Arquivo do autor:Djanira Felipe

O POETA E O HOMEM

O POETA E O HOMEM
Por Djanira Felipe

Ser poeta é ter a capacidade de transcender os limites dos sentidos limitados e contemplar o mundo pelo olhar da alma.

O poeta que segura o livro parece abrigar com serenidade o homem desvalido, possivelmente do amparo familiar e da corporação social, cansado das provas da vida ou simplesmente um homem que precisa de colo.
O livro, o homem, ambos têm histórias que os poetas sabem perceber e contar muito bem. Há casos nos quais os autores acabam sendo transformados em personagens, ainda que seja independentemente da sua vontade. O poeta Carlos Drummond de Andrade escreveu: “Tinha uma pedra no meio do caminho no meio do caminho tinha uma pedra…” se o poeta olhasse a imagem que inspira este texto poderia por metáfora igualmente dizer: − Há um homem no colo de um poeta no colo de um poeta há um homem. Talvez Drummond dissesse isto porque o homem passa a ser o objeto da exterioridade comportamental da sociedade.
Um homem no colo do poeta, um homem que necessita de atenção, de um amigo, de um abrigo. No silêncio barulhento da Orla de Copacabana, os pensamentos e os olhares se fazem entender, enquanto as dores contidas são representadas num simples pedido de socorro, na segunda maior cidade do Brasil.
Nem se faz necessário encontrar-se lá para saber que os transeuntes são indiferentes a situação, salvo para fotografar como mero registro de um passeio no calçadão de Copacabana. Mas, e a face oculta? Os sentimentos? O calor humano que se faz representado pelo metal frio da estátua do poeta que pelo que aparenta é mais humano do que os humanos.
É inexplicável a sensação de entrega que a imagem passa para um bom observador. Um grito silencioso! Um pedido de assistência! Um colo para descansar simplesmente.

No colo do poeta o homem descansa. O homem descansa no colo do poeta.
O poeta acolhe o homem que a sociedade insiste em rejeitar.

Como pano de fundo o céu e o mar que complementam o cenário com toda a magia da poesia que existe desde a imagem até a leitura de cada olhar. Difícil avaliar o quanto há de vida real e arte nesta imagem de autoria anônima foto que é nada mais do que o retrato de uma realidade nua e crua, resultado de um sistema cruel aos menos favorecidos e também Filhos de Deus. Acorda Brasil!

Anúncios

APARTAMENTO EXCELENTE! NO MELHOR DA ALDEOTA.

Perto do Shopping Aldeota, Del Paseo, 138m2  com 3 Suítes, Gabinete, Varanda, Ampla Sala. Duas vagas de Garagem. Gás e água inclusos no condomínio. Valor: R$480.000

Djanira Felipe

Corretora de Imóveis

Tel.: 9 8152-3328

CRECI – 17605

 

HOMENAGEM AOS PROFESSORES

Queridos Amigos e Leitores,
Cada pessoa é um universo complexo, por isto o meu respeito a cada uma de forma especial. Percebo cada pessoa como uma oportunidade de aprendizagem no curso da vida. Então sendo assim, toda pessoa é um Professor e um Aluno, viajante do universo que somos, posso crer que a nossa missão é evoluir. Portanto, alguns ganham destaque pela sua ESPECIALIZAÇÃO na forma de TRABALHAR e PROMOVER o DESENVOLVIMENTO de HABILIDADES que às vezes, sequer sabemos que as possuimos. A esta CAPACIDADE de PROCESSAR e ENTREGAR A SOCIEDADE Profissionais Preparados denomino de SER PROFESSOR.
PARABENIZO A TODOS PELO DIA DE HOJE, ESPECIALMENTE.
Abraços Fraternos e Poéticos aos seus Corações.
Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

SOBRE VIVER.

 

Hoje me perguntaram o que eu faria se soubesse que é o meu ultimo dia de vida. Respondi: — Viveria como todos os outros porque todo hoje poderá ser o último dia de vida nesta vida.
Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

DIPLOMAÇÃO NO CRECI CE 27/09/2017

AMIGOS LEIRORES,

Compartilho com vocês mais uma conquista, Graças a Deus, idealizo com fé e realizo. Aos amigos que me seguem e acompanham as matérias desse canal de comunicação abraços fraternos e poéticos aos seus corações.

Djanira Felipe – mulher que escreve, Faz e sabe o porquê.

CIRO GOMES – SÁBADO, 16/09/2017

 Sábado, 16/09/2017 com CIRO GOMES.
Primeiro passo certo na direção certa. Simples assim.
Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

À DRA. DEISI BORGES LEAL – MINHA HOMENAGEM ABERTA

Olá amigos,

Há muito não realizo postagens nesse canal de comunicação com vocês, mas espero hoje estar trazendo uma mensagem que chegue aos corações e alma  daqueles que pensam como eu pensava.

Eu poderia dizer Feliz Dia do Psicólogo ou pesquisar uma mensagem pronta e postar. Mas seria ingratidão e apagar uma parte da minha história. Tenho motivos para me permitir escrever uma mensagem especial porque passei boa parte da vida sem acreditar na eficácia dos serviços do profissional psicólogo. Lembro-me que falei várias vezes para uma amiga: – Você joga dinheiro fora, Psicólogo não vai resolver os seus problemas.

No momento da perda da minha mãe fiquei mal. Precisava reconstruir a minha estrutura abalada. A impressão que eu tinha era que tudo estava fora do lugar em mim, como uma casa desarrumada.

Em que pese a minha resistência em ser atendida por um Psicólogo foi esse o caminho. Por isto é tão importante eu escrever em homenagem à Dra. DEISI BORGES LEAL, pelo seu dia e ampliar a homenagem a todos os Profissionais Psicólogos. Ela é um presente de Deus na vida de qualquer pessoa que a conheça e seja auxiliada por ela. Tanto que fiquei seis anos, embora não houvesse a necessidade, mas me fazia bem conversar e ouvir os seus apontamentos. Verifiquei que realmente ela não resolveu os meus problemas, mas tenho CERTEZA de que SEM a sua ajuda não estaria hoje a escrever esta homenagem ou outra coisa.

Então DRA. DEISI receba os meus sinceros cumprimentos e a minha gratidão por tudo que fez por mim. Na verdade retirou-me do umbral e transcendeu as atividades de competência de uma Psicóloga. Com esta atitude ocasionou a quebra do paradigma, ou seja, a descrença que havia em mim sobre o profissional dessa área.

Por fim deixo a dica fundamental para pessoas que precisem fazer análise: Não resistam! Percebam no primeiro contato se há uma conexão, afinidade e confiança estabelecida entre você e o Psicólogo (a) porque caso haja não procure outro. Foi assim comigo. Credibilidade no primeiro contato via fone. Na verdade naquele momento Deus me presenteou com a melhor profissional que eu poderia conhecer. Hoje sinto saudades da Dra. Deisi, mas tão logo seja possível ir ao Rio de Janeiro, certamente irei vê-la e dar um abraço fraterno e poético.

Vamos Parabenizar e Respeitar o trabalho do Psicólogo! Não esperem milagres eles são pessoas também. Salvam Vidas! Ajudemos a eles para que possam nos ajudar. É assim que funciona.

Abraços Fraternos e poéticos aos seus corações.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

FINAL DE CURSO TTI – FORTALEZA – CE

Olá amigos,

Agora a postagem do meu jeito. Vamos curtir porque  o melhor da vida é viver com música e com mais poesia.

Abraços fraternos e poéticos aos seus corações.

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

 

AUTÓGRAFOS NA GEVEN – CE – COM SOM

Amigos,
O vídeo dispensa textos. Apenas para contextualizar foi a despedida de algumas colegas que iniciam uma nova fase da vida, aposentadas, após terem contribuído na construção da nossa Empresa de CORREIOS, que sabemos fazer com muita competência. Compartilho a homenagem a essas guerreiras.
Abraços fraternos e poéticos aos seus corações
Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

 

 

COMUNICADO AOS AMIGOS LEITORES

Olá queridos amigos e leitores,

Estou um tempo ausente desse nosso canal de comunicação, mas com certeza em breve estaremos normalizando as nossas postagens diárias, porque os assuntos aos quais estou tratando com a prioridade necessária já caminham para as devidas conformidades. Enquanto isso vamos nos comunicando, via os outros canais que temos abertos tais como: Facebook, WhatsApp, Youtube, Messenger ou ainda, via fone.

Conto com a sua compreensão e até breve.

Abraços Fraternos e Poéticos aos seus corações

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

ENSINO MÉDIO

Ensino Médio

Caminhando para baixo, porém, de forma extraordinária e corajosa.

Por Djanira Felipe

downloadQue bom ler a temática da página 18 do Jornal O POVO, hoje 17/2/2017, e repito: Jornal O POVO que acredito ser direcionado para o Povo de um povoado de uma aldeia, arraial ou ainda de uma povoação e por que não dizer qualquer lugar do Norte ao Sul do Brasil que é povoado por milhões de pessoas que merecem respeito e que fazem parte da sociedade. Será que o povo participou do consenso entre o governo e o congresso para a sansão dessa Lei que aniquila o Ensino Médio?

Perceberam alguns sinônimos? Então vamos separar POVO e AÇÃO e imaginar o POVO EM AÇÃO. Em ação contra o que o Presidente Michel Temer avalia como exemplo extraordinário das características de uma gestão “corajosa”. Pensando bem ele tem razão porque é preciso ter coragem para contribuir e incitar à motivação que é motivo para ação de NÃO estudar disciplinas opcionais que são: Linguagem, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Profissional. Cheguei ao ponto. Imaginem um profissional que não adquiriu conhecimento básico necessário para a sua ascensão como ser humano.

Quero ser breve para não atender a intensidade da minha indignação. Vamos raciocinar juntos e pegar Ciências Humanas que não precisamos ser gênios para imaginar que se trata de uma área do conhecimento referente ao estudo do homem como ser social – viver em sociedade, interagir com outras pessoas manter relações humanas.

Por mencionar Relações Humanas, vale ressaltar, que o Estudo das Relações Humanas surgiu no final do século XIX com o intuito de corrigir a desumanização no setor pessoal das indústrias. Elton Mayo criou a Teoria das Relações Humanas, que teve origem na necessidade de democratizar e humanizar a administração; valendo-se de outras ciências sociais tais como psicologia, sociologia e antropologia. Permito-me acrescentar outras disciplinas que compõem essa modalidade do ensino como Filosofia, História, Geografia, Letras, Pedagogia, Administração, Direito, Relações Internacionais, comunicação e Ciência Política dentre outras.

Será desnecessário explicar cada uma, basta dizer que Administração é a ciência que estuda a gestão de pessoas, empresas públicas e privadas. Fiz essa viagem até o ensino superior porque estamos retrocedendo no ensino médio, ponto de partida para caminhar rumo à universidade.

Podemos acreditar que no processo como um todo se entrar lixo vai ser processado lixo e sair para a sociedade lixo como produto final. Mas poderíamos hoje comemorar a Lei do novo Ensino Médio como um ato extraordinário se tivessem tornado obrigatório o ensino que promovesse a entrada do indivíduo que fosse desenvolvido o seu talento e a sociedade cliente, recebesse profissionais preparados para serem senhores dos seus destinos e compositores das suas histórias.

Por que não ensinam Ciência Política? Por que não preparamos os futuros homens e mulheres com plena consciência política para cuidar do Brasil e dos interesses do povo. Imagina! Isto não interessa. Povo esclarecido cobra, questiona, discorda, ou seja, dizem mais do que amém. Acredito que a mensagem está dada, ainda que não tenham sido desdobradas as outras disciplinas, mas ficaram implícitos que certamente provocarão momentos de reflexões. O Brasil precisa acordar urgentemente.

Acorda Brasil! Um filho teu não foge à luta. Brasileiros! É hora de mudar o destino do País.

É com atitude que se muda qualquer realidade legítima ou não.

Sou Administradora e Adesguiana

Sou Brasileira!

Djanira Felipe – mulher que escreve, faz e sabe o porquê.

,

ANÁLISE DE UMA LEITORA SOBRE O MEU PRIMEIRO LIVRO

Amigos,

Esta é a grande tirada do autor.  Saber que o leitor deu vida ao livro a partir da leitura, prestou atenção na mensagem e, principalmente, deu um feedback, conforme a sua interpretação. No caso acredito e aceito com alegria no coração uma leitura com o olhar crítico e construtivo. Obrigada, Diva maria,  amei.

Compartilho com vocês:

no-barulho-do-meu-silencio-interiorSilêncio interior

Djanira, obrigada por partilhar o prazer de ler seus versos.

Aprendemos que não é recomendável querer interpretar uma obra poética a partir de dados biográficos do autor. A obra tem autonomia: a palavra constrói um universo próprio.

No caso de seu livro, isso parece confirmar-se. Vejo você como uma mulher de coragem, que se empenha em grandes lutas, que se tornou vitoriosa por méritos pessoais, uma pessoa combativa e firme, analisando com argúcia os aspectos menos nobres humanidade, apesar de afetuosa.

No entanto, a sua poesia revela um mundo interior de fragilidade, o eu mergulhado numa atmosfera de idealização da realidade e dos sentimentos humanos, uma sensibilidade quase de menina, em devaneios:

Os românticos se alimentam de tudo que vivem em sonhos,

Quando decidem escrever, permitem que outros sonhem (p. 73).

Nessa primeira leitura, muito rápida, porque na madrugada, percebo, de fato, características do Romantismo: comunhão com a natureza, exaltação do ser amado, introspecção, espiritualidade, ressaltando o emprego reiterado do termo “encanto”.

Na totalidade dos versos revelam-se as crenças, a visão do mundo, que inclui referências esparsas aos conflitos sociais, a expressão suave da sensualidade, escapismo na contemplação das estrelas, das flores, do mar.

Do barulho proveniente do medo, das ânsias e do desejo, o silêncio interior vai construindo um universo de harmonia e paz, só alcançável no terreno da poesia.

Por Diva Maria.

 

%d blogueiros gostam disto: