Arquivo do autor:Djanira Felipe

IPVA – RJ – 2021

Amigos e leitores

Mais uma vez, disponibilizamos o calendário do IPVA neste canal de comunicação, por entendermos que é assunto de interesse da sociedade. Lembrando que uma das finalidades deste BLOG é postar matérias que promovem o bem comum e que são de interesse do povo.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

O governo do Rio de Janeiro divulgou nesta terça-feira (8) o calendário para o pagamento do IPVA 2021Veja abaixo a tabela de pagamento. Quem optar pelo pagamento em cota única, dentro do prazo previsto, terá desconto de 3% no valor do imposto.

O pagamento da cota única ou da primeira parcela para os veículos com placa final 0 deve ser feito no dia 21 de janeiro.

Calendário de pagamento
IPVA – RJ – 2021
Final de placa 021/jan22/fev24/mar
Final de placa 122/jan23/fev25/mar
Final de placa225/jan24/fev26/mar
Final de placa 326/jan25/fev29/mar
Final de placa 427/jan26/fev30/mar
Final de placa 528/jan1º/mar05/abr
Final de placa 629/jan02/mar06/abr
Final de placa 71º/fev03/mar07/abr
Final de placa 802/fev04/mar08/abr
Final de placa 903/fev05/mar09/abr
Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/12/08/governo-do-rj-divulga-calendario-de-pagamento-do-ipva-2021.ghtml

CALENDÁRIO IPTU – RJ 2021

Amigos e leitores

Mais uma vez, disponibilizamos o calendário do IPTU neste canal de comunicação, por entendermos que é assunto de interesse da sociedade. Lembrando que uma das finalidades deste BLOG é postar matérias que promovem o bem comum e que são de interesse do povo.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

Os contribuintes com cobrança de IPTU na cidade do Rio têm até o dia 07/02/2021 para pagar a cota única ou a primeira parcela do imposto. Os que pagarem de uma só vez garantem o desconto de 7%, mesmo percentual concedido no ano passado. Confira as datas na tabela abaixo:

PAGAMENTO IPTU – RJ 2021
COTAVENCIMENTO
COTA ÚNICA05.02.2021
1ª COTA05.02.2021
2ª COTA05.03.2021
3ª COTA08.04.2021
4ª COTA07.05.2021
5ª COTA08.06.2021
6ª COTA07.07.2021
7ª COTA06.08.2021
8ª COTA08.09.2021
9ª COTA07.10.2021
10ª COTA08.11.2021
Fonte: https://www.rio.rj.gov.br/web/smf/exibeconteudo?id=5840195

UMA REALIDADE BRASILEIRA

Eu falaria hoje, essa Frase de 1920, em qualquer plenário para uma plateia, independente do nível, desde que fosse no Brasil. Muito apropriada essa realidade. Sociedade condenada e escravizada a sua própria ignorância. Seja rico ou seja pobre porque a ignorância do rico é resultado da arrogância – por suposta superioridade moral, social, intelectual ou de comportamento, assume atitude prepotente ou de desprezo com relação aos outros. A ignorância do pobre é decorrente da falta de conhecimento até mesmo dos seus direitos como ente humano. Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

FRASE DE 1920

Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (judia, fugitiva da revolução russa, que chegou aos Estados Unidos na metade da década de 1920), mostrando uma visão com conhecimento de causa:

“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; Quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; Quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; Quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto sacrifício; Então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada”.

Detalhes que fazem a diferença

Exemplares de antologias das quais faço parte e minhas duas obras individuais: No barulho do meu silêncio interior e Viajante do Universo. Vivemos para compor a nossa história e em busca do verdadeiro Eu. Somos Viajantes do Universo e aprendizes da vida.

Ser poeta é ter a capacidade de transcender os limites dos sentidos limitados e enxergar o mundo pelo olhar da alma.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

Passo a Passo

Uma Vitória de cada vez. Vamos avançando no Resgate do Brasil.

Amigos e Leitores,

Amigos e Leitores,

Poderia escrever um artigo e explorar diversos aspectos sobre essa afirmação que copiei do Canal oficial da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP). Acredito que essa síntese poderá levar muitas pessoas a refletirem sobre o nosso Brasil que está refém dos interesses de políticos despreparados.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

16 DIAS DE ATIVISMO PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Por Djanira Felipe

Estou aqui pensando e sentindo-me impotente em relação ao momento, no qual presenciamos tantos equívocos e maldades que, inevitável e vergonhosamente, farão parte da nossa história. Chego a fazer uma analogia sobre a situação do Brasil e a criação da Caixa de Pandora (originariamente Jarro) na Mitologia Grega. Pensei nisso porque lá entre os males estava a “esperança” que foi a única a NÃO sair quando a caixa foi aberta.

Esperança nesse contexto é uma expectativa, uma probabilidade que poderá ser para o bem ou não. Assim percebo o que ocorre em nosso País.

Abriram a Caixa de Pandora e os males se espalharam. A amoralidade estabelecida tem consequências irreparáveis que impactam diretamente na vida da sociedade civil, sobretudo, na vida dos menos favorecidos. Além disso, é doloroso perceber a inércia de um povo que é descrito no segundo verso do Hino Nacional como “povo heroico” cujo brado é retumbante (sonoro ensurdecedor), então vejo uma nação cuja voz emudeceu diante da estarrecedora falta de competência e gestão. Falo do desserviço, da desordem estabelecida, falo da incitação aos males de Pandora, acrescidos de sentimentos de ódio, racismo, violência de todas as formas e violações dos direitos humanos. Hoje a falta de respeito parece ser o princípio fundamental. Talvez seja pela inversão dos valores morais. O intuito de desconstruir a nossa história é bastante claro. Vejamos: Racismo é crime, contudo, é praticado a cada segundo. Assisti ao vídeo do ato de racismo e vandalismo que foi cometido, no corredor da casa parlamentar – Câmara dos Deputados por um deputado, que rasgou o cartaz do painel da campanha da casa contra o racismo (uma vergonha) falta de exemplo. Poderia trazer vários outros casos, mas vou parar por aqui.

Quero falar sobre os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A campanha é uma Mobilização Global que envolve Órgãos de Governos e sociedade civil, associações e empresas, universidades e escolas, e as pessoas que de um modo geral se solidarizam às vítimas, às ativistas, assim como, aos movimentos de mulheres em prol do fim da violência contra mulheres e meninas, inclusive.

Em que pese a importância da campanha não se exclui a necessidade de criação de políticas públicas em defesa dessa causa, assim como de tantas outras que envolvem violência e qualquer tipo de constrangimento.

Em face ao exposto, apresento um CONVITE e ressalto a importância de as mulheres DESPERTAREM para a necessidade da sua participação ativa no universo político. Na realidade não há mais que se falar somente em conquistar espaços, uma vez que, historicamente, muito já conquistamos e é certa a continuidade na luta. A dificuldade que percebo hoje é o saber ocupar os espaços conquistados e vencer os óbices que se apresentam, por meio das manifestações preconceituosas e inaceitáveis.

Por fim, apresento para reflexão sobre o meu convite a frase de Indira Gandhi:

“Quando há uma tormenta, os passarinhos escondem-se, as águias, porém, voam mais alto.”

Política – O segundo turno no Rio de Janeiro

Por Djanira Felipe

Amigos e Leitores

Li no post do deputado André Figueiredo alguns comentários criticando o deputado e a decisão tomada e anunciada com transparência, (texto do deputado abaixo da foto). Resolvi compartilhar para expressar o meu sentimento. Ele mostra o apoio do PDT a esses dois candidatos (Manu e Boulos). Com certeza estaríamos felizes com os nossos candidatos eleitos, sobretudo aqui no Rio de Janeiro. Vamos ver uma situação bem crítica e que incomoda no Rio de Janeiro que ficou entregue a própria sorte, se é que poderei utilizar a palavra sorte.

Em 2018, passado não muito distante, parte dos brasileiros elegeram um candidato presidente com o discurso de retirar o PT do cenário político. Agora temos uma situação crítica em âmbito municipal, especialmente no Rio de Janeiro, a segunda maior cidade do Brasil. E o que vemos? Os eleitores do mesmo partido no vácuo. Pensemos como ouvimos discursos globais durante a campanha e como agora, no vácuo, os discursos soam como individuais. Algumas interrogações que precisam ser respondidas e acreditem por cada um de nós que desejar refletir.

1 – Quem pensa realmente no bem-estar da população do Rio de Janeiro?

2 – O que significa a palavra coragem?

“Resposta: substantivo feminino. – 1.moral forte perante o perigo, os riscos; bravura, intrepidez. 2.firmeza de espírito para enfrentar situação emocional ou moralmente difícil. (Fonte Google) “.

Temos o momento crítico e as duas opções extremamente difíceis, distante de ser ideal. Mas vamos combinar que todos os candidatos falavam que o atual prefeito não faz gestão, abandonou a cidade, a saúde, a educação, faz ações apenas para a igreja e tudo mais que falaram. Eu concordo. Agora que vem a parte intrigante. Suponhamos que para o segundo turno tivesse o Paes e a Martha Rocha ou o Paes e a Benedita. Eu votaria novamente na Martha Rocha. Quem é Petista na Benedita. Isto é o óbvio. No entanto a realidade é o Paes e o Crivella no segundo turno. Aí é que volto ao significado da palavra “coragem” da expressão “Bota fé que dá” e faço mais uma pergunta: É justo o vácuo aos eleitores? Acredito que uma decisão, um posicionamento com o foco no povo, sim, seria o ideal. Acredito que qualquer partido é criado em nível nacional. Resta saber o que há de errado com o Rio de Janeiro. E se na disputa entre o Paes e uma ou outra candidata (Martha Rocha ou Benedita) fosse ele o vencedor? Gente o que eu quero dizer é que neste momento o Rio de Janeiro precisa mudar o prefeito. A situação atual, digo situação porque não posso grafar a palavra Gestão, simplesmente porque não existe para a população tão carente de um gestor ou gestora que se importe com a melhoria das condições e qualidade de vida. Acredito que já me fiz entender. Por isso, parabenizo o deputado André Figueiredo e o PDT dos estados que tomaram a decisão de sinalizar aos eleitores em respeito aos votos recebidos. No Rio a situação me fez lembrar de quando Marina Silva deixou os seus eleitores assim. Em respeito ao partido e exercendo a minha cidadania tomarei a minha decisão, mas confesso que estou decepcionada. Fazer política não se resume a isso que ocorreu. O meu conceito de política é: “✍️A política é uma ciência tão séria, que fazer política significa ter antes de qualquer coisa, a capacidade de respeitar as pessoas e as suas escolhas, independentemente, das razões que as motivaram.”✅

Via de regra é fazer alianças para o segundo turno e pensar no Rio de Janeiro. A construção de pontes é mais benéfica do que a construção de muros. Lembram que recentemente foi veiculada uma conversa do Ciro e o Lula? Fiz outra pergunta! Devem estar pensando no Brasil.

Alguém se lembra de alguma notícia sobre a condição “INELEGÍVEL” do prefeito?

Abraços fraternos e poéticos aos seus corações.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

Veja os comentários aos quais me referi na matéria –

https://www.facebook.com/search/top?q=andr%C3%A9%20figueiredo

VÍDEO I

AOS ELEITORES DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.

VÍDEO II

ÀS CANDIDATAS AO CARGO DE VEREADORA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.

VÍDEO III

AOS CANDIDATOS À PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.

10 de outubro – Dia do Poeta

Como sempre falo: Poeta prestigia poeta. Feliz Dia do Poetas aos Colegas Sonhadores.

Poetas Loucos

Será que os poetas são loucos
Por acreditar e escrever poesias.

Será que os poetas são loucos
Por traduzir sonhos em letras e
Expressar alegorias.

Será que os poetas são loucos
Por momentos ousar produzir alegrias.

Será que os poetas são loucos
Por falar em filosofia.

Será que os poetas são loucos
Pela mágica que os guia.

Será que os poetas são loucos
Por viverem no mundo real e de fantasias.

Quero crer que todo poeta é um arquiteto da mente
Que invade a alma da gente e com as letras fala o que sente.

(Da obra Viajante do Universo de Djanira Felipe de Oliveira.)

%d blogueiros gostam disto: