Arquivo da categoria: Educação

POR QUE DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA?

images (1)Por Djanira Felipe

Tem coisa que leio e não consigo deixar de refletir:  Perante Deus somos todos irmãos – acredito, mas no mundo dos homens não somos tratados como irmãos. Perante a lei todos são iguais, sem distinção de sexo, cor e religião! Não vou rir! O assunto é sério demais. Agora, Dia da Consciência Negra? Quem disse que consciência tem cor e por que é negra se poderia ser  verde, amarela, azul , branca ou qualquer outra cor? E não venham me dizer que não conheço a História do Líder do Quilombo dos Palmares porque faz parte da História do Brasil e do Nordeste. É assunto que deverá ainda versar em sala de aula, pelo menos no ensino básico. Por que Dia da Consciência Negra? Será que poderei entender que no dia 20 de novembro qualquer cidadão negro terá um tratamento diferenciado? Francamente! Com todo respeito a História do Brasil, ao papel do Lider Zumbi dos Palmares, me permito dizer que para mim, Consciência é Algo Divino. Um Estado de Espírito que funciona como alerta dentro de cada ENTE humano que esteja disposto a perceber o caminho do bem e fugir de tudo que parecer diferente disso. É a Presença do SER Único que liberta e possivelmente até considere a mensagem escrita em sua essência. Agora cá entre nós; aqui, no mundo imundo dos homens movidos pelo egoísmo, orgulho e cegos pelo poder não funciona assim. Cosnciência é uma constante.Vale reverenciar o dia considerado como o da Morte do Zumbi em respeito e preservação da História. E começar a excercitar o conhecer a si mesmo e tratar todos os dias, todas as horas, minutos, segundos e sempre as pessoas como pessoas independente de cor, sexo, naturalidade e religião. Deixar cair a máscara da hipocrisia e enfrentar a realidade que vivemos e que impacta na vida de todos os brasileiros independente de qualquer coisa. Ainda há tempo de fazer valer a mensagem! Mas, para que isso ocorra é preciso de ATITUDE! Com atitude se transforma qualquer realidade. Não com frases de efeitos puramente vazias porque palavras bonitas sem atitude não valem nada. Pronto! Escrevi o que ano após ano penso a cada dia 20 de novembro, desde que instituiram o Dia da  Consciência Negra. PARABENIZO A TODAS AS PESSOAS  QUE TÊM A CONSCIÊNCIA SOLIDÁRIA TODOS OS DIAS PORQUE A CONSCIÊNCIA NÃO EXISTE FORA DAS PESSOAS É ALGO INTRINSECO – que faz parte ou que constitui a essência, a natureza de algo; que é próprio de algo; inerente. Que é real; que tem importância, significação por si próprio, independentemente da relação com outras coisas). E VIVA ZUMBI! O LÍDER DO QUILOMBO DOS PALMARES!

Esse é o meu ponto de vista e que expresso sem nenhuma intenção de provocar discussão. Ficarei feliz se causar o interesse de reflexão em alguém.

Abraços fraternos e poéticos aos seus corações.

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.

Anúncios

TOLERÂNCIA – É O DEVER DE CASA DOS HOMENS

download (1)

Aprender a conviver com as diferenças  é excercitar a tolerância, e ao mesmo tempo, colocar em evidência  a responsabilidade virtuosa de quem tem uma visão ampla. (Djanira Felipe)

A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena. Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!  (Chico Xavier)

VIVER COM MAIS POESIA E VIAJANTE DO UNIVERSO

Logo serão divulgadas fotos  do lançamento.

17 DE JULHO — DIA DO PROTETOR DE FLORESTAS

images (1)No dia 17 de julho é comemorado o Dia do Protetor de Florestas, uma data ligada à figura do Curupira, um personagem conhecido por proteger as florestas.

As florestas normalmente são definidas como uma vegetação rica em plantas arbóreas, onde as copas unem-se e formam o que chamamos de dossel. Entretanto, diversas definições existem, principalmente para nortear o trabalho de diferentes órgãos. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, por exemplo, a floresta pode ser definida como uma “área medindo mais de 0,5 ha com árvores maiores que 5 m de altura e cobertura de copa superior a 10%, ou árvores capazes de alcançar estes parâmetros in situ. Isso não inclui terra que está predominantemente sob uso agrícola ou urbano.”

Independentemente da definição, esse tipo de vegetação caracteriza-se por sua importância principalmente no que diz respeito à biodiversidade, velocidade dos ventos e regime de chuvas. No nosso país encontramos importantes florestas, destacando-se a Floresta Amazônica, a maior floresta tropical do planeta.

No dia 17 de julho é comemorado o Dia do Protetor de Florestas, também conhecido como Curupira. Essa figura do folclore é conhecida pelos seus cabelos vermelhos e pelos pés virados para trás. Seus pés virados ajudam, segundo a lenda, a enganar os inimigos, uma vez que seus passos ficam na posição trocada, dando a falsa impressão de que estão chegando perto dele, quando, na realidade, acontece o contrário.

Segundo o folclore, o Curupira protege as florestas das agressões constantes do homem, tais como desmatamento e caça de animais. Os agressores são atraídos por essa figura e nunca mais retornam, perdendo-se na mata. No caso de caçadores, o Curupira é conhecido por transformar a família deles em caça e, só após o caçador ter matado seus familiares, ele reconhece que, na realidade, eram pessoas de sua família. A lenda também afirma que os índios levavam presentes para evitar o terrível ataque do Curupira. Além de aniquilar os destruidores da floresta, o Curupira possui a capacidade de ressuscitar os animais mortos pelo homem.

Apesar de ser apenas uma lenda, hoje sabemos que existem diversos profissionais que realmente protegem diariamente nossas florestas. Chico Mendes destacou-se como um importante homem que levantou a bandeira da luta contra a destruição da Amazônia. Ele realizou diversos trabalhos e lutou ativamente contra o desmatamento e o massacre aos índios. Em virtude de sua luta, gerou revoltas e começou a receber ameaças, sendo morto em 1988.

Outro caso bastante conhecido e que merece reconhecimento é o da missionária Dorothy Stang, morta em uma emboscada em 2005. Essa grande figura era conhecida por proteger a floresta da ação de madeireiros, grileiros e fazendeiros, mas acabou perdendo a vida por defender essa importante causa.

Entretanto, vale salientar que não existem apenas essas duas figuras importantes em nossa história, vários ativistas, biólogos, engenheiros, professores e outros profissionais lutam diariamente contra a destruição das florestas, sendo esses os verdadeiros “Protetores das Florestas”. Essas pessoas são constantemente ameaçadas e mortas por se posicionarem contra assuntos de grande interesse econômico, como é o caso dos madeireiros.

Essa luta, no entanto, não pode acabar! As florestas são importantes para o equilíbrio dos ecossistemas e o interesse econômico não deve estar acima do interesse do planeta.

Por Ma. Vanessa dos Santos

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-protetor-florestas.htm

DIA DA MARINHA BRASILEIRA

downloadNo dia 11 de junho comemora-se o Dia da Marinha Brasileira, uma das três forças armadas do país. A Marinha exerce um papel de extrema importância para a nação brasileira, uma vez que é responsável pela condução das operações navais em nossas águas. Essa importância é ainda maior se considerarmos o fato do Brasil possuir mais de 8.500 km de fronteira marítima, o que valoriza ainda mais o trabalho e a dedicação destes profissionais a serviço da pátria.

A missão da Marinha, segundo suas próprias palavras, é “Preparar e empregar o Poder Naval, a fim de contribuir para a defesa da Pátria (…)”. O primeiro passo para a criação da Marinha Brasileira foi dado em 1736, por João V de Portugal, que ordenou a fundação da Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha. O órgão em si nasceu em 10 de junho de 1999 com sua subordinação ao Ministério da Defesa e a extinção do antigo Ministério da Marinha.

Atualmente, a Marinha Brasileira é a maior marinha da América Latina.

Fonte:

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-da-marinha-brasileira.htm

09 DE JUNHO – DIA NACIONAL DE ANCHIETA

images (2)José de Anchieta nasceu a 19 de março de 1534, em São Cristóvão de Laguna, na ilha de Tenerife, a maior do arquipélago das Canárias. Era filho de família nobre e estudou humanidades na Universidade de Coimbra, tornando-se jesuíta muito jovem.

Chegou ao Brasil em 13 de julho de 1553. Embora tivesse apenas 19 anos, esse missionário, evangelizador e escritor recebeu a missão de dar continuidade à catequese e à educação dos índios, iniciadas pelo padre Manuel da Nóbrega, também jesuíta. Anchieta era profundo conhecedor de latim, português e castelhano; posteriormente, fez questão de aprender também o tupi, língua falada pelos índios.

Junto com outros jesuítas, Anchieta construiu um barracão em uma aldeia indígena, o qual serviu inicialmente de dormitório, enfermaria, refeitório, capela e oficina. Os índios eram chamados à catequese e ao batismo e instruídos na doutrina, repetindo as orações em português e na sua própria língua. Eles vinham do sertão, atraídos pela novidade. Os colonos portugueses se integraram também ao novo núcleo. O barracão, chamado de “colégio”, cresceu com a dedicação dos jesuítas, que exerciam também as funções de carpinteiros e construtores.

Em 1554, foi celebrada a primeira missa no planalto, no pátio do Colégio da Companhia de Jesus, em torno do qual cresceu a pequena aldeia que, muitos anos depois, se tornaria a cidade de São Paulo.

Em 1563, durante a revolta dos tamoios, Anchieta e padre Manuel da Nóbrega, reféns dos índios procuraram conciliá-los com os colonos portugueses, arriscando a própria vida. Por isso foram considerados emissários da paz. Nesse período em que ficou prisioneiro, Anchieta escreveu, na areia da praia de Iperuí (hoje Iperoig), um poema à Virgem Maria, com mais de quatro mil versos. Ele os memorizou e os passou para o papel depois de o conflito haver terminado.

Em 1570, assumiu o cargo de reitor do Colégio do Rio de Janeiro. Em 1574, iniciou em São Vicente a catequese dos tapuias. Em 1577, foi nomeado provincial dos jesuítas no Brasil, cargo que exerceu até 1588. Fez visitas aos colégios de Olinda, Reritiba (hoje Anchieta no Espírito Santo), Rio de Janeiro, Santos, São Vicente, Itanhaém e São Paulo. Foi nomeado Superior do Colégio da Vila de Vitória e de quatro aldeias.

Anchieta escreveu duas obras especializadas: Arte de gramática da língua mais falada na costa do Brasil e Vocabulário tupi-guarani. Seus métodos de ensino foram adotados durante muitos anos nas escolas dos jesuítas brasileiros. Por seu trabalho dirigido à catequese, à educação e à fundação de hospitais e por muitos serviços prestados à população, José de Anchieta recebeu dos historiadores o título de Apóstolo do Brasil.

Em 1597, retornou à Reritiba, onde, enfraquecido e doente, veio a falecer em 9 de junho do mesmo ano. Os 44 anos de serviços prestados ao Brasil foram reconhecidos por mais de três mil índios que acompanharam, até Victória, seu cortejo fúnebre, que aumentava a cada passo. Todos choravam a morte de um homem que só teve uma ambição na vida: a cristianização do Brasil.

José de Anchieta, o Apóstolo do Brasil, foi beatificado pelo papa João Paulo II, em 1980. Foi canonizado, no dia 3 de abril de 2014. O Dia de Anchieta foi criado oficialmente pelo decreto federal no 55.588, de 18/01/1965, e sancionado pela lei no 5.196, de 24/12/1966.

Fonte: https://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=datacomemorativa&id=234

07 DE MARÇO – DIA DO FUZILEIRO NAVAL

turne_sul

A Brigada Real da Marinha foi a origem do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil. Criada em Portugal em 28 de agosto de 1797, por Alvará da rainha D. Maria I, chegou ao Rio de Janeiro, em 7 de março de 1808, acompanhando a família real portuguesa que transmigrava para o Brasil, resguardando-se das ameaças dos exércitos invasores de Napoleão.

Os Fuzileiros Navais são uma força integrante da Marinha do Brasil, responsável pela segurança de assuntos que dizem respeito aos interesses navais do País. Prontos para entrar em ação em terra ou na água, também são chamados de “Anfíbios”.

Mesmo um país pacífico como o Brasil precisa de uma tropa capaz de agir com rapidez diante de qualquer emergência. Principalmente se pensarmos na extensão de nosso litoral e nas nossas grandes redes hidrográficas. Aí entra a competência dos Fuzileiros Navais.

 

FONTE: pompeumg . com . br / portal / index . php / ultimas – noticias / 791 – 7 – de – marco – dia – do – fuzileiro – naval

09 DE JANEIRO – DIA DO FICO

index_clip_image002

A expressão, Dia do Fico, deve-se a uma frase célebre de dom Pedro, então príncipe-regente do Brasil, que era na época um Reino Unido a Portugal e Algarves:

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta da corte de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : “”Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico”.

Porém, para compreendê-la melhor, é necessário conhecer o contexto em que ela foi dita:

Em 1807, com o objetivo de expandir seu poder sobre o continente europeu, Napoleão Bonaparte planejava uma invasão sobre o reino de Portugal, e, para escapar dos franceses, a família real portuguesa transferiu-se para o Brasil, que se tornou o centro do Império português.

A chegada da família real teve um grande significado para o desenvolvimento do país que até então, era uma das colônias portuguesas. A fixação da corte no Rio de Janeiro teve inúmeras consequências políticas e econômicas, dentre as quais devemos destacar a elevação do país à categoria de Reino Unido, em 1815. O Brasil então deixava de ser colônia.

Entretanto, cinco anos depois, com as reviravoltas da política européia e o fim da era napoleônica, uma revolução explodiu em Portugal. As elites políticas de Lisboa adotaram uma nova Constituição e o rei dom João VI, com medo de perder o trono, voltou do Rio para Lisboa, deixando aqui seu filho, dom Pedro, na condição de príncipe-regente.

As cortes de Lisboa, porém, não aprovavam as medidas tomadas por dom Pedro para administrar o país. Queriam recolonizar o Brasil e passaram a pressionar o príncipe para que também retornasse a Lisboa, deixando o governo do país entregue a uma junta submissa aos portugueses.

A reação dos políticos brasileiros foi entregar ao regente uma lista com aproximadamente 8 mil assinaturas solicitando sua permanência no Brasil. A resposta de dom Pedro foi a célebre frase citada acima. Ela marca a adesão do príncipe regente ao Brasil e à causa brasileira, que vai culminar em nossa Independência, no mês de setembro daquele ano. O Dia do Fico, deste modo, é um dos marcos do processo de libertação política do Brasil em relação a Portugal.

 

FONTE: sohistoria . com . br / ef2 / fico /

07 DE JANEIRO – DIA DO LEITOR

dia-do-leitor

Dia 07 de Janeiro é o Dia do Leitor! Uma data feita para comemorar aqueles que gostam de ler e tem, no livro, um grande amigo.

Ler é viajar. Esta frase é bastante conhecida não deixa de ser verdade pois foi (e ainda é) através da leitura que o homem passou a conhecer lugares onde nunca esteve, se remeter ao passado histórico ou criado e até mesmo, projetar o futuro. É importante lembrar que não se nasce leitor , o aprendizado da leitura é um processo infinito de capacitação que é fomentado pelo contato com livros. Pouco a pouco, a prática da leitura nos faz buscar cada vez livros mais complexos, sejam eles literários ou não, o que indica nosso crescimento na capacidade de interpretação e de abstração. Ler nunca é uma atividade passiva. Através da leitura, o leitor identifica e cria lugares, personagens e estórias. Muitas vezes, se projeta no que está lendo.

Mas ler nem sempre é uma tarefa fácil. No Brasil, cerca de 25 milhões de pessoas em idade possível de leitura (acima de 5 anos) ainda são analfabetos.

 

FONTE: www . pompeumg . com . br / portal / index . php / ultimas – noticias / 656 – 7 – de – janeiro – dia – do – leitor

20 DE NOVEMBRO – DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA

BANNER_BLOG_DIA_CONSCIENCIA_NEGRA_V2

A data de 20 de Novembro foi escolhida para a celebração do Dia da Consciência Negra por ser esse o dia da morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares. 1695 foi o ano da morte de Zumbi.

No dia da Consciência Negra o objetivo é fazer uma reflexão sobre o relevo da cultura e do povo africano e o impacto que tiveram na evolução da cultura brasileira. Sociologia, política, religião e gastronomia entre várias outras áreas, foram profundamente influenciadas pelas culturas negra e africanas. É dia de comemorar e mostrar profundo apreço pela cultura afro-brasileira.

Origem do Dia Nacional da Consciência Negra
O Dia da Consciência Negra foi estabelecido pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. No entanto, apenas em 2011 a presidente Dilma Roussef sancionou a Lei 12.519/2011 que cria a data, sem obrigatoriedade de feriado.

História de Zumbi
No período do Brasil colonial, Zumbi simbolizou a luta do negro contra a escravidão que sofriam os brasileiros de raça negra. Zumbi morreu enquanto defendia a sua comunidade e lutava pelos direitos do seu povo.

Os quilombos, liderados por Zumbi, formavam a resistência ao sistema escravista que vigorava, e eram o principal motor responsável pela preservação da cultura africana no Brasil.

Zumbi lutou até à morte contra a escravidão, que só viria em 1888, com a abolição oficial da escravatura.A abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em em 1888, 193 anos após sua morte.

 

FONTE: calendarr . com / brasil / dia – nacional – da – consciencia – negra /

19 DE NOVEMBRO – DIA DA BANDEIRA

desenho-dia-da-bandeira-1

A comemoração do dia da bandeira se constituiu como mais um elemento simbólico da construção da identidade nacional brasileira, o dia da bandeira simboliza a nação brasileira.

No dia 19 de novembro comemora-se o Dia da Bandeira do Brasil, essa comemoração passou a fazer parte da história do país após a Proclamação da República, no ano de 1889. Com o fim do período Imperial (1822-1889), a bandeira desenhada por Jean Baptiste Debret, que representava o império, foi substituída pelo desenho de Décio Vilares.
A substituição da bandeira imperial por uma bandeira republicana representa as mudanças que o Brasil passava naquele momento: mudanças na forma de governo e de governar, do regime imperial para uma república federativa. Além disso, a nova bandeira representava a simbologia que estava agregada ao republicanismo, como a ideia de um Estado-nação, o patriotismo e o surgimento do sentimento nacionalista, ou seja, a construção identitária do povo brasileiro, a identidade nacional.
As bandeiras não são restritas a serem simbologias somente do Estado-nação, ou de algum país, mas existem bandeiras que representam diversas regiões que integram o país e diferentes instituições e esferas sociais. Existem bandeiras que simbolizam times de futebol, torcidas organizadas, cidades, Estados, instituições religiosas e governamentais como cidades, exército, além das instituições comerciais, bandeira de uma empresa.
Temos notícias de que as primeiras bandeiras foram visualizadas na antiguidade, eram utilizadas nos exércitos como meio de reconhecimento entre os diversos soldados. Atualmente, no mundo contemporâneo, todo Estado-nação possui uma bandeira nacional que representa e dá unidade à nação, ou seja, unifica diferentes povos. Dessa maneira, a instituição da comemoração do dia da bandeira acrescentou mais um elemento simbólico na construção da identidade nacional.

 
FONTE: brasilescola . com / datas – comemorativas / dia – da – bandeira . htm

14 DE NOVEMBRO – DIA NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO

dia_da_alfabetizacao

 

No dia 14 de novembro comemoramos o Dia Nacional da Alfabetização relembrando a importância do ensino para o desenvolvimento do indivíduo.

Dia Nacional da Alfabetização é comemorado no dia 14 de novembro. Esta data foi instituída em homenagem à criação do antigo Ministério da Educação e Saúde Pública, em que um de seus objetivos era promover o fim do analfabetismo no país.
O ato de ler e escrever é fundamental para o desenvolvimento do indivíduo, porém, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o índice de analfabetismo no país ainda é muito elevado.
O Artigo 2º da Lei de Diretrizes e Bases que norteiam a educação nacional diz que a educação “tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Portanto, ser alfabetizado é direito de todos.
O dia 14 de novembro nos faz relembrar a importância da educação e de ser alfabetizado. Tanto para o desenvolvimento do cidadão, quanto para o desenvolvimento de um país.

 

FONTE: brasilescola . com / datas – comemorativas / 14 – novembro – dia – nacional – alfabetizacao . htm

%d blogueiros gostam disto: