Arquivo diário: 2011/09/11 9:01:45 PM

O meu, o nosso dia!

AOS PROFISSIONAIS ADMINISTRADORES!

O ADMINISTRADOR SABE ONDE ESTÁ, SABE O QUE PRETENDE, E SABE O QUE E COMO FAZER PARA ALCANÇAR O OBJETIVO DESEJADO.

 ALÉM DISSO, TEM A HABILIDADE PARA MEDIR E CONTROLAR OS RESULTADOS ESPERADOS, E A CAPACIDADE DE IDENTIFICAR AS NÃO-CONFORMIDADES DE GESTÃO, POR EM PRÁTICA AÇÕES DE MELHORIAS.

É DETENTOR DO PENSAR ESTRATÉGICO.

MAS, PARA GARANTIR O SUCESSO É FUNDAMENTAL QUE TENHA, TAMBÉM, A MAESTRIA DE INCITAR

A MOTIVAÇÃO DAS PESSOAS

A FAZER O QUE TEM QUE SER FEITO DE MANEIRA EFICIENTE E EFICAZ. 

Adm. Djanira Felipe de Oliveira

Dez anos do 11 de setembro de 2001

Selecionamos 11 longas que ajudam a retratar ou relembrar um dos acontecimentos que marcaram a história
“Fahrenheit 11 de Setembro” com o provocante diretor Michael Moore Divulgação

Joana Dantas jdantas@band.com.br

11/10/2001: o dia em que o mundo parou em frente à TV para assistir, ao vivo, os ataques sofridos pelos Estados Unidos. A data entrou para história e o cinema não poderia deixar de retratar o impacto provocado no mundo.

Foram dezenas de filmes e documentários de todos os gêneros e para todos os gostos. As histórias foram contadas, analisadas ou reproduzidas com uma veracidade impactante.

Para relembrar os 10 anos dos atentados terroristas selecionamos 11 filmes relacionados com a data:

Fahrenheit 11 de Setembro – O diretor Michael Moore não poupa críticas ao então presidente George W. Bush, apontado como grande culpado pelas falhas de segurança que resultaram nos ataques terroristas. O polêmico filme também metralhou a pressão do governador da Flórida, Jeb Bush, irmão do presidente, para que a Walt Disney Pictures desistisse de lançá-lo nos cinemas. A solução encontrada foi vender os direitos do filme para uma nova empresa, criada pelos irmãos Harvey e Bob Weinstein, que saíram da Miramax Films em protesto. Deu certo. Ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes e se tornou o primeiro documentário a estrear na liderança das bilheterias americanas, mas não conseguiu impedir a reeleição de George W. Bush.

Voo United 93
– Dirigido por Paul Greengrass, é um retrato fiel do sequestro do vôo 93 da United Airlines que tinha por objetivo atingir algum símbolo americano, mas foi derrubado com a ajuda dos próprios passageiros. Foi realizada uma extensa pesquisa, que contou com a ajuda dos familiares dos mortos na tragédia de forma a obter o máximo de detalhes sobre a personalidade de cada um. Recebeu duas indicações ao Oscar, nas categorias de direção e edição.

As Torres Gêmeas
– Oliver Stone retrata a destruição do World Trade Cente focado trabalho dos policiais ao entrar no prédio em chamas, antes da segunda torre ter sido atingida. Ele chegou a ser acusado de privilegiar o lado emocional ao invés de investir em teorias sobre o ocorrido.

Os Heróis
– Baseado em peça teatral de Anne Nelson, foi um dos primeiros filmes lançados a falar sobre os ataques terroristas. Aborda o lado dos bombeiros mortos na tragédia, que se tornaram heróis para os cidadãos.

11 de Setembro – Apenas um ano após os atentados terroristas, 11 diretores foram convidados a rodar curtas-metragens com a duração de 11 minutos, 9 segundos e um frame sobre o tema. Ken Loach, Alejandro González-Iñárritu, Mira Nair, Sean Penn, Youssef Chahine, Amos Gitai, Shohei Imamura, Idrissa Ouedraogo, Claude Lelouch, Denis Tanovic  e Samira Makmalbaf aceitaram o desafio. O curta rodado por Loach, fazendo um paralelo com a queda de Salvador Allende no Chile, também ocorrida em 11 de setembro, rendeu um prêmio concedido pela FIPRESCI em pleno Festival de Veneza.

Segredos de Estado – Filme francês dirigido pelo argentino Santiago Amigorena sobre os preparativos para os ataques nos Estados Unidos. Este suspense pouco conhecido traz um espião consciente do que está para acontecer e que conta com uma colega de trabalho para rever seus filhos pela última vez.

Lembranças – Drama estrelado por Robert Pattinson não foi comercializado como um filme sobre 11 de setembro ou o terrorismo, mas a queda do World Trade Center foi o fator para o enredo desta história de amor nada melosa.

Guerra ao Terror – O grande vencedor do Oscar 2010 é fruto direto dos atentados terroristas. Afinal de contas, se eles não tivessem ocorrido não haveria a nova guerra no Iraque e, consequentemente, a história do longa-metragem jamais teria nascido. Dirigido por Kathryn Bigelow e estrelado por Jeremy Renner, levou seis estatuetas do Oscar, incluindo a de filme e diretor.

11/9 – Esse documentário é, sem dúvida, o meu favorito. Na manhã de 11 de setembro de 2001, os irmãos Jules e Gedeon Naudet estavam filmando um documentário sobre um bombeiro principiante em Nova York. Ouvindo um rugido no céu, Jules virou sua câmera para cima, no exato momento de filmar a única imagem existente do primeiro avião colidindo com o World Trade Center.  Depois, enquanto Gedeon captava a reação das pessoas na rua, Jules correu para registrar os momentos de pavor no interior do edifício. O cinegrafista presenciou o choque na segunda torre e escapou por pouco de ser soterrado.  Jules e Gedeon tornaram-se assim, testemunhas oculares do mais chocante e decisivo acontecimento de nosso tempo. Com as câmeras rodando, os Naudet seguiram os bombeiros no coração do assim chamado Ponto Zero. O resultado foi um inesquecível e poderoso registro visual e um tributo aos heróis da vida real.

Dois Perdidos Numa Noite Suja – Filme nacional estrelado por Débora Falabella e Roberto Bomtempo entrou na lista graças a uma curiosidade nas filmagens. Os protagonistas rodaram cenas em Nova York em agosto de 2001, poucos dias antes do atentado terrorista.

Efeito Colateral – Com Arnold Schwarzenegger, o filme tinha estreia prevista para 5 de outubro de 2001 nos Estados Unidos, mas só estreou em fevereiro do ano seguinte. O trauma do público americano ainda não estava preparado para ver mais destruição.

Ator é condenado a prisão perpétua nos EUA

Joseph Son passará o resto de sua vida atrás das grades / Reprodução Joseph Son passará o resto de sua vida atrás das grades Reprodução

 

O ator Joseph Hyungmin Son, de 40 anos, foi condenado a prisão perpétua nos Estados Unidos. Ele foi considerado culpado pelo estupro de uma mulher na noite de Natal de 1990.

Son ficou conhecido pelo papel de Random Task no filme “Austin Powers – 000 Um Agente Nada Discreto” (1997).

De acordo com o processo, ele e um cúmplice obrigaram uma moça, na época com 20 anos, a entrar em seu carro com uma arma. Eles teriam estuprado e torturado a mulher repetidamente. Em depoimento, a vítima afirmou que suas cicatrizes emocionais eram “intensas”.

%d blogueiros gostam disto: