvido falar sobre isso, é bom se acostumar, porque o assunto deve inundar nossas vidas em pouco tempo, a começar pela própria internet como a conhecemos hoje.

Hoje já temos carros conectados, que podem ser guiados sem a necessidade de um motorista. As geladeiras já estão conectadas na Internet, permitindo inclusive ser identificado automaticamente quais os alimentos que estão faltando e criar uma lista de compras, sem a necessidade do usuário sequer ter alguma interação. Arrisco a dizer que muito em breve, sua geladeira poderá acessar o site do supermercado e fazer as compras por você, sem precisar sair de casa.

A Internet das coisas nasceu no laboratório Auto-ID do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), e se refere ao conceito de identificação por RFID (Radio-Frequency IDentification) e marcação de objetos do mundo físico. O RFID é um método de identificação automática através de sinais de rádio, recuperando e armazenando dados remotamente através de dispositivos denominados etiquetas RFID. Uma etiqueta (ou tag) RFID é um transponder, pequeno objeto que pode ser colocado em uma pessoa, animal, equipamento, embalagem ou produto, entre outros.

Um estudo da empresa americana Cisco Systems mostra que, atualmente, já existem mais objetos conectados à Internet do que pessoas no mundo. Em 2020, 50 bilhões de coisas estarão conectadas à Internet. Em uma década, empresas e consumidores terão visto US$ 14,4 trilhões circularem por causa desta nova era, segundo previsão da empresa.

Rob Lloyd, presidente de vendas e desenvolvimento da Cisco Systems, declarou em uma conferência em março deste ano que 99% dos eletrônicos do mundo estão desconectados da internet. Por isso, o próximo passo é a Internet das coisas, em que esses dispositivos poderão ser postos online. Os setores de fabricação, público, energia, utilidades, saúde, finanças, seguros, transporte e distribuição serão os primeiros a se movimentar neste sentido, na visão da Cisco.

Um startup holandesa, a Sparked, colocou sensores com wireless no gado. Assim, quando um animal está doente ou quando uma vaca está grávida, os sensores avisam o fazendeiro.

Algumas marcas já usam a Internet das Coisas para se manter na lembrança de seus consumidores. É o caso da água Bonafont, que criou a geladeira que twitta quando o usuário abre o eletrodoméstico para beber água. Segundo o vídeo da marca sobre a geladeira, “Bebemos menos água do que deveríamos. Embora o mínimo indicado seja o consumo de dois litros de água por dia, cada brasileiro toma, em média, 1,2 litros diários. A razão é muito simples: ninguém se lembra de beber água. Principalmente durante o expediente de trabalho”.

A ideia da empresa é que os usuários do Twitter se lembrem de beber água ao ver as publicações, ficando cientes do consumo mínimo.

Elise Ackerman, colunista da Forbes, recentemente cogitou a ideia de que uma startup de internet das coisas poderia ser a próxima Microsoft. Sarah Rotman Epps, analista da Forrester, escreveu em seu blog sobre o papel que as tecnologias vestíveis, proeminentes do segmento da internet das coisas, desempenharão no futuro da computação pessoal.

A empresa de consultoria Gartner mencionou a internet das coisas entre as Top 10 tendências de estratégia tecnológica para 2013, afirmando que mais de 30 bilhões de objetos serão conectados até 2020.

Segundo o Gartner, a Internet das coisas vai apoiar fortemente a TI, principalmente no Brasil, onde há mais de 260 milhões de celulares ativos. De acordo com uma pesquisa global da consultoria, hoje, mais de 50% das conexões de internet são para conectar coisas. Em 2011, foram 15 bilhões de conexões permanentes e 50 bilhões esporádicas. A previsão do Gartner é de que esses números cresçam dez vezes até 2020.

Isso é apenas o inicio de um ciclo de renovação tecnológica que nos auxiliará na otimização de nossas tarefas consideradas básicas e simples. Bem vindo à internet das coisas, bem vindo ao novo mundo onde a internet começa dar vida aos mais simples aparelhos que fazem parte do nosso cotidiano.

Erick Pedretti Nobre é especialista em segurança da informação, gerenciamento, wireless, e Account Manager da empresa CYLK

Fonte: Consumidor Moderno – 09/12/2013

                                               

PROGRAMA DE IDENTIFICAÇÃO BIOMÉTRICA DO ELEITOR

AMIGOS LEITORES E ELEITORES,

A PARTIR DESTA DATA VAMOS POSTAR MATÉRIAS SOBRE O RECADASTRAMENTO BIOMÉTRICO, OU SEJA, DO CADASTRO DAS IMPRESSÕES DIGITAIS DOS ELEITORES BRASILEIROS.

DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ.

image_destaque_internoCom o objetivo de garantir um sistema de votação verdadeiramente democrático e ainda mais seguro, várias tecnologias têm sido desenvolvidas pela Justiça Eleitoral brasileira. A mais recente delas envolve a biometria, por meio do recadastramento biométrico, ou seja, do cadastro das impressões digitais dos eleitores.

A medida impede que uma pessoa tente se passar por outra no momento da identificação em um pleito – já que não existem impressões digitais iguais – e faz parte do Programa de Identificação Biométrica do Eleitor brasileiro.

De forma pioneira, o recadastramento biométrico foi lançado com sucesso em três cidades de três Estados diferentes, com foco nas eleições municipais de 2008. Naquele pleito, os pouco mais de 40 mil eleitores de Colorado do Oeste – RO, Fátima do Sul-MS e São João Batista-SC foram identificados biometricamente.

Nas eleições gerais de 2010, mais de 1,1 milhões de eleitores de 60 cidades de 23 Estados participaram das eleições gerais após a identificação de suas impressões digitais. E no pleito municipal de 2012, a tecnologia alcançou mais de 7,7 milhões de eleitores de 299 municípios de 24 Estados.

Em 2013, a Justiça Eleitoral iniciou a terceira etapa do Programa de Identificação Biométrica do Eleitor, com foco nas eleições gerais de 2014. A meta é recadastrar mais 16 milhões de eleitores até o ano que vem, para que cerca de 23,7 milhões de brasileiros de todos os Estados e do Distrito Federal possam ser identificados biometricamente no pleito que se aproxima.

LC/LF

http://www.tse.jus.br/eleitor/recadastramento-biometrico/programa-de-identificacao-biometrica-do-eleitor

AGUARDEM A PRÓXIMA POSTAGEM SOBRE O ASSUNTO. FIQUE ATENTO PARA NÃO PERDER O INÍCIO NO RIO DE JANEIRO.

Município do Estado do Rio de Janeiro em fase de recadastramento biométrico

Município

Data início Data final
Niterói 29.4.2013

31.10.2013

LAVAR OS COPOS ESTÁ SE TORNANDO COISA DO PASSADO; VEJA O COPO COMESTÍVEL

AMIGOS, VEJAM QUE INTERESSANTE ESTA MATÉRIA QUE RECEBI DE UM AMIGO. IMAGINO QUE SEGUIDO AO COPO PODERÃO DESENVOLVER OUTROS TIPOS DE PEÇAS.

DJANIRA FELIPE – Mulher que escreve. Mulher que faz.

artigo_73866

Ideal para festas, onde toda a louça suja acaba ficando para o anfitrião, o copo comestível vai poupar trabalho e ainda ajuda ao meio ambiente

Está cansado de lavar os copos de vidro depois do almoço de domingo? Preocupa-se com o meio ambiente e evita utilizar copos descartáveis que demoram centenas de anos para se decompor? Seus problemas, enfim, parecem solucionados. Isso porque a agência de design norte-americana The Way We See The World desenvolveu um copo comestível. Sim, comestível. O produto é feito de ágar-ágar, um tipo especial de gelatina de algas, que deixa o copo bem maleável. A invenção já conta com três misturas de sabores: limão com manjericão, gengibre com hortelã e alecrim com beterraba. Bon appétit!

Fonte: Administradores – 29/10/2013

Colaboração: Adolpho Ladeira – Analista de Mercado.

%d blogueiros gostam disto: