Arquivo mensal: outubro 2011

Doença de Lula ganha destaque nos principais jornais do mundo

Dilma diz que estará ao lado de Lula contra câncer

Após diagnóstico de câncer, Lula deixa hospital; tratamento deve começar na segunda-feira

LANÇAMENTO DO LIVRO NO SESC ENGENHO DE DENTRO – 28/10/11

 

Nota de gratidão sobre o evento de ontem, 28/10/11, no SESC do Rio de Janeiro


AMIGOS LEITORES DO ESPAÇO SIMPLES QUE CHAMAMOS DE BLOG, MAS QUE NA REALIDADE É UM CANAL DE ALTÍSSIMO POTENCIAL PARA UMA COMUNICAÇÃO EFICAZ, OU NÃO, DEPENDE DA FORMA QUE O UTILIZAMOS.

Quero compartilhar com todos vocês a mensagem, abaixo, registrada no BLOG, via comentário, por uma amiga que participou do Lançamento do Livro em 28/10/2011, no SESC – Engenho de Dentro.

E somente o faço por uma única razão:

As palavras da Susana são verdadeiras e sou grata pela sinceridade com a qual a mesma as expressou. Por isso quero agradecer de público e compartilho com todos vocês que já fazem parte desse espaço e da corrente do bem que divulgamos.

“O que eu admiro em você é a atitude de acreditar, ir e fazer. Você acredita no que faz e isso contagia os que te cercam e faz da tuas ações sucesso. A energia que absorvemos ontem no evento nos fez integrantes de uma grande celebração do bem. Quem participou não saiu o mesmo, eu inclusive. Obrigada por isso!”

Susana Atan Galan

OBRIGADA SUSANA!

Djanira Felipe


BRASIL CRIA REDE DE PESQUISA DE REMÉDIOS CONTRA CÂNCER

Fonte: Secom em 26/10/2011 

País já investe R$ 2,5 bilhões anuais em pesquisa e produção contra a doença 

A Rede Nacional de Desenvolvimento e Inovação de Fármacos Anticâncer (Redefac) foi instituída pelo Ministério da Saúde nesta semana, para estimular a produção nacional de tecnologias terapêuticas inovadoras contra a doença, diminuir a dependência do mercado externo e elevar a competitividade da indústria farmacêutica brasileira. O Brasil já investe R$ 2,5 bilhões por ano em pesquisa e produção nacional para tratamento de pacientes com câncer.

A iniciativa representa a entrada do Brasil na produção de tratamentos inovadores, principalmente em remédios biológicos, como os anticorpos monoclonais, que estão na fronteira da biotecnologia mundial por não atacarem células saudáveis. Apenas as cancerígenas são atingidas por este tipo de medicamento, o que evita efeitos colaterais. Os medicamentos vão tratar principalmente de tumores de origem epitelial, de pulmão, leucemia, mama e colo retal. “Nosso objetivo é facilitar o acesso da população ao que há de mais moderno em saúde, com o melhor custo-benefício”, afirmou o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Carlos Gadelha.

Além de programas de capacitação de recursos humanos voltados para oncologia, a Redefac vai estabelecer uma política de prioridade ao desenvolvimento de medicamentos anticâncer, e também monitorar e apoiar a proteção intelectual de resultados desses projetos. Outro objetivo é incentivar e negociar a transferência de tecnologias de outros países.

Investimento – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério da Saúde, inicialmente, vão investir R$ 7,5 milhões para montar a rede, que será administrada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) e composta por grupos de pesquisa e desenvolvimento ligados a instituições públicas brasileiras, como Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Laboratório Nacional de Biociências e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A gestão da rede também contará com o apoio da Fundação Ary Frauzino para Pesquisa e Controle do Câncer (FAF), entidade filantrópica privada, sem fins lucrativos, cujo objetivo é apoiar o Inca na Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer.

Parceria com Cuba

Em setembro, o Ministério da Saúde fechou uma parceria com Cuba para cooperação tecnológica que envolve a produção nacional, via transferência de tecnologia cubana, de sete inovadores medicamentos oncológicos. Os acordos preveem prioridade para o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a consequente avaliação tecnológica para possível incorporação no Sistema único de Saúde (SUS).

 

AMPLIAÇÃO DO ENSINO TÉCNICO BUSCA ACELERAR O DESENVOLVIMENTO E A ERRADICAÇÃO DA MISÉRIA

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) vai criar, até 2014, oito milhões de oportunidades de formação técnica e profissional para estudantes do ensino médio e trabalhadores. Um dos resultados do Pronatec é criação de condições para acelerar o desenvolvimento, aumentar a produtividade, melhorar a qualidade da produção de bens e serviços, competir internacionalmente e, ainda contribuir para a erradicação da miséria. A lei de criação do Pronatec foi sancionada nesta quarta-feira (26).

Os investimentos previstos chegam a R$ 24 bilhões. Dentre as oito milhões de vagas, 5,6 milhões serão criadas em cursos de curta duração para qualificação profissional de trabalhadores e 2,4 milhões serão destinadas a cursos técnicos voltados para os estudantes do ensino médio de escolas públicas, com duração de, pelo menos, um ano.

Na elaboração do programa, a formação profissional de jovens e adultos foi considerada um dos pilares para o desenvolvimento do País, acesso à renda e fortalecimento do mercado interno e da indústria nacional.

O Pronatec pretende assegurar que o ensino médio brasileiro combine o conhecimento geral, mas também a prática específica e as qualificações necessárias para fazer frente à economia do conhecimento e à sofisticação tecnológica.

Acesso

A prioridade para acesso ao programa é para estudantes do ensino médio da rede pública, que sejam beneficiários do Bolsa Família, agricultores e descendentes de indígenas. O estímulo para o aumento de vagas ocupadas por pessoas com deficiência está previsto na legislação, assim como a reserva de 30% dos recursos do Pronatec para regiões do Norte e do Nordeste. 

Parcerias ampliam número de vagas

O Pronatec estabelece parcerias com o Sistema S (Sesi, Senai, Sesc e Senac) para que as escolas deste sistema recebam alunos das redes estaduais do ensino médio, para complementar a formação com a capacitação técnica e profissional. Apenas em 2011, a oferta de cursos profissionalizantes gratuitos será ampliada para 630 mil vagas. 

A reserva de 1,1 milhão de vagas para os beneficiários do Plano Brasil sem Miséria acontecerá pela parceria entre o governo federal e as prefeituras, que serão responsáveis pela participação da população adulta do Bolsa Família no programa. Em 2011, para os beneficiários do Brasil Sem Miséria estarão disponíveis 55 mil vagas nos cursos do Senai, Senac e Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

O Pronatec também estende o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) para o ensino técnico e deve beneficiar empresas que queiram captar recursos para investir em cursos técnicos (Fies Técnico Estudante e Empresa).

A expansão da rede de formação tecnológica, em nível estadual e federal, é uma das prioridades do programa. Já foram investidos R$ 1,7 bilhão na construção de 176 escolas técnicas estaduais, e também na reforma, ampliação e compra de equipamentos de outras 543 unidades.  Serão construídas 208 novas unidades dos Institutos Federais de Educação Profissional (Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia). Destas, 35 ficam prontas ainda em 2011.

 

http://www.secom.gov.br/sobre-a-secom/nucleo-de-comunicacao-publica/copy_of_em-questao-1/em-questao-do-dia/ampliacao-do-ensino-tecnico-busca-acelerar-o-desenvolvimento-e-a-erradicacao-da-miseria/impressao_view

Fonte: Secom em 26/10/2011

Rocinha: Moradores têm autorizações provisórias de apartamentos

 

O sonho da casa própria vai se tornar realidade para 144 famílias que moram na Rocinha, favela da Zona Sul do Rio. O Governo do Estado, por meio das secretarias da Casa Civil e de Habitação, vai entregar Autorizações Provisórias de Ocupação dos imóveis que ficam nas unidades habitacionais do PAC, na Estrada da Gávea, em cerimônia marcada para esta terça-feira, às 10 horas, na quadra da Escola de Samba da comunidade.

O recebimento dessa autorização corresponde à fase de transição entre a entrega dos apartamentos aos moradores e o recebimento da escritura definitiva do imóvel.

– Essa é uma garantia de que os moradores dos apartamentos realmente serão proprietários em definitivo dos imóveis, independente do trâmite da documentação legal junto ao Governo Federal, através da Caixa Econômica Federal –, explica a coordenadora do PAC Social, Ruth Jurberg.

Depois de receber a documentação, o morador terá que viver por pelo menos cinco anos no local, antes de vender o imóvel ou alugá-lo. Essa é uma iniciativa que tenta coibir a comercialização dos apartamentos, e ao mesmo tempo, impede que as famílias retornem para áreas degradadas da cidade ou contribuam para a invasão de outros espaços. Todos os 144 apartamentos, divididos em dois blocos, possuem dois quartos, cozinha e banheiro, dentro do molde das obras do PAC.

Fonte: Correio do Brasil – 24/10/2011

Poema de cliente mobiliza redes sociais

Pedido de novo cartão recebido no Facebook do Bradesco gera 925 likes

Um cliente do Bradesco fez, um pedido no Facebook em forma de poema e postou no mural do banco uma pequena história em que conta como perdeu seu cartão e solicita um novo.

A resposta do banco surpreendeu e ganhou repercussão em outras redes sociais, como o Twitter.

Em forma de poema, o Bradesco o orienta a procurar sua agência para, pessoalmente, solicitar um novo cartão e cadastrar uma nova senha.

Até às 17h de ontem (25), a resposta já registrou 925 likes e mais de 500 comentários no Twitter.

A resposta do banco aponta a mudança na gestão de clientes. O fato de não precisar ligar para o banco e abordar a agência de forma divertida, pode ser interpretada como indícios da proximidade entre cliente e empresa.

Segue o poema do cliente:

 

Banco Bradesco querido

Quisto por mim e os meus

Tens sua morada paulista

Bem na Cidade de Deus

Vejam que bela homenagem

O próprio Deus concebeu

Para a sua cidade

O vosso Banco escolheu

Eu até que me poria

Em alta colina à bradar

Peito banhado em verdade

Bradesco em primeiro lugar

Mas venho por outro motivo

O que findou meu sorrir

Para por fim ao martírio

Um favor vou lhes pedir

Plena falta de cuidado

Digna de um jabuti

Fazendo compras no mercado

O meu cartão eu perdi

Antes que eu passe fome

Faço a solicitação

Ao meu Banco preferido

PRECISO DE OUTRO CARTÃO!

 

Resposta dada pelo banco:

 

Mauro querido cliente

Pra você ter outro cartão

À sua agência deve ir pessoalmente

Mas não será por motivos fúteis

Você irá cadastrar uma nova senha

E seu cartão chegará em até 7 dias úteis

Agradecemos sua compreensão

E sempre que precisar

Pode contar com a nossa colaboração

 

Fonte: Cliente SA – 26/10/2011

QUERIDO(A)S LEITORE(A)S


CONTINUO AGRADECIDA PELOS ACESSOS E PARTICIPAÇÃO AO BLOG. ESPAÇO QUE NÃO ME CANSO DE REPETIR FOI CRIADO PARA OS LEITORES E SOCIEDADE EM GERAL. TRABALHAMOS EM PROL DO BEM COMUM, E QUANDO SE FALA EM BEM COMUM NÃO HÁ EXCEÇÕES. GRANDE ABRAÇO.

Adm. Djanira Felipe de Oliveira.

Programa Direto ao Assunto com Rubens Teixeira: “O que leva uma criança a se prostituir?”

@juliaing Mães denunciam más condições de higiene em hospital da UFRJ

Mulheres filmaram infestação de baratas no refeitório e relatam que crianças receberam refeições mofadas

Clarissa Thomé

Um grupo de mães, cujos filhos são tratados de câncer no Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), encaminhará ao Ministério Público Federal denúncias das más condições de higiene da instituição. Elas filmaram infestação de baratas no refeitório e relatam que crianças receberam refeições mofadas e com objetos estranhos. Os banheiros também estão mal conservados.

Julia Ingrid Ribeiro e o filho Pedro, de um ano e cinco meses, que tem leucemia - Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE
Julia Ingrid Ribeiro e o filho Pedro, de um ano e cinco meses, que tem leucemia

Os episódios começaram a ser registrados na semana passada. A dona de casa Júlia Ribeiro, de 21 anos, percebeu que a gelatina do filho, Pedro, de 1 ano e 5 meses, internado no local para fazer quimioterapia, estava mofada. À noite, a mãe conta ter encontrado um bolo de cabelos na refeição do filho. Ao descer para reclamar, deparou-se com a infestação de baratas no refeitório.

“Eram mais de 200. Elas saíam de uma tampa de bueiro que tem dentro do refeitório”, conta. “Uma comida estragada não vai provocar apenas indisposição. Meu filho vai ter de tomar antibiótico. É a vida dele que é colocada em risco.” Mas ela ressalta que o filho vem sendo bem atendido. “Eu não sabia que no SUS tinha médico que dava o telefone para o paciente, como se a gente estivesse pagando.”

Dois dias depois do caso de Pedro, Priscila Marinho, de 26 anos, encontrou um elástico no macarrão de Maria Clara, de 1 ano e 6 meses, internada para o tratamento de leucemia. “É um absurdo o descaso com as crianças”, afirmou. Ela relatou que, apesar de as crianças com leucemia ficarem isoladas, por causa do risco de infecção oportunista, todos os pacientes se banham no mesmo local. “A água do banho de uma criança internada com pneumonia escorre e fica sob os pés dos nossos filhos, que são imunossuprimidos e podem adoecer”.

O diretor da instituição, Edmilson Migowski, afirmou que o hospital está em obras, o que pode ter provocado a infestação. Ele apresentou

à reportagem documentos que comprovam dedetização recente – a última foi em julho. A reportagem também encontrou baratas no refeitório e numa área da cozinha que não está em uso, além de irregularidades como telas rompidas e saídas de esgoto na cozinha e refeitório.

“Esse é um prédio de 1953. Estamos fazendo obra na fachada, na rede de esgoto, entregamos no início do ano a reforma da emergência e do hospital-dia. Estamos licitando a reforma dos banheiros. Mas temos limite orçamentário”, explicou.

Ele informou que estuda reformar o refeitório, com o restaurante explorado pela iniciativa privada. E diz que determinou mudança na etiquetagem dos alimentos, que seguirá com a data de fabricação para os pacientes. Mas refutou a contaminação da comida com cabelos e elástico. “A contaminação pode ter ocorrido no quarto.”

%d blogueiros gostam disto: