Arquivo da categoria: Inclusão Social

TOLERÂNCIA – É O DEVER DE CASA DOS HOMENS

download (1)

Aprender a conviver com as diferenças  é excercitar a tolerância, e ao mesmo tempo, colocar em evidência  a responsabilidade virtuosa de quem tem uma visão ampla. (Djanira Felipe)

A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena. Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!  (Chico Xavier)

Anúncios

ERRADICAR A EXTREMA POBREZA E A FOME

download (4)ERRADICAR A EXTREMA POBREZA E A FOME

“A pobreza é fácil de denunciar, mas difícil de combater. Aqueles que sofrem com a fome, a miséria e a falta de dignidade precisam mais do que palavras simpáticas; eles precisam de apoio concreto.

Nós marcamos esse Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza em um momento de austeridade econômica em muitos países. Enquanto os governos lutam para equilibrar o orçamento, o financiamento para a redução da pobreza está sob ameaça. Mas este é justamente o momento de fornecer aos pobres acesso aos serviços sociais, segurança de renda, trabalho decente e proteção social. Só então poderemos construir sociedades mais fortes e prósperas – e não equilibrando orçamentos à custa dos pobres.

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio [ODM] galvanizaram uma ação global que gerou um grande progresso. Nós reduzimos a pobreza extrema pela metade e corrigimos o desequilíbrio de gênero na educação infantil, com tantas meninas agora frequentando a escola primária quanto os meninos. Muitas comunidades a mais têm acesso a água potável. Milhões de vidas foram salvas graças a investimentos em saúde.

Esses ganhos representam um grande avanço em direção a um mundo mais justo, próspero e sustentável. No entanto, mais de um bilhão de pessoas ainda vivem na pobreza, sendo negado seus direitos a alimentação, educação e cuidados de saúde. Nós temos que capacitá-los para nos ajudar a encontrar soluções sustentáveis. Nós não devemos medir esforços para garantir que todos os países alcancem os ODM até 2015.

Na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável [Rio+20], realizada em junho deste ano, líderes de todo o mundo declararam que a erradicação da pobreza é “o maior desafio global que o mundo enfrenta hoje”.

Estamos agora desenvolvendo o quadro de desenvolvimento das Nações Unidas para o período pós-2015, com base nos ODM enquanto enfrentamos as desigualdades persistentes e os novos desafios que enfrentam as pessoas e o planeta. Nosso objetivo é produzir um quadro ousado e ambicioso, que pode promover a mudança transformacional beneficiando as pessoas agora e as gerações futuras.

A pobreza crescente, que preponderou por muito tempo, está ligada à agitação social e às ameaças à paz e segurança. Neste Dia Internacional, vamos fazer um investimento no nosso futuro comum ajudando a tirar as pessoas da pobreza para que elas, por sua vez, possam ajudar a transformar o nosso mundo.”

________________________

odm

Grifo nosso

http://unicrio.org.br/dia-internacional-para-a-erradicacao-da-pobreza-17-de-outubro-de-2012/

http://www.pnud.org.br/ODM1.aspx

https://www.google.com.br/search?q=odm+fotos&espv=2&biw=1280&bih=899&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ved=0CDAQ7AlqFQoTCNbTnpiLtMgCFcsKGgodFccOmg

17 DE MAIO – DIA MUNDIAL DAS TELECOMUNICAÇÕES E DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO

 

museu-das-telecomunicacoes-no-rio-1332973087759_200x285

A capacidade de transmitir informação importante com rapidez através de grandes distâncias, preenchendo os vazios do tempo e do espaço, ampliou de forma exponencial todas as atividades humanas, desde enviar mensagens pessoais até realizar transações financeiras complexas ou abordar aspectos críticos da guerra e da paz. O Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação evidencia a função transformadora e estimulante das comunicações e da informação nas sociedades e a necessidade universal de se comunicar e cooperar através das fronteiras.”

Com estas palavras, Ban Ki-moon, secretário-geral da Organização das Nações Unidas, deixa clara a importância de celebrar o dia 17 de maio, que a Assembleia Geral da própria ONU instituiu como Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação.

Não se trata, porém, de uma simples comemoração: o dia serve para evidenciar o esforço promovido cotidianamente pela UIT  Â­- União Internacional de Telecomunicações, agência especializada das Nações Unidas para o setor.

A UIT foi criada em 17 de maio de 1865. Era, então, a União Internacional de Telegrafia, e foi estabelecida pelos representantes de 20 países europeus, que criaram um conjunto de normas para regulamentar o uso internacional do telégrafo.

União Internacional das Telecomunicações
Primeira organização intergovernamental do planeta, a UIT ampliou suas atividades paralelamente ao desenvolvimento dos meios de comunicação à distância ou telecomunicação (“tele”, em grego, significa “ao longe”). Atualmente, a agência trabalha para coordenar o funcionamento dos meios de comunicação no mundo, tornando compatíveis, por exemplo, os diversos sistemas técnicos.

Sociedade da Informação
Se a noção de telecomunicações dispensa esclarecimento, o mesmo não ocorre com o conceito de Sociedade da Informação, a que o dia também se refere. O que é essa sociedade?

Antes de mais nada, um produto da globalização, da integração das economias dos países do mundo que se desenvolveu a partir do fim da Segunda Guerra Mundial e se amplificou com o colapso da União Soviética, cujo regime servia de obstáculo ao capitalismo liberal ou liberalismo. É também resultado das revoluções tecnológicas das duas últimas décadas do século 20, em especial no campo das telecomunicações e da informática, que convergiram e possibilitaram a produção e difusão de informações numa escala jamais imaginada.

Entretanto, a Sociedade da Informação mais do que um estágio a que se chega é um processo em andamento. Para isso, tem contribuído especialmente o desenvolvimento da internet, a rede mundial de computadores (ou www, world wide web), que permite o acesso a esse fluxo ininterrupto de informações a qualquer pessoa que disponha de um computador e de um meio de conexão.

Além de ter possibilitado o surgimento de novas formas de comércio e prestação de serviços, a internet também tem tido grande impacto na vida cotidiana de milhões de pessoas, seja mudando seus hábitos, seja aproximando-as por meio de uma possibilidade de comunicação rápida e relativamente barata.

Inclusão digital
Veículo interativo, em que o usuário tem a possibilidade de se incluir e atuar, a rede de computadores possibilita os mais variados tipos de trocas entre os seres humanos, desde a manifestação de uma opinião política, através de abaixo-assinados ou e-mails para parlamentares, até os encontros amorosos. Aliás, a interatividade é a chave para um novo desenvolvimento da internet.

Por mais breve que seja a exposição do conceito de Sociedade de Informação, é impossível encerrá-la sem falar sobre a questão da divisão entre ricos e pobres, entre os que têm e não têm acesso a essa Sociedade. Trata-se não só de apontar a existência da separação, mas de trazer à tona outro conceito importante: o de inclusão digital, que vem a ser a necessidade de estender os benefícios das novas tecnologias de comunicação e informação e ampliar o acesso a elas a toda a população mundial.

 

FONTE: educacao . uol . com . br / datas – comemorativas / 0517 – – – dia – mundial – das – telecomunicacoes – e – da – sociedade – da – informacao . jhtm

10 FATOS IMPORTANTES SOBRE O UNIVERSO DO MARKETING DIGITAL

Hand holding a 3d Digital Marketing Sphere on white background.

Hand holding a 3d Digital Marketing Sphere on white background.

Confira os números e dados que movimentaram o mundo do marketing durante a última semana:

1. A Mondo, uma empresa digital de staffing, recentemente divulgou uma pesquisa sobre cargos e salários. Segundo a empresa, os empresários que ocupam a posição de chief digital officer são os que recebem melhor, cerca de US$ 156 mil a US$ 301 mil por ano. Logo em seguida vêm os chief marketing technologists (US$ 144 mil a US$ 288 mil) e depois os chief marketing officers (US$ 142 mil a US$ 230 mil).

2. A Criteo analisou 120 mil transações online – realizadas em desktop, smartphones e tablets – e concluiu que aproximadamente 33% dos presentes do Dias das Mães serão comprados via dispositivos móveis.

3. De acordo com a Amobee Brand Intelligence, as citações e impressões da McCann cresceram 46%.

4. Uma pesquisa feita pela revista Men’s Health aponta que 58% das pessoas entrevistadas gostariam de comprar um relógio conectado, sendo que 37% já possuem um.

5. A Crate & Barrel fez com que a taxa de conversão de seu site subisse 44% por meio de uma análise sobre como as pessoas navegam pelo seu e-commerce. Já a pesquisa conduzida pela SheSpeaks com mais de duas mil mulheres, descobriu que 83% delas descobrem vídeos por meio do Facebook. Em seguida, contam vídeos em sites (54%), boca-a-boca (49%), blogs (36%), Twitter (27%) e Instagram (21%).

6. Em uma apresentação na semana passada, o YouTube afirmou que o número de visitantes à plataforma cresceu 40% desde o ano passado, sendo que a maioria acessou o site via mobile.

7. A TripleLift entrevistou 209 pessoas para medir o impacto de anúncios nativos. De acordo com a Digiday, 71% dos participantes reconhecem os anúncios – enquanto 62% não sabem que estão consumindo conteúdo patrocinado.

8. No dia 28 de abril, o Twitter reportou US$ 388 milhões em venda de anúncios no primeiro trimestre, um aumento de 72% em relação ao ano passado. Grande parte (89%) desse lucro veio de anúncios mobile.

9. Ainda não está convencido do potencial de marketing do Instagram? Tudo que a empresa de catálogos Z Gallerie obter um aumento de 24% nas assinaturas em um período de duas semanas foi colocar um link em sua fanpage na rede social.

Também vale ressaltar a arrecadação de fundos promovida pelo Facebook para o terremoto que atingiu o Nepal semana passada. A rede social inseriu um botão de doação na página inicial de todos os usuários com um pedido de ajuda. Nas duas primeiras semanas, foram arrecadados mais de US$ 10 milhões.

Com informações do Ad Week

 

Fonte: Proxxima – 05/05/2015

Colaboração Adolpho Ladeira – Analista de Mercado.

PORCOS SÃO PORCOS

CAROS LEITORES,

Recebi o texto Porcos são porcos, escrito por Beatriz Acampora, de um amigo. E resolvi postar para conhecimento de todos e reflexão. Particularmente o percebi como bem adequado ao cenário do cotidiano. Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.

porcosUm fazendeiro criava porcos em uma pocilga. Certa vez ele, cuidando dos porcos, teve muitos problemas. Um porco doente vomitou a lavagem em seus pés, um outro porco corria e espalhava lama para todo lado, sujando-o, outro porco fazia tanto barulho que o irritava profundamente, e, ainda, um outro porco queria derrubá-lo na lama e ele lutava para ficar em pé.

O fazendeiro simplesmente pensava: esses porcos estão me enlouquecendo, são todos sujos e não respeitam nada. Até que um porco, que gostava de se manter limpo e reservado, sem se misturar com os outros porcos, foi fazer um carinho em seu dono, querendo mostrar que ele era diferente, mas o fazendeiro simplesmente o chutou, porque para ele este era apenas mais um porco dentre todos os outros.

Assim como em uma pocilga com porcos, cada um de nós faz parte de um ou mais grupos e somos julgados, avaliados, a partir dos grupos aos quais pertencemos. Seu comportamento pode ser inteligível, nobre e respeitoso, mas se o(s) grupo(s) do(s) qual(is) você faz parte tem um comportamento diferente, você leva a fama por tudo de ruim e bom que a coletividade promove.

Dessa forma, é muito importante olhar o macro, escolher os grupos aos quais nos filiamos, buscar conciliar valores pessoais com valores coletivos e, até mesmo, saber quando é a hora de deixar de fazer parte de um determinado grupo. Cabe aqui as máximas “quem se mistura com porcos farelo come” e “diga com quem andas que te direis quem és”.

Muitas vezes você pode olhar à sua volta e perceber que as pessoas com quem você anda, se envolve e se relaciona têm comportamentos que você nunca teria. E você pode até mesmo tentar explicar aos outros, que assistem tais comportamentos, que você não é assim, mas, eles não irão acreditar porque o que o grupo representa é mais forte do que um único indivíduo.

Um brasileiro ao chegar em outro país representa o que o Brasil tem de bom ou ruim. Ele sempre será visto como um brasileiro. Se existem coisas que não são possíveis de serem mudadas, como ser brasileiro, por exemplo, outras, como fazer ou não parte de um grupo que não tem os mesmos valores que adotamos, apenas cabe a nós, o poder de decisão.

Por Beatriz Acampora

10 MOTIVOS PARA VOTAR EM CRIVELLA GOVERNADOR

CRIVELLA É A CERTEZA DA MUDANÇA!

8 DE SETEMBRO – DIA INTERNACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO

Dia da Alfabetização copy

O dia 8 de setembro foi declarado em 1967, pela ONU e pela UNESCO, como o Dia Internacional da Alfabetização, com o objetivo de despertar a consciência da comunidade internacional e chegar a um compromisso mundial com relação ao desenvolvimento e à educação.

Tem como objetivo despertar a consciência da comunidade internacional e chegar a um compromisso mundial com relação ao desenvolvimento humano e à educação.

Há, no mundo, cerca de 880 milhões de adultos que não sabem ler nem escrever. O desenvolvimento econômico, o progresso social e a liberdade dos seres humanos dependem do estabelecimento de um nível básico de alfabetização em todos os países do mundo.

Fala-se em alfabetização básica, quando uma pessoa sabe ler, escrever e conhece as principais regras de cálculo. Segundo a UNESCO, uma pessoa é analfabeta quando não consegue ler ou escrever uma pequena frase sobre sua vida. No entanto, aos números mencionados acima, podemos adicionar as centenas de milhões de “analfabetos funcionais”, pessoas que sabem ler e escrever uma frase simples, mas não vão muito além disso. Por exemplo, não sabem preencher um formulário, interpretar um artigo de jornal ou usar os números na dia-a-dia.

Talvez a definição mais correta de alfabetização seja do pedagogo brasileiro Paulo Freire: “A alfabetização é mais, muito mais, que ler e escrever. É a habilidade de ler o mundo, é a habilidade de continuar aprendendo e é a chave da porta do conhecimento”.

 

FONTE: oieduca . com . br/biblioteca/que-dia-e-hoje/dia-internacional-da-alfabetizacao . html

MCAFEE AFIRMA QUE 87% DOS JOVENS JÁ PRESENCIARAM CYBERBULLYING NAS REDES SOCIAIS

cyberbully

A empresa de segurança de softwares McAfee realizou pesquisa entre norte-americanos de 10 a 18 anos sobre privacidade online e redes sociais, com o objetivo de mostrar como os comportamentos online podem ser prejudiciais para a vida longe do computador.

Segundo a pesquisa, 87% dos entrevistados já presenciaram algum tipo de cyberbullying e outros 27% viram comportamentos cruéis na rede.

Além disso, 72% dos jovens afirmaram que o principal motivo do cyberbullying é a aparência física, seguido por etnia ou religião, com 26%, e 22% por causa da orientação sexual. Entre os pesquisados, 57% disseram reagir com atitudes agressivas e 47% apagaram as contas nas redes sociais.

Apesar do bullying, um a cada três adolescentes relatou se sentir mais confortável para relacionamentos através das redes sociais do que pessoalmente.

Em relação à segurança dos jovens, 52% disseram não se preocupar em desabilitar os recursos de localização por GPS.

Diante dos perigos, a McAfee sugere que os pais a alertem os filhos sobre os riscos de algumas atitudes na rede; que os pais tenham acesso às senhas das contas em redes sociais dos filhos; que os responsáveis saibam sobre o funcionamento das novas tecnologias e conheçam as novidades das redes sociais; e certifiquem-se que os filhos estejam cientes de que as publicações poderão ser vistas por qualquer pessoa, evitando possíveis constrangimentos.

Fonte: www . mcafee . com/us/about/news/2014/q2/20140603-01 . aspx

INTERNET BATE RECORDES E CRESCE NAS CLASSES C, D E E

internet

A internet no Brasil não é mais a mesma. Recentemente, ultrapassou a marca de 105 milhões de usuários, a metade pertencente às classes C, D e E. O crescimento movimenta uma cadeia bilionária de negócios, com reflexos que vão da ponta do consumo aos investimentos em infraestrutura. Só o e-commerce de bens de consumo deve fechar o ano com faturamento em torno de R$ 28 bilhões, 25% mais do que no ano passado, um volume movimentado por cerca de 50 milhões de consumidores virtuais.

A estimativa da E-bit é de algo próximo dos 70 milhões de pedidos, com ticket médio perto de R$ 360, distribuídos entre 25 mil e 30 mil lojas formalmente estabelecidas. Dois destaques apontados pelo diretor geral Pedro Guasti no estudo Webshoppers são as redes sociais, responsáveis por 5% das compras virtuais, e a mobilidade, com 3,6%. “Há dois anos era menos de 1%”, diz. O presidente da Câmara-e.net, Gerson Rolim, aponta o crescimento da presença da classe C. “A faixa de maior destaque nos últimos cinco anos é a de pessoas com ganhos de até R$ 3 mil por mês”.

Os números da Nielsen Ibope refletem o gosto do brasileiro pelas redes. O alcance da categoria Comunidades, que engloba redes sociais, fóruns, blogs, microblogs, bate-papos e sites de relacionamento, chega a 83% dos usuários, bem à frente do segundo colocado entre os países em que a pesquisa é realizada – a França, com 72,6%. Eles dedicam ao segmento 11h12 mensais, bem mais do que aos portais (2h15) e aos buscadores (1h25). Na Alemanha, segunda no ranking, são 7h29.

Segundo o analista José Calazans, hoje o brasileiro gasta em média 50 horas por mês na internet, contra 40 horas em 2009. Além da classe C, ele destaca o crescimento de segmentos como donas de casa no perfil do usuário nos últimos anos, estimuladas por equipamentos trazidos para o lar por pessoas mais jovens. “São quase 5 milhões de usuárias ativas”, diz.

Dobro do tráfego

A pesquisa TIC Domicílios e Empresas 2012, do Comitê Gestor da Internet (CGI.br), comprova o crescimento no uso da internet. Mas indica algumas barreiras. Embora a penetração nos domicílios tenha passado de 18% em 2008 para 40% no ano passado, nas áreas rurais a presença da rede alcança apenas um em cada dez domicílios e ainda há disparidades regionais, com a cobertura ficando em 21% no Norte e 27% no Nordeste – que, no entanto, apresentou o maior crescimento entre as regiões, 27%.

Entre as classes sociais, enquanto a penetração em domicílios de classe A passou de 91% para 97% em quatro anos, na classe B foi de 58% a 78%, enquanto na C mais que dobrou – de 16% em 2008 para 36% em 2012. “A principal barreira ainda é o custo”, diz Alexandre Barbosa, do NIC.br, responsável pelo estudo.

Segundo ele, 44% dos usuários não possuem o serviço no domicílio por não ter como pagar, enquanto 25% acessam de algum outro local e 11% simplesmente não têm a habilidade necessária.

O estudo mostra que entre as empresas as tecnologias de computadores, internet e banda larga estão praticamente universalizadas, mas principalmente para atividades básicas, como e-mail, busca de informações e uso de serviços de governo eletrônico. Só 55% têm sites, a maioria oferecendo informações institucionais, e 16%, vendas pela internet. Mas 36% têm páginas em redes sociais. “O uso de software para modificar processos e adicionar valor à cadeia ainda é baixo”, aponta Barbosa.

O crescimento da banda larga é outro indicador da vitalidade da internet no país. O estudo Barômetro Banda Larga 2.0, da Cisco, contabilizou 25,8 milhões de conexões de banda larga no país no ano passado, 18,6% mais que em 2011. A velocidade média alcançou 4,68 Mbps, com migração de consumidores para planos de banda larga com velocidade maiores – no final do ano passado, 42% das conexões fixas eram de 10 Mbps ou mais. A estimativa é que em 2017 o número supere 42,6 milhões de conexões no total, com 52% da população conectada, acima da média mundial (48%).

A estimativa é que o tráfego IP dobre em cinco anos, com taxa de crescimento anual composta de 17%. O desempenho se espelha nas receitas das operadoras.

De acordo com Eduardo Tude, dirigente da consultoria Teleco, no primeiro semestre o faturamento das operadoras com banda larga fixa atingiu R$ 13,5 bilhões, mais da metade dos R$ 25,4 bilhões obtidos em 2012. Na banda larga fixa, foram R$ 4,7 bilhões nos primeiros seis meses de 2013, ante R$ 9 bilhões no ano passado.

Fonte: Observatório da Imprensa – 22/10/2013

ENTENDA (E EXPERIMENTE) COMO FUNCIONA A MENTE DE UM AUTISTA

AMIGOS,

ACREDITO QUE ESTA MATÉRIA MUITO AJUDARÁ A ESCLARECER ALGUMAS DÚVIDAS DAS PESSOAS QUE CONVIVEM E DAS PESSOAS QUE TÊM INTERESSE PELO ASSUNTO, QUE NÃO PERTENCE APENAS ÀS FAMÍLIAS, MAS É UM ASSUNTO SOCIAL.

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz.

carly-2imagens: Reprodução do site carlyscafe. com

Enquanto sua irmã gêmea se desenvolvia normalmente, o progresso da canadense Carly Fleischmann era lento. Logo foi descoberta a razão: aos dois anos de idade, ela foi diagnosticada com autismo severo. Hoje, Carly é uma adolescente que não consegue falar – mas encontrou outro meio de se comunicar. Aos 11 anos, ela foi até o computador, agitada, e fez algo que deixou toda a sua família perplexa: digitou as palavras DOR e AJUDA e saiu correndo para vomitar no banheiro.

Supostamente, Carly nunca tinha aprendido a escrever. Mas aquilo mostrou que acontecia muito mais em sua mente do que qualquer um poderia imaginar. E foi assim que começou uma nova etapa em sua vida: ela foi incentivada a se comunicar mais desta forma e a criar contas em redes sociais, como o Twitter e o Facebook. Também ajudou o pai a escrever um livro sobre a sua condição e deu as informações para a criação de um site que simula a sua experiência diária com toda a descarga sensorial que recebe em situações cotidianas, como ir a um café. “O autismo me trancou em um corpo que eu não posso controlar”, diz ela no site.

Veja clicando no link abaixo.

http://www.carlyscafe.com/

Depois que sua história foi para a mídia, Carly começou a receber muitos e-mails de pessoas perguntando sobre o autismo e criou um canal para respondê-las. “As pessoas têm muitas de suas informações vindas dos chamados especialistas, mas eu acho que esses especialistas não conseguem dar uma explicação a algumas questões”, escreveu.

Veja a resposta que ela deu em seu site e entenda melhor o comportamento dos autistas:

Pergunta: Meu filho de seis anos ​​fica triste e chora com frequência, e eu não consigo entender o porquê. Você tem alguma sugestão de como eu posso descobrir o que está errado?

Carly: Pode ser muitas coisas. Será que ele está tomando algum medicamento? Eu tive muitas mudanças extremas de humor, como chorar e sentir raiva sem motivo, por causa da medicação. Também poderia ser algo que aconteceu mais cedo ou dias atrás e que ele está processando apenas agora.

Alguma vez você gritou aparentemente sem motivo? Por exemplo, você parecia feliz e relaxada, mas de repente começou a gritar? Minha filha faz isso às vezes e eu estou tentando descobrir o porquê.

Eu amo esta pergunta. Ela está fazendo uma filtragem dos sons e quebrando os ruídos e conversas que tem ouvido ao longo do dia. [O cérebro dos autistas funciona de maneira diferente e se sobrecarrega com estímulos externos, como sons, luzes, imagens e cheiros. Gritar, tapar os ouvidos, fazer ruídos ou movimentos repetitivos, segundo Carly, são uma forma de bloquear esses estímulos e se concentrar em apenas um]. Além dos gritos, você pode nos ver chorando ou rindo, tendo convulsões e até manifestando raiva. É a nossa reação ao, finalmente, entender as coisas que foram ditas e feitas no último minuto, dia ou até mês passado. Sua filha está bem.

Será que você poderia me dizer por que meu filho de quatro anos de idade (que tem autismo) grita no carro cada vez que paramos em um semáforo. Ele está bem e feliz enquanto o carro se move, mas, uma vez que paramos, ele grita e faz uma birra incontrolável.

Eu amo longas viagens de carro, elas são uma ótima forma de estímulo sem você precisar fazer nada. O movimento do carro e o cenário visual passando por ele permite que você bloqueie qualquer outra entrada sensorial e se concentre em apenas uma. Meu conselho é colocar uma cadeira de massagem no banco do carro. Assim, quando ele parar, seu filho ainda estará sentindo o movimento. Você pode também colocar um DVD mostrando um cenário em movimento.

De onde você tira tanta informação sobre a cultura pop?
Eu escuto tudo que está acontecendo ao meu redor. Se houver uma TV e eu estou em outro quarto, ainda posso ouvi-la. Se pessoas estão falando, eu gosto de ouvir o que estão dizendo, mesmo se não estão falando comigo. Não é porque eu não pareço estar prestando atenção que esse seja o caso.

Em seus sonhos você é autista?

Sim e não. Em alguns dos meus sonhos eu posso falar e fazer coisas que as crianças da minha idade fazem. Mas em outros eu ainda tenho dificuldade em fazer as coisas que posso fazer quando estou acordada. Eu sonho com um monte de coisas, como meninos e alimentos. Eu nem sempre me lembro dos meus sonhos, mas gosto deles.

Você pode descrever como se sente por dentro? Você acha que é diferente de crianças que não têm autismo?

O problema é que eu não sei o que as outras crianças sem autismo estão sentindo. Eu tenho lutas comigo todos os dias, desde que acordo até a hora de ir dormir. Não posso nem ir ao banheiro sem dizer a mim mesma para não pegar o sabonete e cheirá-lo ou sem lutar comigo mesma para não esvaziar todos os frascos de xampu.

 Existem coisas que você considera mais desafiadoras, como abotoar sua roupa ou cortar a comida com uma faca? Por que você acha que não pode fazer esse tipo de coisa? O que acha que poderíamos fazer para ajudar?

Algumas coisas eu acho que posso fazer, mas é preciso muita concentração para isso. Ficar sentada e digitar é algo muito avassalador para mim – eu preciso fazer pausas e dizer a mim mesma para fazê-lo. Eu não acho que as pessoas realmente sabem como é difícil. Parece tão fácil para todo mundo, mas é como falar três línguas ao mesmo tempo.

Para ler outras perguntas e respostas, veja o site de Carly.

Fontes: http: // super. abril. com. br / blogs / como-pessoas-funcionam / entenda-e-experimente-como-funciona-a-mente-de-um-autista-com-a-ajuda-de-uma-adolescente-que-sofre-dessa-condicao /

APOIO DOS CORREIOS EM OFICINAS PARA PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN

sindrome-de-down1

QUERIDOS AMIGOS,

MAIS UMA VEZ RATIFICAMOS O NOSSO INTERESSE EM COMUNICAR ASSUNTOS DE INTERESSE DA SOCIEDADE E QUE PROMOVAM O BEM COMUM E MELHOR QUALIDADE DE VIDA AOS MENOS FAVORECIDOS. ESTE TRABALHO É FEITO COM CARINHO E DEDICADO A VOCÊ QUE NOS ACOMPANHA, COMENTA PARTICIPA. MUITO OBRIGADA POR CONTINUAR CONOSCO. ABRAÇO FRATERNO.

DJANIRA FELIPE– MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ.

 

Os Correios estão patrocinando oficinas de fotografias para os portadores de Síndrome Down, no Complexo da Maré, no Rio.

O projeto é uma parceria entre a ONG Movimento Down e a organização Observatório de Favelas. No curso, a linguagem fotográfica é apresentada a jovens e adultos com a síndrome.

Além de contribuir para que essas pessoas possam exercer sua cidadania de maneira plena e autônoma, o projeto colabora para a inserção no mercado de trabalho.

As oficinas são pautadas por exercícios práticos e pela elaboração experimental de imagens, aliando a técnica fotográfica ao debate das questões sociais relacionadas às pessoas com deficiência.

Mais de 400 crianças e adolescentes já participaram. Estão abertas as inscrições para novas turmas. Informações podem ser solicitadas para contato@movimentodown.org.br

Fonte: ASCOM – RJ

%d blogueiros gostam disto: