Arquivo da categoria: Brasil

ENSINO MÉDIO

Ensino Médio

Caminhando para baixo, porém, de forma extraordinária e corajosa.

Por Djanira Felipe

downloadQue bom ler a temática da página 18 do Jornal O POVO, hoje 17/2/2017, e repito: Jornal O POVO que acredito ser direcionado para o Povo de um povoado de uma aldeia, arraial ou ainda de uma povoação e por que não dizer qualquer lugar do Norte ao Sul do Brasil que é povoado por milhões de pessoas que merecem respeito e que fazem parte da sociedade. Será que o povo participou do consenso entre o governo e o congresso para a sansão dessa Lei que aniquila o Ensino Médio?

Perceberam alguns sinônimos? Então vamos separar POVO e AÇÃO e imaginar o POVO EM AÇÃO. Em ação contra o que o Presidente Michel Temer avalia como exemplo extraordinário das características de uma gestão “corajosa”. Pensando bem ele tem razão porque é preciso ter coragem para contribuir e incitar à motivação que é motivo para ação de NÃO estudar disciplinas opcionais que são: Linguagem, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Profissional. Cheguei ao ponto. Imaginem um profissional que não adquiriu conhecimento básico necessário para a sua ascensão como ser humano.

Quero ser breve para não atender a intensidade da minha indignação. Vamos raciocinar juntos e pegar Ciências Humanas que não precisamos ser gênios para imaginar que se trata de uma área do conhecimento referente ao estudo do homem como ser social – viver em sociedade, interagir com outras pessoas manter relações humanas.

Por mencionar Relações Humanas, vale ressaltar, que o Estudo das Relações Humanas surgiu no final do século XIX com o intuito de corrigir a desumanização no setor pessoal das indústrias. Elton Mayo criou a Teoria das Relações Humanas, que teve origem na necessidade de democratizar e humanizar a administração; valendo-se de outras ciências sociais tais como psicologia, sociologia e antropologia. Permito-me acrescentar outras disciplinas que compõem essa modalidade do ensino como Filosofia, História, Geografia, Letras, Pedagogia, Administração, Direito, Relações Internacionais, comunicação e Ciência Política dentre outras.

Será desnecessário explicar cada uma, basta dizer que Administração é a ciência que estuda a gestão de pessoas, empresas públicas e privadas. Fiz essa viagem até o ensino superior porque estamos retrocedendo no ensino médio, ponto de partida para caminhar rumo à universidade.

Podemos acreditar que no processo como um todo se entrar lixo vai ser processado lixo e sair para a sociedade lixo como produto final. Mas poderíamos hoje comemorar a Lei do novo Ensino Médio como um ato extraordinário se tivessem tornado obrigatório o ensino que promovesse a entrada do indivíduo que fosse desenvolvido o seu talento e a sociedade cliente, recebesse profissionais preparados para serem senhores dos seus destinos e compositores das suas histórias.

Por que não ensinam Ciência Política? Por que não preparamos os futuros homens e mulheres com plena consciência política para cuidar do Brasil e dos interesses do povo. Imagina! Isto não interessa. Povo esclarecido cobra, questiona, discorda, ou seja, dizem mais do que amém. Acredito que a mensagem está dada, ainda que não tenham sido desdobradas as outras disciplinas, mas ficaram implícitos que certamente provocarão momentos de reflexões. O Brasil precisa acordar urgentemente.

Acorda Brasil! Um filho teu não foge à luta. Brasileiros! É hora de mudar o destino do País.

É com atitude que se muda qualquer realidade legítima ou não.

Sou Administradora e Adesguiana

Sou Brasileira!

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

,

Anúncios

HOMENAGEM AO DIA DO FILATELISTA BRASILEIRO

Amigos Leitores,

Acredito que muitos de vocês ao conhecerem esta matéria poderão adquirir e incentivar outras pessoas a serem colecionadores. A história não se limita ao simples hábito de colecionar selos, mas traz em si outros aspectos. A Filatelia tem várias áreas de estudos. Conheçam a matéria. minilalbDjanira Felipe.

No dia 5 de março de 1829, Dom Pedro I assinou o Decreto que organizou os Correios do Brasil, definindo tarifas e outras questões de importância para o desenvolvimento dos serviços postais. Bastante amplo, é o primeiro regulamento postal exclusivamente brasileiro, após a Independência do Brasil, pois até então valiam os regulamentos portugueses. Ele estabeleceu novas linhas postais, portes, entre outros, e regulou por muitos anos o tráfego postal. Tal documento possibilitou também que, em 1º de agosto de 1843 (14 anos depois), fosse emitido o primeiro selo postal brasileiro, o “Olho de Boi” (foto abaixo).

image002

Apesar de ser uma data postal e não filatélica, foi adotada como o Dia do Filatelista Brasileiro. Entretanto, a referência ao Decreto de 1829 para o Dia do Filatelista se justifica pelo fato de que as medidas de D. Pedro I culminaram com a independência e a organização dos Correios do Brasil. Neste regulamento também se encontra a determinação Real de criar, em todas as capitanias das províncias, uma Administração de Correios. Em 1969, na cidade de São Paulo, durante um Congresso Filatélico organizado pela Comissão Estadual de Filatelia, da Secretaria Estadual da Cultura de São Paulo, a data foi oficializada. Tanto que, em 05 de março de 1975, ocorreu a comemoração do Dia do Filatelista Brasileiro, através da emissão de um carimbo postal lançado no Rio de Janeiro.

image002.jpg e

 

Segundo país do mundo e 1º das Américas a adotar o selo postal como comprovante de franqueamento, o Brasil deve seu pioneirismo ao Imperador D. Pedro II que, sensível às ideias inovadoras, soube vislumbrar no pequeno pedaço de papel, o “Penny Black”, emitido em 06 de maio de 1840, na Inglaterra, uma conquista que marcaria, definitivamente, o destino dos Correios. Este pioneirismo e a inovação também valorizam as emissões dos Correios. O Brasil foi o primeiro país do mundo a lançar um selo com legenda em braile, emitido em 1974 e o segundo do mundo a lançar um selo tridimensional (em holograma), em 1989. Em 2010, mais um pioneirismo na Filatelia brasileira: foi lançado o primeiro selo em tecido nas Américas, destacando o centenário do Sport Club Corinthians Paulista.

image005

Há mais de um século e meio, o colecionamento de selos tem atraído um grande número de aficionados, por todo o mundo. Esse tipo de atividade é denominado “Filatelia” (do grego fila = amigos e telos = selo), sendo o estudo e o colecionismo de selos postais e materiais relacionados. A Filatelia tem várias áreas de estudo, a saber: filatelia tradicional, história postal, pré-filatelia, marcofilia, inteiros postais, filatelia temática, aerofilatelia, astrofilatelia, maximafilia, filatelia juvenil, literatura filatélica, selos fiscais, classe aberta e um quadro. O seu praticante é chamado de filatelista. O objetivo do filatelista é selecionar selos para compor uma coleção, que pode ser geral ou temática. Existem coleções que além dos selos possui informações sobre o tema, parâmetro utilizado por muitas pessoas nas coleções temáticas. Enquanto entre as coleções gerais, pode-se dizer que se dividem em mundo e país. É frequente encontrar coleções com apenas selos de um país, assim como de qualquer lugar do mundo. Quando não seguem nenhum critério este tipo de coleção é usual entre iniciantes. Apesar de diferenças entre os vários tipos de coleções, além do que foi dito, um único ideal une os filatelistas de todo o mundo: a vontade de conhecer mais sobre um lugar, objeto, pessoa ou país. É o conhecimento que estimula os filatelistas a continuar com seu hobby apesar da diminuição das correspondências via correios.

Se de o hábito colecionar coisas é um dos mais antigos passatempos do ser humano, a Filatelia é considerada o mais popular de todos e está em alta mundialmente: conta com mais de 40 milhões de adeptos, sendo que somente na China são 30 milhões de colecionadores e nos EUA são quase 2 milhões de pessoas. Segundo a UPU – União Postal Universal – organismo internacional que congrega as Administrações Postais do mundo, em 2008 havia 17 milhões de compradores regulares de selos e estima-se que a movimentação financeira do setor seja de aproximadamente U$ 16 bilhões de dólares por ano. Para alguns, colecionar selos não é apenas uma atividade lúdica, pois continua cada vez mais valorizada: a quadra (quatro selos juntos), com a imagem do avião Jenny, emitida em 1923, o selo mais caro dos Estados Unidos, foi vendida, em 2005, por US$ 3 milhões.

Mas para muitos entusiastas, a Filatelia é uma atividade cultural. Os selos comemorativos, por exemplo, registram os aspectos socioculturais das nações, tornando-se fontes inesgotáveis de pesquisa, entretenimento e investimento. A Inglaterra, país onde foi criado o primeiro selo postal do mundo, chamado Penny Black, em 1840, também é o berço da Filatelia, com destaque para a Exposição Filatélica Mundial, evento que acontece a cada dez anos. Foi em Londres, em 1856, que o selo postal foi considerado, pela primeira vez, como passatempo e atividade comercial, com a abertura da casa filatélica Stanley Gibbons, considerada referência no mercado filatélico, uma vez que realiza avaliações de preços de selos em nível mundial. A popularidade do setor também anda de vento em popa, graças à internet: ao digitar-se a palavra “filatelia” no Google, pode-se contemplar mais de 2,6 milhões de páginas, fora a palavra “philately”, que rende 2,1 milhões de sites adicionais. Somente o site da Stanley Gibbons – http://www.stanleygibbons.com – conta mensalmente com 30 milhões de visitas. Se a busca for restrita ao Brasil, chega-se ao número também significativo de 205 mil. Os selos perpetuam a história e propagam o que de mais valioso que um país acumula ao longo de sua trajetória. Em cada tema abordado, uma descoberta e a certeza do imenso potencial do selo. Como se vê, a Filatelia chegou ao século XXI com muitos desafios, em vista do cenário propício ao seu crescimento.

006

Fontes:

Blog Correios Online – http://blog.correios.com.br/correiosonline

Wikipédia – A Enciclopédia Livre – http://www.wikipedia.org.br

http://www.cfnt.org.br/textos/homenagem_filatelista.htm

Grifo nosso

HISTÓRIA DO DIA DA BANDEIRA

AMIGOS LEITORES, VAMOS RESGATAR O NOSSO DEVER CÍVICO DE HONRAR OS NOSSOS SÍMBOLOS NACIONAIS, NO CASO DESTA MATÉRIA – A NOSSA LINDA BANDEIRA NACIONAL BRASILEIRA, QUE POR SI, JÁ RETRATA UMA PANORÂMICA DO NOSSO PAÍS, DA NOSSA NAÇÃO. EDUCADORES, VAMOS INCENTIVAR AS CRIANÇAS A OLHAREM O NOSSO BRASIL COMO UM PAÍS DIGNO DO POVO BRASILEIRO.  DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ.

BANDEIRA 1

A bandeira do Brasil foi instituída a 19 de novembro de 1889, ou seja, 4 dias depois da Proclamação da República. É o resultado de uma adaptação na tradicional Bandeira do Império Brasileiro. Neste contexto, em vez do escudo Imperial português dentro do losango amarelo, foi adicionado o círculo azul com estrelas na cor branca.

Normas

bandeiradobrasil 2Existem normas específicas nas dimensões e proporções do desenho da Bandeira Brasileira. Ela tem o formato retangular, com um losango amarelo em fundo verde, sendo que no centro a esfera azul celeste, atravessada pela faixa branca com as palavras Ordem e Progresso em letras maiúsculas verdes. Essa faixa é oblíqua, inclinada da esquerda para direita. No círculo azul estão 27 estrelas, que retratam o céu do Rio de Janeiro, incluindo várias constelações, como, por exemplo, o Cruzeiro do Sul. As estrelas representam simbolicamente os 26 Estados e o Distrito Federal. A única estrela que fica na parte superior do círculo representa o estado do Pará.

A Bandeira Nacional é hasteada de manhã e recolhida na parte da tarde. Ela não pode ficar exposta à noite, a não ser que esteja bem iluminada. É obrigatório o seu hasteamento em órgãos públicos (escolas, ministérios, secretarias de governo, repartições públicas) em dias de festa ou de luto nacional. Nos edifícios do governo, ela é hasteada todos os dias. Também é exposta em situações em que o Brasil é representado diante de outros países como, por exemplo, em congressos internacionais e encontros de governos.

Dia da Bandeira

O dia 19 de Novembro é comemorado, em todo o território nacional, como o Dia da Bandeira. Nesta data ocorrem comemorações cívicas, acompanhadas do Hino à Bandeira.

Curiosidades sobre a bandeira brasileira:

– As quatro cores da Bandeira Nacional representam simbolicamente as famílias reais de que descende D.Pedro I, idealizador da Bandeira do Império. Com o passar do tempo esta informação foi sendo substituída por uma adaptação feita pelo povo brasileiro. Dentro deste contexto, o verde passou a representar as matas, o amarelo as riquezas do Brasil, o azul o seu céu e o branco a paz que deve reinar no Brasil.

– Quando várias bandeiras são hasteadas em nosso país, a brasileira deve ser a primeira a chegar ao topo do mastro e a última a descer.

 – Quando uma bandeira brasileira fica velha, suja ou rasgada, deve ser imediatamente substituída por uma nova. A bandeira velha deve ser recolhida a uma unidade militar, que providenciará a queima da mesma no dia 19 de novembro.

– A versão atual da Bandeira Nacional Brasileira com 27 estrelas entrou em vigor em 11 de maio de 1992, com a inclusão de mais quatro estrelas (antes eram 23 estrelas) representando os estados do Amapá, Tocantins, Roraima e Rondônia.

Além da Bandeira Nacional do Brasil que todos conhecemos muito bem, existem duas outras bandeiras brasileiras oficiais: a bandeira presidencial e a bandeira vice-presidencial.

Bandeira presidencial                                          vice-presidencial 

bandeira_presidencial 3bandeira_vice_presidencial 4


 

 

ACORDA BRASIL! UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA!

http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_da_bandeira.htm

12 DE OUTUBRO – DIA DE NOSSA SENHORA APARECIDA E DAS CRIANÇAS

O Dia de Nossa Senhora Aparecida é comemorado anualmente em 12 de outubro.

papeldeparede011

Esta é a data que homenageia a padroeira do Brasil, a mãe do menino Jesus, conhecida também por Santa Maria.

O Dia de Nossa Senhora Aparecida é considerado feriado nacional no Brasil.

Devido a importância que esta santa possui no país, foi construído um santuário dedicado à sua imagem em São Paulo. O Papa João Paulo II, em visita ao Brasil, consagrou a basílica brasileira como o maior santuário dedicado à Virgem Maria em todo o mundo.

O Dia de Nossa Senhora Aparecida também é conhecido como o “Dia das Crianças”. A data foi criada por um Deputado brasileiro para homenagear as crianças, e escolheu o dia 12 de outubro por ser o dia da Mãe de Jesus.

Origem do Dia de Nossa Senhora Aparecida

De acordo com a lenda, no ano de 1717, pescadores lançaram suas redes no Rio Paraíba do Sul, com o objetivo de pescar peixes grandes para um jantar especial para o Conde de Assumar.

Eles tentaram muito, e não estavam conseguindo nada. Quando já estavam quase desistindo, um pescador chamado João Alves apanhou uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, mas sem a cabeça, e enrolou-a em um manto. A cabeça foi encontrada noutra tentativa de pesca após conseguirem peixes.

Dezessete anos depois do achado foi construída a primeira capela.

Quando a Princesa Isabel veio ao Brasil pela segunda vez, ofertou um manto azul e uma coroa cravejada de diamantes.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, foi proclamada Rainha do Brasil e sua Padroeira Oficial em 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio e, 50 anos depois, foi decretado oficialmente que o dia 12 de outubro seria feriado oficial no país.

Oração para Nossa Senhora Aparecida

“Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida / Mãe de Deus, Rainha dos Anjos / Advogada dos pecadores / Refúgio e consolação dos aflitos e atribulados / Virgem Santíssima / Cheia de poder e de bondade / Lançai sobre nós um olhar favorável / Para que sejamos socorridos por vós / Em todas as necessidades em que nos acharmos / Lembrai-vos, ó clementíssima Mãe Aparecida / Que nunca se ouviu dizer / Que algum daqueles que têm a vós recorrido / Invocado vosso santíssimo nome / E implorado a vossa singular proteção / Fosse por vós abandonado / Animados com esta confiança/ A vós recorremos / Tomamo-vos para sempre por nossa Mãe / Nossa protetora, consolação e guia / Esperança e luz na hora da morte / Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos / E ao vosso Santíssimo Filho, Jesus / Preservai-nos de todos os perigos / Da alma e do corpo / Dirigi-nos em todos os assuntos espirituais e temporais / Livrai-nos da tentação do demônio / Para que, trilhando o caminho da virtude / Possamos um dia ver-vos e amar-vos / Na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém!”

Grifo nosso

http://www.calendarr.com/brasil/nossa-senhora-aparecida/

18 DE SETEMBRO – SÍMBOLOS NACIONAIS BRASILEIROS

CAROS AMIGOS E LEITORES, O NOSSO CANAL CONTINUA COM O PROPÓSITO DE TRAZER SEMPRE MATÉRIAS DE INTERESSE DA SOCIEDADE COMO UM TODO E QUE PROMOVAM O BEM COMUM. A MATÉRIA ABAIXO SERÁ ÚTIL PARA A EDUCAÇÃO CÍVICA. AINDA ACREDITAMOS QUE SEJA IMPORTANTE. AS NOSSAS CRIANÇAS TÊM O DIREITO DE APRENDER A LETRA DO NOSSO HINO NACIONAL E SABER O SEU SIGNIFICADO. SABER FAZER A DIFERENÇA ENTRE PÁTRIA E NAÇÃO.

DJANIRA FELIPE DE OLIVEIRA – MULHER QUE ESCREVE. MULHER QUE FAZ. E SABE O PORQUÊ.

Os Símbolos Nacionais do Brasil foram instituídos através da Lei 5.700 de 1º de setembro de 1971. Esta lei além de estabelecer quais são os símbolos nacionais, também determina sobre como estes símbolos devem ser usados, padrões e formatos, significados, entre outros. Estes símbolos são de extrema importância para nossa nação, pois representam o Brasil dentro e fora do território nacional. Sendo assim, devem ser respeitados por todos os cidadãos brasileiros. Os Símbolos Nacionais são: a Bandeira Nacional; o Hino Nacional; as Armas Nacionais; e o Selo Nacional.

Em 18 de setembro comemora-se o Dia dos Símbolos Nacionais.

Bandeira Nacional

index_clip_image002

A Bandeira Nacional foi instituída no dia 19 de novembro de 1889, 4 dias depois da Proclamação da República. É o resultado de uma adaptação na tradicional Bandeira do Império Brasileiro, onde o escudo Imperial português dentro do losango amarelo foi substituído por um círculo azul com estrelas na cor branca. A esfera azul de nossa bandeira representa nosso céu estrelado, ao centro com a frase “Ordem e Progresso”. São 27 estrelas, representando os 26 estados e o Distrito Federal. O losango amarelo ao centro representa o ouro e o retângulo verde, representa nossas matas e florestas.

No dia 19 de novembro comemora-se o dia da bandeira. Abaixo a bandeira com detalhes.

7 Dia dos Simbolos Nacionais desenhos e atividades colorir pintar imprimir

Armas Nacionais

index_clip_image004

As Armas Nacionais ou Brasão Nacional representam a glória, a honra e a nobreza do Brasil e foram criadas na mesma data que a Bandeira Nacional. No centro há um escudo circular sobre uma estrela verde e amarela de cinco pontas. O cruzeiro do sul está ao centro, sobre uma espada. Um ramo de café está na parte direita e um de fumo a esquerda. Uma faixa sobre a parte do punho da espada apresenta a inscrição “República Federativa do Brasil”. Em outra faixa, abaixo, apresenta-se “15 de novembro” (direita) e “de 1889” (esquerda).

É obrigatório o uso das armas nos edifícios dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) dos governos federal, estaduais e municipais, e também nos quartéis militares e policiais e em todos os papéis oficiais de nível federal (publicações, convites entre outros).

Selo Nacional

index_clip_image005

O Selo Nacional é utilizado para autenticar documentos oficiais e atos do governo. É usado também para autenticar diplomas e certificados emitidos por unidades de ensino reconhecidas. É constituído por uma esfera com as estrelas (semelhante a da bandeira brasileira), apresentando a inscrição República Federativa do Brasil.

Hino Nacional

Hino Nacional

O Hino Nacional foi composto por Joaquim Osório Duque Estrada (1870 – 1927) e a música é de Francisco Manuel da Silva (1795-1865). Tornou-se oficial no dia 1 de setembro de 1971, através da lei nº 5700.

Existem várias regras que devem ser seguidas no momento da execução do hino, entre elas o respeito à Bandeira Nacional e ao presidente da República. É executado junto com o hasteamento da Bandeira Nacional em determinadas situações, entre elas: solenidades e eventos oficiais do governo, eventos esportivos e culturais e nas escolas.

Hino Nacional Brasileiro

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heroico o brado retumbante,

E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,

Em teu seio, ó Liberdade,

Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido,

De amor e de esperança à terra desce,

Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E o teu futuro espelha essa grandeza.

Terra adorada

Entre outras mil

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo

És mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!

Deitado eternamente em berço esplêndido,

Ao som do mar e à luz do céu profundo,

Fulguras, ó Brasil, florão da América,

Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida

Teus risonhos, lindos campos têm mais flores,

“Nossos bosques têm mais vida”,

“Nossa vida” no teu seio “mais amores”.

Ó Pátria amada,

Idolatrada,

Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado,

E diga o verde-louro dessa flâmula

– Paz no futuro e glória no passado.

Mas se ergues da justiça a clava forte,

Verás que um filho teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada

Entre outras mil

És tu, Brasil,

Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo

És mãe gentil,

Pátria amada,

Brasil!

Glossário do Hino:

  • Margens plácidas – “Plácida” significa serena. Calma.
  • Ipiranga – É o riacho junto ao qual D. Pedro I teria proclamado a independência.
  • Brado retumbante – Grito forte que provoca eco.
  • Penhor – Usado de maneira metafórica(figurada). “penhor desta igualdade” é a garantia, a segurança de que haverá liberdade.
  • Imagem do Cruzeiro resplandece – O “Cruzeiro” é a constelação do Cruzeiro do Sul que resplandece (brilha) no céu.
  • Impávido colosso – “Colosso” é o nome de uma estátua de enormes dimensões. Estar “impávido” é estar tranquilo, calmo.
  • Mãe gentil – A “mãe gentil” é a pátria. Um país que ama e defende seus “filhos” (os brasileiros) como qualquer mãe.
  • Fulguras – fulgurante (reluzente, brilhante).
  • Florão – “Florão” é um ornato em forma de flor usado nas abóbadas de construções grandiosas. O Brasil seria o ponto mais importante e vistoso da América.
  • Garrida – Enfeitada. Que chama a atenção pela beleza.
  • Lábaro – Sinônimo de bandeira. “Lábaro” era um antigo estandarte usado pelos romanos.
  • Clava forte – Clava é um grande porrete, usado no combate corpo-a-corpo. No verso, significa mobilizar um exército, entrar em guerra.

http://www.sohistoria.com.br/ef2/simbolosnacionais/

https://www.google.com.br/search?q=simbolos+nacionais&biw=1280&bih=899&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&sqi=2&ved=0CEMQ7AlqFQoTCK_-88mF5McCFcUXPgodKzAE_A

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

Conheça a história da Independência do Brasil.

imagesQ852HKZVA independência do Brasil, enquanto processo histórico, desenhou-se muito tempo antes do príncipe regente Dom Pedro I proclamar o fim dos nossos laços coloniais às margens do rio Ipiranga. De fato, para entendermos como o Brasil se tornou uma nação independente, devemos perceber como as transformações políticas, econômicas e sociais inauguradas com a chegada da família da Corte Lusitana ao país abriram espaço para a possibilidade da independência.

A chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil foi episódio de grande importância para que possamos iniciar as justificativas da nossa independência. Ao pisar em solo brasileiro, Dom João VI tratou de cumprir os acordos firmados com a Inglaterra, que se comprometera em defender Portugal das tropas de Napoleão e escoltar a Corte Portuguesa ao litoral brasileiro. Por isso, mesmo antes de chegar à capital da colônia, o rei português realizou a abertura dos portos brasileiros às demais nações do mundo.

Do ponto de vista econômico, essa medida pode ser vista como um primeiro “grito de independência”, onde a colônia brasileira não mais estaria atrelada ao monopólio comercial imposto pelo antigo pacto colonial. Com tal medida, os grandes produtores agrícolas e comerciantes nacionais puderam avolumar os seus negócios e viver um tempo de prosperidade material nunca antes experimentado em toda história colonial. A liberdade já era sentida no bolso de nossas elites.

Para fora do campo da economia, podemos salientar como a reforma urbanística feita por Dom João VI promoveu um embelezamento do Rio de Janeiro até então nunca antes vivida na capital da colônia, que deixou de ser uma simples zona de exploração para ser elevada à categoria de Reino Unido de Portugal e Algarves. Se a medida prestigiou os novos súditos tupiniquins, logo despertou a insatisfação dos portugueses que foram deixados à mercê da administração de Lorde Protetor do exército inglês.

Essas medidas, tomadas até o ano de 1815, alimentaram um movimento de mudanças por parte das elites lusitanas, que se viam abandonadas por sua antiga autoridade política. Foi nesse contexto que uma revolução constitucionalista tomou conta dos quadros políticos portugueses em agosto de 1820. A Revolução Liberal do Porto tinha como objetivo reestruturar a soberania política portuguesa por meio de uma reforma liberal que limitaria os poderes do rei e reconduziria o Brasil à condição de colônia.

Os revolucionários lusitanos formaram uma espécie de Assembleia Nacional que ganhou o nome de “Cortes”. Nas Cortes, as principais figuras políticas lusitanas exigiam que o rei Dom João VI retornasse à terra natal para que legitimasse as transformações políticas em andamento. Temendo perder sua autoridade real, D. João saiu do Brasil em 1821 e nomeou seu filho, Dom Pedro I, como príncipe regente do Brasil.

A medida ainda foi acompanhada pelo rombo dos cofres brasileiros, o que deixou a nação em péssimas condições financeiras. Em meio às conturbações políticas que se viam contrárias às intenções políticas dos lusitanos, Dom Pedro I tratou de tomar medidas em favor da população tupiniquim. Entre suas primeiras medidas, o príncipe regente baixou os impostos e equiparou as autoridades militares nacionais às lusitanas. Naturalmente, tais ações desagradaram bastante as Cortes de Portugal.

Mediante as claras intenções de Dom Pedro, as Cortes exigiram que o príncipe retornasse para Portugal e entregasse o Brasil ao controle de uma junta administrativa formada pelas Cortes. A ameaça vinda de Portugal despertou a elite econômica brasileira para o risco que as benesses econômicas conquistadas ao longo do período joanino corriam. Dessa maneira, grandes fazendeiros e comerciantes passaram a defender a ascensão política de Dom Pedro I à líder da independência brasileira.

No final de 1821, quando as pressões das Cortes atingiram sua força máxima, os defensores da independência organizaram um grande abaixo-assinado requerendo a permanência e Dom Pedro no Brasil. A demonstração de apoio dada foi retribuída quando, em 9 de janeiro de 1822, Dom Pedro I reafirmou sua permanência no conhecido Dia do Fico. A partir desse ato público, o príncipe regente assinalou qual era seu posicionamento político.

Logo em seguida, Dom Pedro I incorporou figuras políticas pró-independência aos quadros administrativos de seu governo. Entre eles estavam José Bonifácio, grande conselheiro político de Dom Pedro e defensor de um processo de independência conservador guiado pelas mãos de um regime monárquico. Além disso, Dom Pedro I firmou uma resolução onde dizia que nenhuma ordem vinda de Portugal poderia ser adotada sem sua autorização prévia.

untitledEssa última medida de Dom Pedro I tornou sua relação política com as Cortes praticamente insustentável. Em setembro de 1822, a assembleia lusitana enviou um novo documento para o Brasil exigindo o retorno do príncipe para Portugal sob a ameaça de invasão militar, caso a exigência não fosse imediatamente cumprida. Ao tomar conhecimento do documento, Dom Pedro I (que estava em viagem) declarou a independência do país no dia 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga.

_____________________

*Créditos da imagem: AlexanderZam / shutterstock

Por Rainer Sousa

Graduado em História

http://www.brasilescola.com/historiab/independencia-brasil.htm

 

 

01/08 DIA NACIONAL DO SELO POSTAL BRASILEIRO

ATENÇÃO PROFESSORES!

Atenção preservar a universalização do Selo Postal. Nossas crianças precisam conhecer essa história e o mundo mágico dos Selos.

Djanira Felipe – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.


dia do seloNo dia 1º de agosto comemora-se o dia da emissão do primeiro selo postal brasileiro, que entrou em circulação já a partir dessa data.

A partir de uma ideia de D. Pedro II, o fato colocou o Brasil como o segundo país do mundo a trabalhar com a emissão de selos postais, perdendo apenas para a Inglaterra, a pioneira na criação, que emitiu o “Penny Black” em 1840.

O primeiro modelo brasileiro foi chamado de “Olho-de-Boi”, sendo distribuído no ano de 1843, recebendo esse nome devido à semelhança ao olho do animal.

Logo após, surgiram mais três modelos: “Inclinado”, no ano de 1844; “Olho-de-Cabra”, em 1850; e o “Olho-de-Gato”, em 1854; todos com o valor de 30, 60 e 90 réis.

O surgimento dos selos se deu em razão da evolução da humanidade, quando as pessoas passaram a obter algum tipo de formação, se interessando pela escola, passando a se comunicar através das cartas.

Com isso, surgiu a necessidade de se estabelecer as primeiras tarifas postais, de como essas cartas seriam enviadas aos seus destinatários, diferenciando-as através da distância, do tamanho e de seu peso.

O Brasil foi o primeiro país a lançar um modelo de selo postal em braile, a escrita dos deficientes visuais, que é feita através de pontos em alto relevo.

Em 1989 o Brasil lançou um modelo tridimensional, conhecido como holográfico, tornando-se o segundo país a distribuir um exemplar mais criativo e melhor elaborado.

Aos poucos, os modelos criados foram se tornando tão interessantes e valiosos que as pessoas passaram a colecioná-los, principalmente os mais raros, ficando reconhecidos como filatelistas.

O ato de colecionar selos se tornou tão atraente que foram criados álbuns específicos para o armazenamento e conservação dos mesmos, sendo que o arsenal brasileiro pode ser encontrado nas agências dos correios.

Os selos são de grande importância para uma nação, pois retratam parte da história do país, os principais fatos acontecidos; campanhas sociais, artísticas e culturais; tipos de profissões; espécies da flora e da fauna do Brasil e de seus espaços geográficos; homenageiam artistas e pessoas respeitáveis; dentre outros fatos importantes.

Segundo informações dos Correios, os selos brasileiros já conquistaram vários prêmios internacionais, como o São Gabriel (padroeiro dos correios), e de melhor selo estrangeiro, o Piracema, no ano de 2006.

Hoje em dia, em consequência das facilidades do mundo virtual, os selos estão esquecidos, pois a população se comunica através da internet. Mesmo assim, é muito interessante que crianças e jovens experimentem outros meios de comunicação, a fim de tornarem-se aptos a utilizar esses recursos. Além disso, visitar uma agência dos correios para ver o acervo do país será um passeio bem interessante para os mesmos.

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-selo.htm

Por Jussara de Barros – Graduada em Pedagogia – Equipe Brasil Escola

28 DE JULHO — DIA DO AGRICULTOR

Em 28 de julho é comemorado o Dia do Agricultor, data em que é reconhecida a atuação dos profissionais de uma das mais importantes áreas da economia.

images (1)Dia do Agricultor é celebrado em 28 de julho, data criada em razão de ter sido nesse dia, em 1960, a fundação do Ministério da Agricultura, no mandato de Juscelino Kubitschek. É importante não confundir essa data com o dia do Agricultor Familiar, que é comemorado em 25 de julho.

O agricultor possui uma ampla relevância na economia brasileira e também para a população mundial, pois é a sua atividade que propicia a maior parte da produção de alimentos, sobretudo aqueles que estão na mesa de todos os trabalhadores, tais como arroz e feijão. Por esse motivo, a homenagem aos agricultores, além de justa, é necessária, pois faz referência a um dos mais relevantes serviços prestados para a sociedade.

Sabemos que a agricultura pertence ao setor primário da economia e, como tal, encarrega-se – ao lado dos setores extrativistas – de produzir, além dos alimentos, as matérias-primas que são empregadas na fabricação de mercadorias. Além disso, a agricultura vem ganhando um maior peso na produção de energia em virtude do cultivo de vegetais utilizados na biomassa, com destaque para os biocombustíveis.

Podemos dizer que a profissão ou o exercício do agricultor é uma das mais antigas da história da humanidade, haja vista que a agricultura constituiu-se no período Neolítico há mais ou menos 10 mil anos. Com isso, foi permitida a sedentarização do ser humano, ou seja, o fim da prática nômade, o que alicerçou as primeiras bases para a formação das civilizações e sociedades.

Com o tempo, em razão dos avanços das técnicas, a agricultura e, consequentemente, o trabalho do agricultor foram se transformando gradualmente. As principais transformações são historicamente recentes, com destaque para o processo de mecanização e modernização no campo que foi responsável pelo aumento da produtividade dos bens agropecuários. Embora existam críticas a esse processo – principalmente ao emprego estrutural gerado no meio rural –, essa modernização foi muito importante para ampliar a geração de alimentos e matérias-primas.

Atualmente, boa parte da produção agrícola é altamente mecanizada

Atualmente, boa parte da produção agrícola é altamente mecanizada

No Brasil, uma das primeiras práticas estabelecidas após o início da colonização portuguesa – além do extrativismo vegetal do Pau-Brasil – foi a instalação das chamadas plantations, as monoculturas agrícolas. Inicialmente, o principal produto foi a cana-de-açúcar, mas, com o tempo, outros ciclos agrícolas sucederam-se, com destaque para o café ao longo do século XIX e a soja no século XX. Atualmente, o Brasil é o maior produtor mundial de café, cana-de-açúcar e laranja, bem como o segundo maior produtor de soja (atrás apenas dos Estados Unidos), conforme dados divulgados em 2009 pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Em resumo, a importância da agricultura se dá em diferentes aspectos: a) produção de alimentos para toda a sociedade; b) geração de matérias-primas para a posterior industrialização; c) geração de empregos, embora esses sejam mais diminutos atualmente; d) desenvolvimento da economia, com a geração de riquezas e aumento das exportações. O Dia do Agricultor, 28 de julho, é, portanto, uma homenagem justa estabelecida em prol dos trabalhadores e produtores do campo!

Por Me. Rodolfo Alves Pena

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-agricultor.htm

DIA DO CANTOR – A TODOS A MINHA HOMENAGEM

27092012144723O Dia do Cantor no Brasil é comemorado no dia 13 de Julho, contudo, existem pessoas que comemoram em 27 de setembro, particularmente desconheço a razão. Não encontrei esclarecimentos nem lei que torne oficial o Dia do Cantor. Entretanto, a profissão de cantor foi regularizada no Brasil por meio da Lei nº 3.857, de 22 de dezembro de 1960 que cria a Ordem dos Músicos no Brasil, e Dispõe sobre a Regulamentação do exercício da profissão de Músico e dá outras Providencias.

O Cantor é um profissional que merece o nosso aplauso não somente pela sua performance nas apresentação, shows e eventos em geral, mas pela aptidão que alguns cantores têm de interpretar o que canta seja de sua autoria ou de outro autor, às vezes fazem a parte musical sem alterar uma letra sequer na composição, simplesmente adequam a voz. Impressionante!

Passei por esta experiência com a cantora Lee Santos que cuidou da melodia, e abrilhantou com a sua voz o poema de minha autoria que virou uma linda canção “Alma Feminina” Título do seu segundo CD, fica a minha homenagem especial.

O Cantor normalmente é obrigado a levar uma vida disciplinada em relação aos cuidados com a sua voz e se além de cantar, tem a habilidade de compor e automaticamente esta condição o leva a necessidade de estudar. Outra tarefa essencial é o ensaio e dedicação. Além do talento naturalmente.

Existem cantores que são altamente capacitados para exercer esta profissão ou missão porque cantar também poderá ser uma missão.

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.

06 DE JULHO – DIA DA CRIAÇÃO DO IBGE

IBGE

No dia 6 de julho de 1934, era criado o principal provedor de dados e informações do Brasil, responsável por mensurar informações estatísticas da população brasileira: o Instituto Nacional de Estatística (INE). Em 1937, este órgão passou a ser conhecido popularmente pela sigla IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
A instituição foi criada durante o Governo do ex-presidente Getúlio Vargas, reconhecido como o político que mais valorizou as leis trabalhistas no Brasil. A criação do IBGE está diretamente relacionada à necessidade de entender processos políticos e de trabalho no País e tomar medidas administrativas que levassem o país para o “futuro”.

Entre as principais funções do IBGE:

• Produzir, analisar, coordenar e consolidar informações estatísticas;

• Produzir e analisar, coordenar e consolidar informações geográficas;

• Estruturar e implantar um sistema de informações ambientais;

• Documentar e disseminar todas as informações colhidas;

• Coordenar os sistemas estatísticos e cartográficos nacionais.

Censo

A partir do trabalho do IBGE é possível entender melhor a evolução de processos políticos, econômicos e demográficos do Brasil. Uma maneira da entidade levantar informações é por meio do Censo, questionário sócio-econômico destinado a todas as famílias brasileiras.
O Censo é realizado de 10 em 10 anos para validação do perfil dos habitantes do Brasil. Desta forma, é possível classificar a renda, contabilizar a população e mensurar a situação da economia do país e a evolução de quesitos como trabalho e produção.
Todas as informações levantadas pelo IBGE são estudadas e catalogadas por uma equipe de profissionais qualificados e ficam à disposição para consultas no site da instituição.

 

FONTE: pnld . moderna . com . br / 2011 / 07 / 06 / 6 – de – julho – criacao – do – ibge /

O Canil LOVELY PEKES

CAROS AMIGOS LEITORES,

Esta matéria é dedicada a todas as pessoas que amam cães. E tem a finalidade de apresentar um Canil Especializado, exclusivamente, na Criação da  Raça de Cães Pequineses.  O Canil LOVELY PEKES.

http://gisele-brenner.wix.com/canillovelypekes

32412

IMG-20141231-WA0007

Sol ainda no Canil Lovely Pekes.

Vocês acreditam que esta foto é de um cão filhote da raça PEQUINÊS? Não?  Então acreditam que a raça foi abolida?  Vou contrariá-los.

A raça não foi extinta e havia em mim a pretensão de escrever uma matéria sobre a mesma, contudo, asseguro que encontrará  informações no site do Canil de onde veio este filhote, cujo nome é SOL (parece de pelúcia) encontrará fotos dele e demais no link de Fotos “filhotes vendidos”. Além disso, vou mostrar outra foto dele atual (próximo parágrafo) ainda um bebê de apenas oito meses, aqui em casa onde ele vive feliz e nos faz felizes.

20150620_104333

O Sol raiou aqui em casa!

Sugiro e recomendo que acessem e naveguem para conhecerem o conteúdo completo do site do Canil LOVELY PEKES e adianto que existe uma galerinha nascida recentemente. Encontrará o formulário para contato com Gisele Brenner, veterinária responsável pela alegria e quebra da rotina de centenas e centenas de famílias por todo o Brasil.

O Sol raiou aqui em casa! Nesta foto ele chegou do banho e tosa. Gosta de  posar para fotos.

Djanira Felipe de Oliveira – Mulher que escreve. Mulher que faz. E sabe o porquê.

http://gisele-brenner.wix.com/canillovelypekes

04 DE JULHO – DIA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO

GRLtIST-9Y

Escolha cooperativismo. Escolha equidade.

Este é o tema do 93º Dia Internacional do Cooperativismo, divulgado pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI). A data, neste ano, será celebrada em 4 de julho. Um comunicado foi enviado pelo Sistema OCB, na sexta-feira (27/3), às suas unidades estaduais, contendo a mensagem elaborada pela ACI para a escolha do tema e traduzida pela unidade nacional (clique aqui para ler).
O Sistema OCB, por sua vez, pensando em criar uma identidade mais forte para essa comemoração, enviará em breve uma logomarca a ser aplicada nos eventos alusivos à data. Serão enviadas, também, algumas propostas de peças de divulgação da data.
UNIDADES ESTADUAIS – Segundo o superintendente, Renato Nobile, a Gerência de Relações Institucionais se encarregará de receber o calendário de ações a serem realizadas regionalmente em função da comemoração do Dia Internacional do Cooperativismo.
“A nossa intenção é divulgar as atividades nacionalmente e, ainda, repassar ao conhecimento da ACI que pretende compilar as informações em um relatório global. Por isso, solicitamos às unidades estaduais que nos enviem as informações à medida que forem sendo planejadas”, comenta Nobile, informando que o endereço de e-mail para o repasse das ações é: relacoesinstitucionais @ ocb . coop . br.

Igualdade é o tema do Dia Internacional das Cooperativas 2015

Em nosso mundo globalizado a desigualdade está em ascensão.
O hiato na renda mundial tem aumentado ao longo dos últimos anos. Um relatório recente do Credit Suisse estima que o um por cento mais rico da população mundial concentra quase metade da riqueza total do mundo, enquanto metade das pessoas do planeta detém menos de um por cento da riqueza mundial.
No entanto, a desigualdade se apresenta em diversos tons, podendo se aplicar às características étnicas e regionais ou a aspectos pessoais, como sexo ou idade. Precedendo a equidade no direito ao voto entre homens e mulheres, a igualdade de gênero tem sido um direito fundamental em cooperativas desde o seu início, na primeira metade do século 19.
A hierarquia tipicamente plana das cooperativas incentiva uma cultura de trabalho em equipe, onde o talento é recompensado ao invés de competitividade.

Como a desigualdade afeta a todos nós

A desigualdade é um tema relevante pois influencia nossas percepções sobre auto-estima e justiça. Todos os seres humanos têm direito ao mesmo respeito e à mesma dignidade. No entanto, a desigualdade traz graves consequências socio-econômicas e de segurança.

Prejudicial para a economia – A desigualdade retarda o crescimento do PIB, o que dificulta a acumulação de capital humano, corrói resultados educacionais e perspectivas econômicas de longo prazo, especialmente para as pessoas de baixa renda.

Prejudicial para a nossa infraestrutura – Quando excluídos, os indivíduos não são capazes de participar nas instituições que formam a sociedade. Exemplos disso são a capacitação médica, indústrias que requeiram trabalhadores qualificados, ou as áreas de crédito e seguros.

Prejudicial para a nossa segurança – Os impactos sociais da desigualdade incluem desemprego, violência, crime, humilhação, degradação do capital humano e exclusão social. A desigualdade afeta negativamente a participação democrática, fomentando a corrupção e o conflito civil.
Prejudicial para a democracia – Politicamente, a desigualdade corrói a justiça das instituições e agrava o problema da responsabilização dos governos. Quando as instituições sociais já são frágeis, a desigualdade desestimula ainda mais a vida cívica e social que sustenta a tomada de decisão coletiva, necessária para o funcionamento de sociedades saudáveis.

Como o cooperativismo pode contribuir

Todos são donos – expandindo o conceito de propriedade, as cooperativas são uma força comprovada para a inclusão econômica e social. Se o modelo cooperativista continuar a crescer, a desigualdade será reduzida.

Aberta a todos – Uma cooperativa é aberta a todos, seja homem ou mulher, jovem ou idoso, qualquer pessoa pode participar.

O poder de decisão não está vinculado à riqueza – Todos têm igual poder de decisão (voto equivalente), independentemente do capital.

Igualdade também significa acesso igual aos bens – A Organização das Nações Unidas (ONU) reconhece como estratégia crítica, a nível nacional, assegurar o acesso universal a bens e serviços básicos de boa qualidade, o que, por sua vez, é o próprio propósito de uma cooperativa.

A Organização das Nações Unidas afirma a importância de se assegurar que a oferta realmente chegue às camada excluídas da população. As cooperativas se concentram em atender as necessidades de seus membros, ao invés de focar apenas no retorno financeiro.
O movimento cooperativista apresenta uma combinação única entre alcance global e conduta empresarial baseada em pessoas. Podemos desempenhar um importante papel na redução da pobreza. As cooperativas auxiliam na redução da desigualdade ao empoderar as pessoas e ao oferecer a elas uma forma digna e sustentável de ganhar a vida.

 

FONTE: cooperativismodecredito . coop . br / 2015 / 03 / definido – o – tema – do – dia – internacional – do – cooperativismo – escolha -cooperativismo – escolha – equidade /

%d blogueiros gostam disto: