Arquivo diário: 2011/06/16 11:14:53 PM

Falece o jovem João Gabriel que gravou com o Senador Crivella a música Há de Brilhar uma Luz

O jovem era símbolo da campanha em prol das vítimas das enchentes no Rio de Janeiro.

O senador Marcelo Crivella lamenta profundamente a morte do menino João Gabriel, ocorrido nesta tarde. O fato inesperado deixou o senador extremamente sensibilizado. “Não tenho palavras para expressar tanta tristeza”, Disse.

João Gabriel sofria desde a infância, de uma doença degenerativa e tinha uma expectativa de apenas 15 anos de vida. Com 23 anos de idade, gravou no início deste ano, a música “Há de Brilhar uma Luz”, em companhia de Marcelo Crivella. A canção ilustrou a campanha em prol das vítimas das enchentes do Rio de Janeiro, pela qual seria ele também beneficiado.

João Gabriel sofreu uma parada cardíaca em casa, no Centro de Nova Friburgo (RJ) e foi encaminhado ao hospital da cidade. O garoto não resistiu e faleceu por volta das 17h45min. O enterro será amanhã (17), em horário ainda a ser divulgado.

A equipe do senador Marcelo Crivella transmite solidariedade à família enlutada.

Anúncios

Crivella entrega mais uma casa do Cimento Social na Providência nesta sexta

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) vai entregar mais uma casa do Cimento Social nesta sexta-feira, às 11h, no Morro da Providência. Será a sexta residência construída e entregue pelo programa na comunidade; outras 80 já foram reformadas.

O beneficiário da casa que será entregue nesta quinta-feira é o menino Bruno, de 12 anos. Ele escreveu uma carta ao senador Crivella relatando as dificuldades que enfrenta, já que mora com os pais e três irmãos, de favor, na casa de uma família amiga. Crivella se sensibilizou com a história do garoto e decidiu realizar seu sonho.

O Cimento Social é um programa de habitação popular idealizado por Crivella com o objetivo de proporcionar uma moradia com mais qualidade de vida a pessoas de baixa renda. As casas, de dois pavimentos, pré-moldadas e totalmente mobiliadas, são construídas em apenas três dias, ao custo de aproximadamente R$ 60 mil a unidade.

Endereço da casa: Rua da Grota, 28, Toca, Morro da Providência. Referência: Subir pela Rua da América até o nº 81 (no canteiro de obras da Prefeitura (construção da motovia), próximo à lixeira. Essa ladeira fica próxima à garagem da empresa de ônibus Reginas, na Vila portuária.

Fonte: Assessoria do Senador Marcelo Crivella

Em entrevista à Revista Kalunga, Rubens Teixeira fala sobre Energia Limpa

*RUBENS TEIXEIRA – www.rubensteixeira.com.br
por: Margarete Azevedo

O que temos para o momento

O recente acidente nuclear na usina japonesa de Fukushima trouxe à tona o debate sobre as vantagens e os riscos da energia nuclear

Chernobyl, Three Mile Island e agora Fukushima são três fantasmas que nos assombram sempre que o assunto é energia nuclear. Em comum, todos trazem no rastro destruição e mortes, o que inviabiliza, a princípio, qualquer discussão ou avaliação positiva sobre o tema. Ao contrário de muitos acidentes naturais ao redor do mundo, sequer podemos dar de ombros, pois também temos nosso calcanhar de Aquiles representado pelas usinas de Angra I e Angra II, com uma produção de apenas 13 GWh. Embora não estejamos no clube dos grandes produtores, possuímos uma das maiores reservas de urânio do mundo, o que representa um imenso potencial para energia nuclear.
Instaladas estrategicamente à beira-mar, entre três grandes centros consumidores – São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais –, as usinas brasileiras não representam grandes riscos, em tese. Por sua localização, utilizam água do mar, em abundância, no processo de resfriamento dos reatores, conforme o engenheiro nuclear Rubens Teixeira. “Cabe ressaltar que, por uma diferença de projeto em relação à usina japonesa de Fukushima, as brasileiras não contaminam a água usada no resfriamento e troca de calor do reator”, destaca. Ele garante que a questão da segurança nuclear é levada muito a sério pelo governo brasileiro. Ela está nas bases da pesquisa em Engenharia Nuclear, nos programas de pós-graduação sobre este tema no País.
No entanto, para muitas pessoas, energia nuclear continua sendo um mistério, ao contrário das demais, elétrica, solar ou eólica. Um dos modos de produzi-la, é por meio da quebra do núcleo de átomos, bombardeando-os com nêutrons, reação conhecida como fissão nuclear. Por ser muito concentrada, exige cuidados especiais para que não seja liberada em grandes quantidades e cause danos. “Esta quebra libera energia que, sendo controlada, como no caso dos reatores, é bastante benéfica para a sociedade. Esta energia também aparece, naturalmente, em átomos cujos núcleos estão tão densos que espontaneamente emitem energia na tentativa de se equilibrar, é o que chamamos de decaimento radioativo”, explica o especialista.

Medicina

À exceção dos fins bélicos, o Brasil utiliza energia nuclear em todas as aplicações possíveis. Por exemplo: para verificação da integridade das cintas de aço na radiografia de pneus; e na indústria alimentícia, para eliminação de micro-organismos em especiarias. Além disso, é usada na medicina em diagnósticos (raios X e tomografia por emissão de pósitrons), tratamentos (radioterapia) e na esterilização de instrumentos cirúrgicos. Segundo Teixeira, os átomos têm esta propriedade, por isso são comumente indicados em tratamentos médicos, como os de tireóide e próstata.
Aliás, a energia nuclear utilizada sob a forma de radiações ou em pesquisas, é de fundamental importância para o avanço na luta contra o câncer e outras doenças. A radiação nuclear permite o diagnóstico precoce com elevada precisão, no caso de diversos cânceres ou mesmo no combate a eles, conforme Teixeira. Por meio da radioterapia, consegue-se destruir células malignas com muita precisão sem afetar outras partes do corpo. As radiações e seus efeitos são também comuns nos casos de transplante de medula. Antes dele, irradia-se o paciente de corpo inteiro para que seu sistema imunológico enfraqueça e não combata o novo material biológico a ser transplantado.
Além dos ambientes científicos ou hospitalares, a radiação nuclear também está presente na atmosfera, nos mares, e em toda a superfície terrestre. “A radiação natural ocorre em doses que o ser humano já está naturalmente adaptado e não exige cuidados especiais. É o que se denomina radiação de fundo natural”, diz o engenheiro. Já nos casos de exames radiológicos, mesmo em níveis baixos, são necessários alguns cuidados. Caso a dose seja aumentada, crescem também os riscos e a possibilidade de alguns danos à saúde, como queimaduras e náuseas.

Energia limpa

Embora deixe restos radioativos, a energia nuclear é considerada limpa, pois não provoca gases poluentes e danos ao meio ambiente. Além disso, Teixeira garante que, nos dias atuais, há tecnologia para reaproveitamento desses rejeitos de mais alta intensidade. “Quando há rejeitos que não se pretende utilizar, pode-se construir reservatórios e deixá-los confinados, sem riscos para o ambiente, enquanto não se desenvolve tecnologia que os aproveite.”
Em comparação com outras energias, a nuclear leva algumas vantagens. A eólica, por exemplo, gerada pelo vento, também é limpa, mas traz a desvantagem da oscilação dos ventos. “Quando não há vento, não há energia ou há limitação na produção”, confirma o cientista. A energia solar, por sua vez, tem um custo muito elevado. Ela é inviável para uso em larga escala, em função da grande área de contato e da limitação de recursos, como luminosidade da área de instalação que também é função do clima. Segundo ele, tanto uma quanto a outra dependem de sistemas de baterias para armazenamento de energia, o que pode gerar danos ambientais.
Atualmente, a energia nuclear compete com a energia térmica derivada de carvão, que é altamente poluente, porque libera gases de efeito estufa. “Ainda que haja tecnologia para reduzir os efeitos nocivos, a eficiência de uma usina a carvão é milhares de vezes menor que a de uma termonuclear”, afirma Teixeira.
O que temos para o momento

Produtores

O Brasil é privilegiado por dispor de diversas alternativas energéticas. “A matriz energética de um país é uma escolha estratégica do governo, com base no que há disponível e no que se entende por melhor. Como temos potencial para a energia nuclear, temos tecnologia, não vejo porque desprezá-la e deixar de considerá-la como uma forma de energia vertente na matriz energética brasileira”, observa o engenheiro. E sem riscos, pois a França tem cerca de 75% da sua energia de origem nuclear, nem por isso Paris deixou de ser um dos maiores polos turísticos do mundo.
França, Estados Unidos e Japão são atualmente os maiores produtores de energia nuclear e também os maiores consumidores. Conforme Teixeira, os riscos ambientais de uma usina são compatíveis com diversas atividades, como a de dirigir um carro, voar em aviões de carreira e operação de uma fábrica, entre outras. “A maioria dessas atividades agride o meio ambiente mais do que uma usina nuclear em função de diversos fatores, como cotas de emissão de carbono, lixo orgânico humano, dejetos etc.”
França, Estados Unidos e Japão são atualmente os maiores produtores de energia nuclear e também os maiores consumidores. Conforme Teixeira, os riscos ambientais de uma usina são compatíveis com diversas atividades, como a de dirigir um carro, voar em aviões de carreira e operação de uma fábrica, entre outras. “A maioria dessas atividades agride o meio ambiente mais do que uma usina nuclear em função de diversos fatores, como cotas de emissão de carbono, lixo orgânico humano, dejetos etc.”

REVIFÉ fecha parceria com o INSTITUTO EU QUERO VIVER

O Revifé, associação que dá apoio a portadores de câncer, na pessoa de sua presidente, Sandra de Andrade, fechou essa semana uma parceria com o Instituto Eu Quero Viver, que dá apoio aos portadores de mucopolissacaridose.

A venda do livro “Câncer não é uma sentença, é apenas uma palavra”, ajudará as duas instituições. Cada exemplar será vendido por R$ 20,00 e R$ 3,00 de cada exemplar vendido será revertido para o INSTITUTO EU QUERO VIVER.

REVIFÉ

A presidente do Revifé é autora do livro O Câncer não é uma sentença, é apenas uma palavra, onde narra como aos 37 anos recebeu a notícia de um câncer de mama e como superou o mesmo.

Além do livro, Sandra de Andrade, na medida do possível, procura ajudar a todos que procuram a instituição de modo material, emocional e espiritual sem distinção de côr, sexo ou religião.

Palestras de prevenção ao câncer, qualidade de vida e motivacional são realizadas em escolas, igrejas, empresas, universidades e comunidades carentes.

Pessoalmente mais de 2.000 pessoas foram atendidas e como pastora, a presidente do REVIFÉ já esteve em mais de 3.000 igrejas em vários estados do Brasil e em quase todos os municípios do Rio de Janeiro.

Sandra de Andrade é Membro Filiada da Sociedade Brasileira de Mastologia desde 2005, uma conquista pelo trabalho e respeito por tudo que realiza desde 1996 através do REVIFÉ.

INSTITUTO EU QUERO VIVER

Fundada e presidida pela atriz Bianca Rinaldi, o Instituto o “Eu Quero Viver” é uma organização não-governamental, constituída por tempo indeterminado, sem fins lucrativos e criado para as seguintes finalidades:

* Ajudar na qualidade de vida dos portadores de doenças raras;

* Melhorar o diagnóstico no Brasil;

* Manter intercâmbios entre portadores, familiares e associações no âmbito nacional e internacional;

* Despertar a sociedade para o problema da MPS e outras doenças raras;

* Fornecer informações atualizadas sobre a doença para a população e familiares de portadores e profissionais.

* Trabalhar junto às instituições formadoras de profissionais de medicina;

* Cobrar apoio institucional do governo;

* Promoção de palestras, debates, encontros, bem como a participação dos associados em conferências, eventos e fóruns internacionais relacionados    a saúde e doenças raras;

* Promover direitos estabelecidos, construção de novos direitos e assessoria jurídica gratuita de interesse suplementar;

* Promover a ética, a paz, a cidadania, os direitos humanos, a democracia e outros valores universais;

Ajude-nos a ajudar alguém!

Para adquirir o livro envie um e-mail para revife@gmail.com e em assunto escreva EU QUERO AJUDAR ALGUÉM com seu nome e endereço completo para calcularmos os custos dos correios e enviar para você os dados para o depósito bancário.

www.revife.com

“A auto-estima da mulher” – Pra Sandra de Andrade

%d blogueiros gostam disto: