Arquivo diário: 2011/07/25 10:07:49 PM

FRANCAMENTE DEPUTADO!

*SOLICITO QUE LEIAM A MATÉRIA E LOGO ABAIXO O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE PROJETO ABSURDO E INADEQUADO.
Plantão | Publicada em 21/07/2011 às 11h11m
Agência Câmara
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/07/21/projeto-preve-que-aluno-de-universidade-publica-preste-servico-social-924949296.asp#ixzz1T2x97kfO
© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Projeto prevê que aluno de universidade pública preste serviço social

….RIO – Tramita na Câmara o Projeto de Lei 326/11, do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que obriga o recém-graduado das instituições públicas de educação superior mantidas pela União a prestar serviço social profissional pelo prazo de pelo menos seis meses, sem remuneração salarial.

Pelo projeto, o serviço social será prestado de acordo com a natureza da formação acadêmica, com o objetivo de colocar à disposição da sociedade a preparação profissional do recém-graduado. Ele será requisito prévio para obter o título ou grau acadêmico, sem substituir o estágio profissional obrigatório.

Contrapartida

Para Rubens Bueno, o projeto representa uma alternativa à ideia de cobrar mensalidades dos alunos de graduação do ensino público.

– É justo que os estudantes beneficiários da privilegiada experiência de estudar gratuitamente nas melhores instituições de educação superior ofereçam à sociedade, também de forma gratuita, os seus serviços profissionais, pelo menos durante o curto período de seis meses – argumenta.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), em 2007 o custo anual de cada aluno de universidade federal foi R$ 15.118,04. A meta do ministério é reduzir o valor para R$ 9.403,39 até 2012, com os esforços do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), que está ampliando o número de matrículas ofertadas.

Desigualdade

A educação, diz o deputado, é uma estratégia privilegiada de redução das diferenças sociais.

– O projeto objetiva determinar que, na formação em nível superior dos cidadãos brasileiros, seja assegurada a experiência indispensável de lidar com as questões mais importantes relativas à desigualdade social e à promoção de sua erradicação, mediante ações efetivas de desenvolvimento das comunidades carentes – explica.

Além do caráter de justiça social e incentivo ao espírito de solidariedade, prossegue Rubens Bueno, não haverá qualquer prejuízo para o profissional recém-formado, que receberá ajuda financeira e terá sua atividade validada e incorporada ao tempo de serviço, para fins de aposentadoria.

O serviço social profissional obrigatório sustenta o deputado, é uma compensação pelo privilégio do ensino gratuito, ao mesmo tempo em que abre aos brasileiros carentes o acesso efetivo aos diversos serviços de competência do poder público.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2011/07/21/projeto-preve-que-aluno-de-universidade-publica-preste-servico-social-924949296.asp#ixzz1T2wRVMuV

© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

FRANCAMENTE!

QUE COISA FEIA DEPUTADO RUBENS BUENO!

Com tantos problemas, emergenciais e prioritários que temos no Brasil, a serem tratados pelos parlamentares, principalmente na área da Educação, ainda temos o desprazer de ler uma notícia sobre o Projeto de Lei 326/11, do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que propõe a obrigatoriedade do Serviço Social Profissional do recém-graduado de universidades públicas, pelo período de seis meses, como requisito prévio para obter o título ou grau acadêmico.  E como compensação pela gratuidade do ensino público. E a essência do voluntariado?

Ainda acredito que terá uma bancada de parlamentares que terão o bom senso de não considerar a possibilidade de aprovar esse projeto.

Entendo que o requisito prévio para obter o título ou grau acadêmico será sempre a competência, o desenvolvimento da habilidade ou talento do aluno, e dos professores. E como resultado, a aprovação ao final do curso pelo alcance da pontuação necessária. A partir desse ponto, sim a sociedade terá um profissional preparado e apto à atendê-la.

Acredito que o caro Deputado desconhece que a gratuidade do ensino público é dever do estado, da Família e da Sociedade. E que o serviço social, normalmente, é prestado sob a forma de voluntariado, e em se tornando profissional obrigatório perde o sentido de existir.

Por que o deputado em vez desse absurdo não pensa em projetar a inclusão na grade curricular, de disciplinas que levem os alunos a pensarem nos conceitos de Pátria, de Nação e no Bem Comum?

Teríamos cidadãos formados e formadores de opinião, conscientes dos significados de cidadania e da necessidade de Programas de Política que promovam Segurança, Desenvolvimento e Defesa Nacional

Vai refletir com sabedoria deputado!

Faça jus ao crédito que recebeu por meio dos votos.

Lembre-se de que estudantes universitários são eleitores!

Adm. Djanira Felipe de Oliveira

Anúncios

25 de julho – Dia Nacional do Escritor


Data criada por Jorge Amado e João Peregrino Júnior

O dia 25 de julho é um dia dedicado a homenagear o escritor brasileiro, aquele que elabora artigos científicos, pautados em verdades comprovadas, ou textos literários, divididos em vários gêneros.

O surgimento da data se deu a partir da década de 60, através de João Peregrino Júnior e Jorge Amado, quando realizaram o I Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira de Escritores, a que os dois eram presidente e vice-presidente, respectivamente. Porém, de alguns anos para cá, as dificuldades dos escritores tem sido muito grandes, principalmente no que diz respeito à publicação de suas obras. Despreocupados com a qualidade dos textos, mas com a quantidade de vendas dos produtos, muitos editores lançam volumes que garantem retorno econômico à empresa.
Além disso, os meios de comunicação virtual publicam na íntegra, gratuitamente, obras de vários autores, sem considerar os respectivos direitos autorais, causando prejuízos aos mesmos.

Em razão do mundo virtual, jovens e crianças têm perdido o contato com os livros, passando grande tempo na frente do computador ou da televisão. Com isso, o acesso ao mundo letrado tem diminuído consideravelmente, e com ele as vendas dos artigos literários.
Ler é importante para o desenvolvimento do raciocínio, para desenvolver o aspecto crítico do leitor, criando novas opiniões e estimulando sua criatividade. Quando lemos, nos reportamos para outros lugares, como se estivéssemos viajando no tempo e no espaço.

As riquezas literárias são muitas, podendo estar divididas em textos científicos, que comprovam as teorias, e textos literários do tipo romance, comédia, suspense, poemas, poesias, biografias, músicas, novelas, obras de arte, literatura de cordel, histórias infantis, histórias em quadrinhos, dentre vários outros.

Pesquisa realizada em 2001, pela Câmara Brasileira da Indústria do Livro, comprovou que cerca de 61% dos adultos alfabetizados do país mantém pouco contato com livros, enquanto que a camada mais baixa da população, cerca de seis milhões e meio de pessoas, alegam não ter condições de adquirir livros.

Hoje em dia o Brasil conta com mais de trinta projetos de incentivo à leitura, bem como de divulgação das bibliotecas públicas do país e seus acervos bibliográficos, sendo o PNLL (Plano Nacional do Livro e Leitura) o mais importante deles. O programa oferece apoio a novos escritores, defende os direitos autorais dos escritores, abona apoio às publicações para novos autores, investem em traduções, mantém premiações e bolsas de incentivo para novos escritores.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

%d blogueiros gostam disto: